Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

De repente no Brasil só se morre por Covid-19 e as demais doenças, num toque de mágica, foram curadas

Ney Lopes
Por Ney Lopes 17/04/2020 - 07:05Atualizado em 17/04/2020 - 07:12

Neste terror de números por mortes pelo Covid-19 no Brasil, que vêm sendo divulgados com todo estardalhaço diariamente pela mídia como se o mundo fosse acabar, chamaram atenção os números que recebi da fonte "PortalSus" dos últimos 90 dias. De 1º de Janeiro a 31 de março as mortes em todo Brasil por outras enfermidades como doenças cardiovaculares (infartos) -  41.425 óbitos; doenças Vasculares (AVC) - 29.308; infecções das vias respiratórias -  20.712; Alzheimer -  18.123; doenças bronco pulmonares ou pneumonia -  15.584; mortes por violência (assassinatos) -  14.499; mortes por diabetes - 12.945; mortes por acidentes diversos - 10.356; mortes por doenças renais -  8.285; mortes por cirrose  - 7.763; mortes por  coronavírus até ontem  - 1.956. Tire suas conclusões.
 

Empresária Andreia Menegon em seu momento de isolamento em respeito ao corona

Teste de Corona só pra elite

Nunca tive dúvida que esse vírus era mesmo coisa da elite. Uma clínica particular da cidade está cobrando R$ 500 por uma consulta com direito ao teste do Covid-19 para quem estiver com suspeita de ter sido infectados pelo corona.
 

Médico Bill Ramos e a mulher Pamcontatudo mais unidos do que nunca em tempos de quarentena


Empresários da área gastronômica buscam alternativas para manter atendimento

Lançando mão de ferramentas como redes sociais e aplicativos de celular, restaurantes de Criciúma buscaram formas de seguir funcionando, ainda que parcialmente, pois a atividade é uma das que seguem restritas em Santa Catarina devido à pandemia do novo coronavírus
Foi preciso agir rápido para criar formas de aceitar pedidos on-line, entregar em casa ou deixar a encomenda pronta para o cliente passar e levar.
“Mesmo quem conseguiu dar férias em abril vai ter muitas dificuldades para manter esse pessoal a partir do próximo mês. Muitos vão usar a segunda opção, que é dispensar as pessoas, porque não tiveram a ajuda necessária do governo para suportar esse período”, analisa o presidente da Via Gastronômica, Valsi Mazzetto.
Conforme os dados da Via Gastronômica, o setor gera em torno de 10 mil empregos diretos em Criciúma. “Penso que 20% desses empregos serão finalizados. Seriam 2 mil desempregos”, estima.
Reunião nesta sexta-feira
Uma nova tentativa de sensibilização do Governo do Estado para a abertura dos restaurantes será realizada a partir de uma reunião agendada para esta sexta-feira, dia 17, às 10 horas, na Associação Empresarial de Criciúma (Acic). O encontro, observando as regras de distanciamento físico, terá a participação do presidente da entidade, Moacir Dagostin, de representantes da classe empresarial de ramos como o de alimentação e academias, além de parlamentares da Região.


Saideira: E não é que finalmente vamos emendar o Carnaval com o Natal? Fuiii

4oito

Deixe seu comentário