Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Um Clássico de 1972 está de volta

Max Everson
Por Max Everson 27/08/2018 - 16:06Atualizado em 27/08/2018 - 16:09

Arthur Verocai – 1972

Pra quem não conhece, e são muitos, Arthur Verocai, exímio arranjador, compositor e violonista, trabalhou com figuraças como Jorge Ben, Tim Maia, Gal Costa, Erasmo Carlos, Leny Andrade, entre outros, lançou em 1972 seu primeiro álbum, influenciado pelo funk, soul e o tropicalismo que aflorava no Brasil, porém, o disco não foi muito bem digerido por aqui, e acabou caindo no esquecimento.

O desapontamento foi tão grande que, por suas próprias palavras, ficou sem ouvir o disco por muitos anos proibindo até seu filho de escutá-lo.

Depois disso, trocou a carreira de arranjador pela publicidade, afinal os jingles davam muito mais grana do que os lps e muito menos trabalho…

Tracklist
01 – Caboclo (Arthur Verocai / Vitor Martins)
02 – Pelas Sombras (Arthur Verocai / Vitor Martins)
03 – Sylvia (Arthur Verocai)
04 – Presente Grego (Arthur Verocai / Vitor Martins)
05 – Dedicado a Ela (Arthur Verocai / Paulinho Tapajós)
06 – Seriado (Arthur Verocai / Vitor Martins)
07 – Na Boca do Sol (Arthur Verocai / Vitor Martins)
08 – Velho Parente (Arthur Verocai / Vitor Martins)
09 – O Mapa (Arthur Verocai / Vitor Martins)
10 – Karina (Domingo no Grajaú) (Arthur Verocai / Vitor Martins)

O LP é uma mistura de elementos de bossa nova, folk e influências do funk e do soul norte-americanos, uma sonoridade entre o clube da esquina e a turma da cena black rio.

Em 2002 a Ubiquity Records, espertamente, entrou em contato com Verocai e relançou a obra prima em vinil e cd, logo djs e músicos tinham em suas mãos o até então ignorado állbum. Não demorou para ser sampleado por produtores famosos do hip hop e Verocai começou enfim a receber as honras pelo trabalho até então desmerecido…
Em 2008 foi a vez da Mochilla, produtora formada pelos fotógrafos Eric Coleman e B+, o mesmo que fez os documentários Keepintime e Brazilintime, apresentarem o projetoTIMELESS, série de três filmes baseados em shows de três grandes arranjadores mundiais, Verocai é o único brasileiro ao lado do falecido J Dilla e do predileto da casa, Mulatu Astatke.

O show lindo que originou o filme foi gravado em 2009 e conta com uma orquestra de 35 músicos, com participações especiais do Mamão e Beltrame do Azymuth, o simpático Carlos Dafé, Clarisse Grova, Airto Moreira, Mad Lib e J Rocc nas picapes, etc…

O melhor de tudo isso é que além do Arthur Verocai ter ganho o devido reconhecimento ainda em vida.

 

4oito

Deixe seu comentário