Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Advogado aciona STF para liberar cocaína e a maconha no tratamento da Covid-19

Ney Lopes
Por Ney Lopes 03/03/2021 - 07:35Atualizado em 03/03/2021 - 07:41

Um advogado da cidade de Manaus, identificado como Álcio Luiz Pessoa, representante da Escola de Humanismo Científico, protocolou na segunda-feira (1º) uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a liberação da cocaína como uma forma de tratamento para casos da Covid-19.
No pedido, o advogado argumenta que a cocaína e a maconha são drogas consideradas “artesanais” e que, por isso, ajudariam a tratar pacientes infectados. Ele sugere que a substância deve ser injetada no corpo do paciente e argumenta também que o vírus é uma “fraude dos laboratórios de química inorgânica contra a química natural”.
“O ‘epadu’ que é uma mistura da maconha com a pasta de coca, também chamado de ‘baseado’, já era conhecido pelos colonizadores da Amazônia e dos Andes. O comércio dos índios amazônicos com os andinos era feito na base do escambo. Esse costume dos índios e caboclos da Amazônia, lhes dava um grande vigor físico, para enfrentarem as intempéries, os mosquitos da malária, o carapanã, a mutuca, o pium e o maruin”, diz trecho do documento.

Rafaela Locks ajudando a dar um toque de beleza nesta quarta-feira já com cara de outono               


SEM mais controle, a Petrobras anunciou mais um reajuste dos combustíveis, o quinto praticado este ano. Desde ontem o preço médio de venda da gasolina nos postos de Criciúma passou dos R$ 5 reais e deva chegar a R$ 5,50 o litro.

E o cantor Nequinho ontem quietinho com apenas um casal de testemunhas oficializou seu casamento          

SINAL de alerta. Pessoas de 20 a 39 anos somam 43% dos casos ativos de Covid-19 em Santa Catarina.
Em um cenário crítico, médicos, especialistas e Estado percebem aumento de casos em faixas etárias mais jovens. No último fim de semana, Criciúma registrou três óbitos, mulheres de 
 27, 54 e 47 anos.

4oito

Deixe seu comentário