Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Max Everson
Por Max Everson 10/01/2018 - 11:39Atualizado em 10/01/2018 - 11:40


As 11 canções foram compostas pelo ex-Police e parte delas ganharam letras em português. Ao lado de John Ulhoa, Fernanda escreveu “Fundamental”. Celebrando parceria com Zélia Duncan, fez “Chuva no Oceano (Teardrops in the Sea)” e “Sorte no Amor (Music in Darkness)”. Zélia ainda assina “Pra Não Esquecer (I Remember)” e John, “No Mesmo Lugar (Here I Am Again)”. As outras 6 faixas são cantadas por Fernanda em inglês.Gravado em Los Angeles, o álbum é uma mistura bem temperada de pop e bossa nova.

Max Everson
Por Max Everson 10/01/2018 - 11:26Atualizado em 10/01/2018 - 11:32

10/01/1943 Jim Croce (20-09-1973)


10/01/1945 Rod Stewart


10/01/1952 Pat Benatar

 

Tags: NoAr

Max Everson
Por Max Everson 10/01/2018 - 10:29Atualizado em 10/01/2018 - 10:40

A organização que concede o Grammy divulgou nesta terça-feira (9) a lista anual de premiados de honra "Lifetime Achievement Award", que em sua edição de 2018 tem como homenageados o grupo Queen e a cantora Tina Turner.

Grandes músicos como Hal Blaine, Neil Diamond, Emmylou Harris, Louis Jordan e The Meters completam a relação de artistas que, segundo a Academia de Gravação, tiveram contribuições artísticas de grande importância para a música internacional.

A cerimônia de entrega da 60ª edição da premiação acontece em 28 de janeiro, no Madison Square Garden, em Nova York, e terá apresentações de Lady Gaga, Pink, Childish Gambino e Little Big Town.

Já o compositor John Williams, criador da trilha de Star Wars, o promotor de shows Bill Graham e o empresário Seymour Stein receberão o prêmio "Trustees Award", que reconhece o legado de personalidades da música além dos palcos.

Por sua vez, Tony Agnello e Richard Factor receberão o Grammy Técnico pelas contribuições na tecnologia da gravação de músicas.

A Academia da Gravação realizará uma cerimônia e um show especial - ainda sem data definida - para entregar os prêmios deste ano.

Em 2017, entre os artistas reconhecidos pelo Grammy por meio do "Lifetime Achievement Award" estiveram Charley Pride, Jimmie Rodgers, Nina Simone e Velvet Underground.

Ao longo das décadas, personalidades como Barbra Streisand, Paul McCartney, Michael Jackson, Elvis Presley, John Lennon, Louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Billie Holiday, Bob Dylan, James Brown e Jimi Hendrix foram reconhecidos com esse prêmio.

Max Everson
Por Max Everson 10/01/2018 - 10:21Atualizado em 10/01/2018 - 10:23


Eric Clapton afirmou em entrevista que está ficando surdo e com dificuldade de dedilhar sua guitarra. O lendário guitarrista revelou que está apreensivo sobre tocar o instrumento e cantar com proficiência devido a doenças que incluem zumbido e um toque vindo do interior da orelha.

As revelações foram feitas durante entrevista para Steve Wright na BBC Radio 2, na terça-feira (9).

“Eu ainda vou trabalhar. Vou fazer o show no Hyde Park em julho”, afirmou o cantor sobre a apresentação no tradicional festival do verão britânico. “A única coisa é que estou preocupado que estou ficando surdo, tenho tido zumbidos, mas minhas mãos ainda trabalham.”

“Espero que as pessoas venham me ver. Ver a mim, mais do que pela curiosidade. Eu sei que isso faz parte, porque é incrível que eu ainda esteja aqui”.

Clapton ainda afirmou que, no último ano, sofreu com muitas dores causadas pela neuropatia periférica (quando alguns nervos não funcionam corretamente). “É difícil trabalhar tocando guitarra e eu tive que aceitar o fato de que isso não vai melhorar”.

A entrevista para a rádio fazia parte da fase de promoção de seu documentário “Eric Clapton: Life in 12 Bars”. Na conversa, ele repetiu o que já havia afirmado em outras entrevistas, sobre a dificuldade de assistir as cenas do filme. “É difícil, porque isso é sobre um longo difícil período da minha vida”.

O documentário acompanha a vida do guitarrista britânico de 72 anos, da infância ao estrelato internacional, através de sua luta contra as drogas e álcool e a morte de seu filho de 4 anos, em 1991.

“É importante que as pessoas vejam que isso tem um final feliz”, destacou.

Max Everson
Por Max Everson 09/01/2018 - 15:01Atualizado em 09/01/2018 - 15:04

Um dos grupos mais populares dos anos 2000 está de volta! The Black Eyed Peas lançou a faixa “Street Livin”, que é uma faixa extremamente poética e crítica. A produção pode ser o início do próximo álbum do grupo, previsto para este ano.

A faixa chamou a atenção dos fãs por não contar com a participação da cantora Fergie, que ficou conhecida mundialmente com o grupo. Todos os outros integrantes originais do The Black Eyed Peas (Will.I.Am, Taboo e Ap.de.ap) fazem parte da produção da música.


Embora não tenha tido uma separação "formal" do The Black Eyed Peas, Fergie lançou no final do ano passado seu mais recente disco solo, Double Dutchess. O disco conta com o sucesso "M.I.L.F $", que atualmente conta com mais de 210 milhões de visualizações no YouTube.

 

Max Everson
Por Max Everson 08/01/2018 - 16:41Atualizado em 08/01/2018 - 16:50

David Bowie, nome artístico de David Robert Jones, nasceu em Londres, a 8 de janeiro de 1947. É um músico, ator e produtor musical inglês. Por vezes referido como "Camaleão do Rock" pela capacidade de sempre renovar sua imagem, tem sido uma importante figura na música popular há cinco décadas e é considerado um dos músicos populares mais inovadores e ainda influentes de todos os tempos, sobretudo por seu trabalho nas décadas de 1970 e 1980, além de ser distinguido por um vocal característico e pela profundidade intelectual de sua obra.

Embora desde cedo tenha realizado o álbum David Bowie e diversas canções, Bowie só chamou a atenção do público em 1969, quando a canção "Space Oddity" alcançou o quinto lugar no UK Singles Chart. Após um período de três anos de experimentação, que incluem a realização de dois significativos e influentes álbuns, The Man Who Sold the World (1970) e Hunky Dory (1971), ele retorna em 1972 durante a era glam rock com um alter ego extravagante e andrógino chamado Ziggy Stardust, sustentado pelo sucesso de "Starman" e do aclamado álbum The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. Seu impacto na época foi um dos maiores cultos já criados na cultura popular. Em 1973, o disco Aladdin Sane levou Ziggy aos EUA. A vida curta da persona revelaria apenas uma das muitas facetas de uma carreira marcada pela reinvenção contínua, pela inovação musical e pela apresentação visual.

Em 1974, o álbum Diamond Dogs previa, com seu som e sua temática caótica, a revolução punk que surgiria anos depois. Em 1975, Bowie finalmente conseguiu seu primeiro grande sucesso em território americano com a canção "Fame", em co-autoria com John Lennon, do álbum Young Americans. O som constitui uma mudança radical no estilo que, inicialmente, alienou muitos de seus devotos no Reino Unido. Nessa etapa, a carreira musical de Bowie se renovou e seguiu novos rumos. Após a criação de uma nova persona, Thin White Duke, apresentada no aclamado Station to Station (1976), que traz um Bowie interessado em misticismo, Cabala e Nazismo, ele confundiu as expectativas de seu público americano e de sua gravadora com a produção do minimalista Low (1977)—a primeira das três colaborações com Brian Eno durante os próximos dois anos. A chamada "Trilogia de Berlim" (com "Heroes" e Lodger) trouxe álbuns introspectivos que lograram o topo nas paradas britânicas e que ganharam admiração crítica duradoura.

Seguindo o sucesso comercial irregular no final dos anos 70, a canção "Ashes to Ashes" do álbum de 1980 Scary Monsters (and Super Creeps) alcançou o primeiro lugar no Reino Unido e lançou bases para um novo movimento chamado New Romanticism. No ano seguinte, junto à banda Queen, escreveu e cantou a canção "Under Pressure" e em seguida atingiu novo pico comercial com o álbum Let's Dance (1983), que rendeu sucessos com a canção homônima e o fez cativar nova audiência. Ao longo dos anos 1990 e 2000, Bowie continuou a experimentar novos estilos musicais, incluindo os gêneros industrial, drum and bass, e adult contemporary. Seu último álbum de inéditas foi por muito tempo Reality, uma mistura de melancolia e humor, suportado pela A Reality Tour de 2003–2004. Após um período de quase dez anos em hiato, anuncia The Next Day pelo Facebook e pelo seu novo website. Seu novo álbum (The Next Day), está com três indicações ao Grammy (Melhor performance de rock 'Stars Are Out Tonight), Melhor Conteúdo Extra (The Next Day Extra) e melhor álbum de rock.

A influência de David Bowie é única, musical e socialmente. Como escreveu o biógrafo David Buckley, "ele penetrou e modificou mais vidas do que qualquer outra figura comparável." De fato, grande é sua influência no mundo da música entre artistas e bandas mais antigas e a nova geração, e, além de ter auxiliado movimentos como a libertação gay e a recriação de uma nova juventude independente, introduziu novos modos de se vestir na cena musical e tem uma carreira prestigiada no cinema. Em 2002, ficou em 29º lugar na lista popular 100 Greatest Britons e já vendeu mais de 136 milhões de álbuns ao longo de sua carreira. Foi premiado no Reino Unido com 9 certificações de álbum de platina, 11 de ouro e 8 de prata, e, nos Estados Unidos, 5 de platina e 7 de ouro. Em 2004, a Rolling Stone colocou-o na 39ª posição em sua lista dos "100 Maiores Artistas do Rock de Todos os Tempos" e em 23º lugar na lista dos "Melhores Cantores de Todos os Tempos".

Tags: NoAr David Bowie

Max Everson
Por Max Everson 08/01/2018 - 16:30Atualizado em 08/01/2018 - 16:40

Em 8 de janeiro de 1935 em Tupelo (USA), nascia Elvis Aaron Presley que foi um famoso músico e ator norte-americano, mundialmente denominado como o Rei do Rock. É também conhecido como Elvis The Pelvis, apelido pelo qual ficou conhecido na década de 1950 por sua maneira extravagante e ousada de dançar. Elvis também foi um dos pioneiros e principal idealizador do movimento conhecido como rock and roll. 

Uma de suas maiores virtudes era a sua voz, devido ao seu alcance vocal, que atingia, segundo especialistas, notas musicais de difícil alcance para um cantor popular. A crítica especializada reconhece seu expressivo ganho, em extensão, com a maturidade; além de virtuoso senso rítmico, força interpretativa e um timbre de voz que o destacava entre os cantores populares, sendo avaliado como um dos maiores e por outros como um dos melhores cantores populares do século XX.

Começou sua carreira em 1954 na lendária gravadora Sun Records e era acompanhado pelo guitarrista Scotty Moore, pelo baixista Bill Black e pelo baterista D.J. Fontana, Presley foi um dos criadores do rockabilly, uma fusão de música country e R&B.

Elvis tornou-se um dos maiores ícones da cultura popular mundial do século XX. Entre seus sucessos musicais podemos destacar "Hound Dog", "Don't Be Cruel", "Love me Tender", "All Shook up", "Teddy Bear", "Jailhouse Rock", "It's Now Or Never", "Can´t Help Falling In Love", "Surrender", "Crying In The Chapel", "Mystery Train", "In The Ghetto", "Suspicious Minds", "Don't Cry Daddy", "The Wonder Of You", "An American Trilogy", "Burning Love", "My Way", "My Boy" e "Moody Blue". Na Europa, canções como "Wooden Heart", "You Don't Have To Say You Love Me", "My Boy" e "Moody Blue" fizeram sucesso. Particulamente no Brasil, foram bem-sucedidas as canções "Kiss Me Quick", "Bossa Nova Baby", "It's Now or Never" e "Bridge Over Troubled Water".

Após sua morte, novos sucessos advieram, como "Way Down" (logo após seu falecimento), "Always On My Mind", "Guitar Man", "A Little Less Conversation" e "Rubberneckin". Quarenta e um anos após sua morte, Presley ainda é um dos artistas com maior número de "hits" nas paradas mundiais, sendo ainda um dos artistas solo recordistas em vendas de discos, com 1 bilhão de álbuns vendidos em todo o mundo.

Elvis Presley faleceu em 16 de agosto de 1977 em Memphis, no Tennessee, EUA.

Max Everson
Por Max Everson 04/01/2018 - 14:21Atualizado em 04/01/2018 - 14:25

Led Zeppelin vai lançar livro ilustrado para celebrar os 50 anos de formação da banda
Segundo anúncio nas páginas oficias do grupo, obra será lançada em 2018. Ano comemorativo também deve ganhar músicas inéditas, segundo Jimmy Page.

Em 2018, a banda Led Zeppelin celebra os 50 anos desde sua formação. E os fãs do grupo já podem se preparar para alguns materiais inéditos. Em suas páginas oficiais, o grupo anunciou o breve lançamento de um livro ilustrado comemorativo.

“Led Zeppelin está feliz em anunciar que Jimmy Page, Robert Plant e John Paul Jones estão colaborando com a Reel Art Press para publicar o livro ilustrado oficial da banda para celebrar 50 anos de formação do grupo”.

Além disso, em entrevista para a Academy of Achievement no final de 2017, Jimmy Page contou que músicas inéditas da banda também serão lançadas.

“Com certeza, haverá produtos do Led Zeppelin saindo, com material que as pessoas nunca ouviram, porque estou trabalhando nisso. No próximo ano celebraremos os 50 de banda, então há várias surpresas vindo por aí”, adiantou o músico.

Max Everson
Por Max Everson 03/01/2018 - 16:12Atualizado em 03/01/2018 - 16:21

O Spotify começa o ano enfrentando um processo da gravadora Wixen Music, que acusa a companhia de reproduzir em sua plataforma milhares de músicas sem autorização. Títulos de Tom Petty, The Doors, Neil Young e Weezer são citados na ação judicial, afirmando ainda que a plataforma de streaming não se esforça o suficiente para investigar os responsáveis pelos direitos das músicas. A Wixen Music deseja o pagamento do valor de US$ 1.6 bilhão por danos.

O executivo ainda comenta que a receita anual do Spotify é de US$ 3 bilhões e que tudo o que a Wixen deseja é uma "compensação razoável" sobre o lucro que a empresa de streaming tira com a reprodução de música de seus clientes.

Mas esta não é a primeira vez que o Spotify enfrenta processos de direitos autorais. Em menos de um mês, entre 2015 e 2016, a empresa enfrentou duas acusações também referentes à execução de músicas sem autorização, acumulando ainda mais uma em 2017.

O Spotify ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

 

Max Everson
Por Max Everson 27/12/2017 - 16:01Atualizado em 27/12/2017 - 16:12

O Whitesnake se prepara para lançar o álbum de “The Purple Tour – Live”, trabalho que leva aos fãs o registro da turnê do “The Purple Album”.

Esse disco reuniu as faixas da época que David Coverdale foi a voz do Deep Purple, além de clássicos no Whitesnake.

Para promover a chegada do álbum ao vivo em 19 de janeiro, a banda liberou o videoclipe de “Burn”, faixa que Coverdale gravou com o Deep Purple e que a banda não executa em seus atuais shows com o vocalista Ian Gillan.

 

Max Everson
Por Max Everson 27/12/2017 - 11:03Atualizado em 27/12/2017 - 11:05

James Blake liberou em seu Youtube um cover do cantor norte-americano Don McLean.

A faixa escolhida por ele foi “Vincent”, lançada em 1971 como homenagem ao pintor Vincent Van Gogh e também está presente na trilha sonora do filme “Loving Vincent”, lançado em 2017. O vídeo foi gravado em Los Angeles e dirigido por Andrew Douglas.

 

Max Everson
Por Max Everson 16/12/2017 - 10:51Atualizado em 16/12/2017 - 10:54

 

O primeiro single foi Refazenda, de Gilberto Gil, parceiro da banda desde Macô, hit de Afrociberdelia. Num encontro frutífero com o maestro Lettieres Leite e seus comparsas da Orquestra Rumpilezz, cuja relação com a obra de Gil é profunda, a Nação realça um elemento de sua alquimia musical que andava mais discreto em anos recentes. Tropical e colorido, pop sem deixar de ser roots.
A escolha é certeira, traduz o tom do trabalho, embebido de leveza sem deixar de lado a densidade. Uma dose bem vinda de descontração em tempos bicudos. É como diz aquele refrão do próprio Jorge Du Peixe: dá-lhe viver!  ( © 2017. Interdependente)

Max Everson
Por Max Everson 16/12/2017 - 10:40Atualizado em 16/12/2017 - 10:46

Se você quiser chorar / Então chore, então chore”, sugere Erasmo Carlos em versos de Não existe saudade no Cosmos, uma das músicas inéditas do álbum que o cantor, compositor e músico carioca vai concluir e lançar ao longo de 2018.

Apresentada em single, Não existe saudade no Cosmos é a primeira faixa do disco a ser revelada. A música é de autoria do compositor baiano Teago Oliveira, vocalista e mentor da banda Maglore, mas parece assinada pelo Tremendão, tanto pela melodia como por conta da letra que defende o choro ao mandar recado (gentil) para alguém que partiu e talvez não queira mais voltar.

 

Max Everson
Por Max Everson 16/12/2017 - 10:28Atualizado em 16/12/2017 - 10:33

Grupo Armada toma partido do punk ao regravar samba de Bezerra da Silva.

Em 1977, o cantor e compositor pernambucano Bezerra da Silva (1927 – 2005) ainda buscava se firmar no mundo do samba quando lançou o álbum Partido alto nota 10 , dividido com Genaro. Uma das músicas desse disco é Cobra criada (Só veneno), parceria de Dicró (1946 – 2012) com José Paulo. Decorridos 40 anos, Cobra criada ressurge em forma de punk rock em gravação do grupo paulista Armada (em foto de Cristiano Martins).

Feita pelo grupo com a participação do cantor e compositor paulista Kiko Zambianchi, a abordagem de Cobra criada faz parte do álbum Bandeira negra, previsto para ser lançado em fevereiro de 2018. Bandeira negra é o primeiro álbum do Armada, quinteto formado neste ano de 2017 por ex-integrantes do grupo paulista de punk Blind Pigs – Henrike Baliú (voz), Alexandre Galindo (guitarra), Mauro Tracco (baixo) e Arnaldo Rogano (bateria) – com o guitarrista Ricardo Galano.

confira a original com Bezerra da Silva:

"Gosto muito do Bezerra, coleciono os LPs dele e sempre tive vontade de gravar uma versão para essa música, que é uma das minhas favoritas", conta o vocalista Henrike Baliú. "Convidei o Kiko para participar da gravação porque imaginei que, se tivesse alguém capaz de transformar o samba em punk, sem perder o gingado, seria ele", justifica o cantor.

Antes de Cobra criada, o grupo Armada lançou o single Eterno marujo e, em novembro, apresentou a música Próxima estação, gravada com a participação do cantor sertanejo Sérgio Reis.

 

Max Everson
Por Max Everson 16/12/2017 - 10:20Atualizado em 16/12/2017 - 10:22

Próximo álbum de Gal pode gerar primeira parceria de Arantes com Caetano...

Enquanto selecionava repertório para o álbum de músicas inéditas que lançará em 2018 pela gravadora Biscoito Fino, Gal Costa recebeu composição de Guilherme Arantes. A cantora baiana gostou da música enviada pelo compositor paulista.

Contudo, no meio do processo de preparação do disco, surgiu a ideia de abrir a parceria de Arantes com Caetano Veloso, compositor recorrente no repertório de Gal desde 1965. Se a ideia for concretizada, caberá a Gal lançar a primeira parceria desses compositores de distintos universos musicais.

Cabe lembrar que, no último disco de estúdio, Estratosférica (2015), Gal gravou música inédita de Arantes, Vou buscar você para mim, fonograma incluído somente na edição digital do álbum. A música chegou a ser cantada por Gal na estreia da turnê nacional do show Estratosférica, em Salvador (BA), mas não permaneceu no roteiro do espetáculo perpetuado em CD ao vivo e DVD lançados neste ano de 2017.

Max Everson
Por Max Everson 15/12/2017 - 16:22Atualizado em 15/12/2017 - 16:27

Hoje 15-12-2017, o cantor Ed Sheeran, o artista mais ouvido do mundo em 2017, lançou outra versão de “Perfect”. Desta vez, a faixa é uma parceria com o italiano Andrea Bocelli

Esta não é a primeira versão alternativa de "Perfect". Recentemente o cantor lançou um versão com a americana Beyoncé, 

A nova versão da música chama a atenção pelos potentes vocais de Andrea, que é uma das vozes mais famosas da Itália.

Outro ponto que surpreende é que no final da musica Ed Sheeran canta alguns versos da música em Italiano.

e para inovar, apresentamos a versão exclusiva,  com as vozes de Ed Sheeran , Andrea Bocelli e Beyoncé, que você só ouve na Som Maior

 

Max Everson
Por Max Everson 14/12/2017 - 15:10Atualizado em 14/12/2017 - 15:25

Dezembro chegou e, claro, com ele veio também todo aquele espírito natalino que já poderia ser visto pelas ruas das cidades. Mas o clima de final de ano não fica só por conta do visual, mas também da trilha sonora.

É por isso que muitos artistas se empenham para lançar músicas com a temática – e em 2017 isso não poderia ser diferente. Entre veteranos das canções natalinas e outros nem tantos, selecionamos algumas que não podem faltar na sua playlist!

Dona de grandes hits, a cantora Sia se rendeu ao espírito natalino com o álbum “Everyday Is Christmas“, que conta com 10 canções com aquele toque clássico dessa época do ano. Destaque para “Santa’s Coming For Us” que conta com um videoclipe bem divertido e participações especiais.

 Já Miley Cyrus participou do Spotify Singles e gravou duas canções dentro da temática para o compilado intitulado de “Holiday”.

E não pense que o ex integrante da banda Jonas Brothers veio sozinho nessa. A canção “Say All You Want for Christmas” foi lançada em parceria com Shania Twain e estará no álbum “This is Christmas” que terá canções de outros artistas e grupos.

 

Música natalina é com Mariah Carey. A cantora já lançou diversas canções e é claro que isso não mudaria neste ano. “The Star” está entre as músicas da trilha sonora do filme com o mesmo nome.

No final de outubro, os irmãos Hanson lançaram o álbum natalino “Finally It’s Christmas” em comemoração aos 20 anos de banda com 12 faixas, entre elas clássicos natalinos e outras do álbum de 1997 “Snowed In”.

Outra cantora que apostou em um álbum temático foi Gewn Stefani. Intitulado de “You Make It Feel Like Christmas” e com 12 faixas, o trabalho conta com canções clássicas e outras originais – e ainda tem a participação de Blake Shelton.

mas, claro que não podemos esquecer de Elvis Presley - Blue Christimas

Avril Lavigne & Jonny Blu – Baby It's Cold Outside

John Lennon - Happy Christmas

e muitas outras, qual sua música de natal preferida?

Max Everson
Por Max Everson 13/12/2017 - 15:41Atualizado em 13/12/2017 - 15:43

A HBO divulgou em seu Youtube nesta quarta-feira (13) o trailer do seu documentário sobre os últimos anos artísticos de David Bowie.

“David Bowie: The Last Five Years” contará a trajetória criativa do cantor passando pelos álbuns “The Next Day”, de 2013 e “Blackstar”, de 2016. Além de explorar também seu musical “Lazarus”.

O material conta com entrevistas e materiais arquivados, de Bowie e seus companheiros de banda. O documentário foi dirigido por Francis Whately e está previsto para ser lançado em 2018, provavelmente no mesmo dia em que o cantor comemoraria 70 anos, 8 de Janeiro.

 

Max Everson
Por Max Everson 12/12/2017 - 11:11Atualizado em 12/12/2017 - 11:24

U2 derrubou Taylor Swift do trono no topo da parada Billboard 200, com seu novo lançamento "Songs of experience". Esse é o oitavo álbum da banda irlandesa a chegar ao primeiro lugar nos Estados Unidos.

"Songs of experience" vendeu mais de 185 mil unidades em sua primeira semana, de acordo com dados da Nielsen Music divulgados nesta segunda-feira (11).
A "Billboard" afirmou ser a maior semana de vendas para um álbum de rock em 2017, em uma indústria em que o hip hop e o R&B são os atuais gêneros mais populares.

O álbum "From a room: Volume 2", do cantor de música country Chris Stapleton, ficou em segundo lugar, com mais de 124 mil unidades vendidas.

Os dois novos lançamentos empurraram o álbum "Reputation", de Swift, para o terceiro lugar após três semanas na liderança.

A parada Billboard 200 contabiliza vendas de álbuns, vendas de músicas (dez músicas equivalem a um álbum) e streaming (1.500 equivalem a um álbum).

Tags: NoAr U2

Max Everson
Por Max Everson 06/12/2017 - 16:30Atualizado em 06/12/2017 - 16:35

Caetano Veloso assina contrato e retorna à gravadora


Após cinquenta anos do lançamento de seu primeiro álbum, "Domingo", de 1967, pela Universal Music, em uma época que ainda se chamava Philips, Caetano Veloso retorna à gravadora que o lançou para o mundo da música.

O cantor, compositor e músico baiano assinou contrato que prevê a edição e distribuição da gravação do show Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso, que conta com os três filhos de Caetano, ao lado do pai, em uma apresentação no mesmo palco.

O disco foi lançado em 1967 pela gravadora Philips. Com uma sonoridade totalmente bossa novista, marcou a estréia dos dois cantores naquela gravadora. O disco foi produzido por Dori Caymmi, (filho de Dorival), que foi convidado pelo então diretor João Araújo, pai do cantor Cazuza, para escrever os arranjos.

Ao disco pertence o primeiro grande sucesso de Gal e Caetano, "Coração Vagabundo". Mesmo não tendo sido um estrondoso sucesso, garantiu um bom reconhecimento à dupla e também foi muito aclamado por pessoas do meio musical da época, como Elis Regina, Wanda Sá, Edu Lobo, Dori Caymmi, dentre outros. A música "Minha senhora" foi defendida por Gal no Festival Internacional da Canção de 1966.

Vale lembrar que todos os álbuns lançados por Caetano no Brasil entre 1967 e 2014 foram editados pela Philips / Universal Music, com exceção de CD ao vivo e DVD de 2008, gravados em show feito pelo cantor com Roberto Carlos naquele mesmo ano de 2008.

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14