Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Max Everson
Por Max Everson 14/03/2018 - 11:09Atualizado em 14/03/2018 - 11:20

“Correndo Atrás de Um Pai” (ou “Father Figures”, em inglês) é uma comédia americana dirigida por Lawrence Sher. O longa conta com um grande time de atores consagrados como J. K. Simmons, Owen Wilson, Ed Helms, Katt Williams e mais. 

 Os irmãos Kyle (Owen Wilson ) e Peter Reynolds (Ed Helms) descobrem que seu pai biológico não morreu quando eram mais novos e alguns segredos sobre sua mãe são revelados. Os dois pegam estrada para finalmente conhecer seu pai e outras curiosidades sobre essa peculiar família.

Can’t Hold Out On Love – Jason Mraz 

Jason Mraz é um cantor e compositor americano, que iniciou sua carreira nos anos 2000. Sua ascensão foi durante o lançamento de seu segundo disco, “Mr. A-Z”, em 2005. Três anos depois, com seu terceiro trabalho de estúdio, o cantor alcançou sucesso internacional por conta do single “I’m Yours”, um de seus maiores hits até os dias atuais. Vencedor de prêmios Grammy, Mraz diz ser extremamente influenciado pela música brasileira.

“Can’t Hold Out On Love” foi criada especialmente para o longa, após três anos sem lançar músicas inéditas. Em suas redes sociais, Jason Mraz disse: “Eu costumava trabalhar em cinemas limpando as pipocas durantes os créditos. Agora eu tenho o prazer de escrever/performar a música para os créditos…”


He Ain’t Heavy, He’s My Brother – Neil Diamond

Neil Diamond é um cantor, compositor e ator americano. Ele já vendeu mais de 100 milhões de discos ao redor do mundo e possui 38 canções no Top 10 da Billboard Adult Contemporary Charts, se tornando assim um dos músicos que mais vendem em todos os tempos. Em turnê há 50 anos, Neil possui 32 discos de estúdio gravados e tem seu nome gravado na Songwriters Hall of Fame e Rock and Roll Hall of Fame.

“He Ain’t Heavy, He’s My Brother” é uma canção escrita por Bobby Scott e Bob Russell. Originalmente gravada por Kelly Gordon, ela fez sucesso na voz de Neil Diamond nos anos 70, e diversos outros artistas também fizeram suas versões.


Have a Little Faith in Me – John Hiatt

John Hiatt é um cantor, compositor, guitarrista e pianista americano. É conhecido por misturar uma serie de estilos musicais em seus discos, incluindo country e blues. Se mantendo como um dos compositores americanos mais influentes e respeitáveis, Hiatt foi indicado ao Grammy diversas vezes mas nunca levou o prêmio.

“Have a Little Faith in Me” é uma canção escrita e cantada por John, que aparece no disco “Bring The Family”, de 1987. Diversos artistas fizeram cover da música, e ela aparece na trilha sonora de outros filmes como “Olha Quem Está Falando Agora” e “Cake”.


Ways To Go – Grouplove

Grouplove é uma banda americana formada em 2009 por Hannah Hooper (vocal e teclado), Christian Zucconi (vocal e guitarra), Sean Gadd (baixo), Andrew Wessen (guitarra e vocal) e Ryan Rabin (bateria). Eles iniciaram sua carreira na música em 2009, e dois anos depois lançaram seu disco de estreia, que rendeu o singe “Tongue Tied”, seu maior sucesso.

“Ways To Go” integra o segundo disco da banda, “Spreading Rumours”, de 2013. Comercialmente falando, o álbum foi bem sucedido e vendeu 80 mil cópias somente nos Estados Unidos.

ficou curioso? então assista o trailer de “Correndo Atrás de Um Pai” (Father Figures)

 

Max Everson
Por Max Everson 01/03/2018 - 11:07Atualizado em 01/03/2018 - 11:11

PuraBossaNova faz parte da programação do Som Maior No Ar e Vozes do Brasil.

 

Max Everson
Por Max Everson 28/02/2018 - 10:58Atualizado em 28/02/2018 - 11:14

A série La Casa de Papel, gravada na Espanha, já é uma das preferidas entre os brasileiros. Com isso, a música de abertura, “My Life Is Going On” já foi, inclusive, adicionada na programação da Som Maior. 

Criada por Álex Pina, teve sua estreia no dia 2 de maio de 2017 e, na plataforma Netflix no dia 25 de dezembro, trazendo estrelas como Úrsula Corberó, Paco Tous, e Alba Flores. 

Além disso, a canção de abertura da série, nomeada “My Life Is Going On” se tornou um sucesso no país. A cantora Cecilia Krull, responsável também pela composição da letra já interpretou também temas das produções Tres Metros Sobre El Cielo e Vis a Vis.

A artista concedeu entrevista revelando que, tudo começou aos 12 anos e que uma de suas principais inspirações é Stevie Wonder. Além disso, a cantora deu voz a outra faixa da série. 

 1- Quando foi que você começou a cantar? Quando decidiu que seria cantora? Vem de uma família de músicos?

Meu pai era pianista, minha mãe canta muito bem, e fez algumas coisas quando era jovem, mas não se dedicou a música profissionalmente. Meu avô tocava acordeão, meus tios tocam guitarra, meus primos são músicos. Então, nasci em um meio musical, creio que eu tenho cantado desde que nasci! Nunca decidi ser cantora, sempre foi algo que esteve comigo. Segundo meus pais, quando meu pai tocava  piano, eu cantarolava o que ele estava tocando. E inclusive, quando comíamos em algum restaurante, eu cantava a música que escutava por lá, durante o percurso do estabelecimento até chegar em casa! Comecei profissionalmente aos 7 anos, nas produções da Disney

2- O seu pai é compositor? E você, já escreveu alguma música? 

Sim, meu pai é compositor. E eu já escrevi muitas canções, também. Uma das primeiras, fiz com 12 anos, eu a apresentei em um programa de Tv aqui na Espanha chamado " el juego del amor " (O jogo do amor). É alucinante como o amor ocupa tanto lugar na música.

3- Como foram suas participações nas produções do Walt Disney quando era criança? 

Aprendi muito, era muito pequena, e até os 14 anos estive fazendo muitas sessões de gravação, também como atriz de dublagem. Compartilhar com companheiros, exercitar o ouvido musical, aprender a cantar com mais gente, foi uma experiência da qual guardo muitas boas recordações, muito doce.

4- Quais são as suas maiores inspirações musicais?

Em casa sempre escutamos sobretudo Jazz, música clássica, contemporânea, 'chanson française'.... Mas, na minha adolescência escutei muito hip hop! Eu era rebelde, não queria seguir os passos do meu pai e o jazz, mas, com o tempo, encontrei na fusão (musical) meu refúgio, eu gosto muito, também, de flamenco, música Soul, e r&b.....

5- “My Life Is Going On” foi escrita especialmente para a série? Qual é a sua relação com o compositor, Manel Santisteban? Vocês já fizeram outras parcerias?

Manel Santisteban e eu temos uma excelente relação que começou sendo de trabalho e ele se tornou um familiar para mim! Fizemos juntos a canção para o filme " 3 metros sobre el cielo" (3 metros sobre o céu), chamada " Something’s Triggered", e desde então, não deixamos a parceria de lado, ele compondo e eu colocando a voz nas melodias! 

Também fizemos  a canção “All my fears” para o filme “Fuga de Cerebros 2" e a música “Agnus Dei”da série Vis a Vis, “My life is Going on”, para La casa de Papel, e também uma em espanhol “La verdad”, da série” El Accidente. Quando nós fazemos canções para séries e filmes sempre pensamos na trama e nos personagens. 

6- Há outra canção sua na série 'La casa de papel'?

No primeiro capítulo quando se apresenta o grupo! Quando eles vão entrando juntos na casa, onde tudo se planeja com o Professor. Essa canção, também, é minha e de Manel.  

7- Você esperava que a série lhe daria reconhecimento mundial? Como está sendo a recepção dos telespectadores com a música?

A verdade é que sempre aproveito muito quando estou cantando, não penso na repercussão de nenhum tipo, não espero nada, tudo o que chega é uma surpresa, e eu recebo com imensa alegria e muito agradecimento. Os telespectadores são incríveis, me escrevem nas minhas redes, me dedicam covers da música. No momento, tento responder a todos que me mandam mensagens.

8- Quais são seus planos de agora em diante? Escrever novas músicas ou um novo disco?

Novas canções e um disco, claro! E muitos shows, espero. 

9- No vídeo enviado para a Antena 1, você disse que espera encontrar os brasileiros em breve. Há planos de uma visita ao Brasil? Qual a sua relação com os seus fãs brasileiros?

Minha relação com os meus admiradores é a máxima possível! Eu respondo todo mundo que me escreve. Ainda não há nada fechado, mas espero que em breve.  Gostaria de ir ao Brasil, seria um sonho e além do mais para cantar. Felicidade! Significa muito para mim todo o apoio que estou recebendo. Muito carinho e amor. 

10- Quais são os seus planos? Tem pretensões de continuar cantando em espanhol e inglês? Tem alguma preferência de idioma ao cantar? 

Falo três idiomas, espanhol, inglês e francês, às vezes, também, escrevo letras em francês, em espanhol canto menos, embora eu, também, goste. Acredito que o inglês sai mais fluído. Afinal, eu sempre escutei mais música anglo-saxônica. 

11- Como foi o convite para ser intérprete da canção "My life is going on"? Qual foi a sua reação? 

Quando Manel me liga para me apresentar projetos, sempre desligo e grito: Bem! Isso me deixa muito feliz, nós colocamos todo o coração, mas não só tenho pretensões, como sempre tento manter os pés no chão. 

12- A música "My life is Going on" ocupa boa posição em diversas paradas musicais: Está no topo do iTunes Brasil e entre as mais tocadas no Spotify da Argentina e de outros países. Como você se sente com isso? 

Muito feliz. Imagina que sigo cantando por toda a minha vida, eu já cantei em todo tipo de eventos, restaurantes, casamentos.... (Risos) Isso é um sonho! 

13- Você já escreveu canções para duas produções espanholas. Qual a sua relação com as séries? Você já pensou em seguir a carreira de atriz? 

Minha irmã mais velha sempre estudou artes dramáticas, ela até se formou como atriz e agora como dramaturga!  Sinto muito respeito pela atuação, sempre que me perguntaram eu disse não (sobre a carreira de atriz). Exceto, na série Vis a Vis, quando me convidaram para fazer uma aparição em um capítulo, e eu adorei. Comecei a fazer aulas de interpretação e a verdade é que adorei essa experiência. Então, porque, não?

Perfil:

Cecilia Krull López 
Nascimento: 1986, em Madri, na Espanha. 
Hobbies: viajar e gastronomia. 
Filme preferido: O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. 
Cantora favorita: Erykah Badu  
Melhor cantor: Stevie Wonder 

Confira mais uma de Cecilia Krull

Crédito - Larissa Valença e Amanda Brandão

Max Everson
Por Max Everson 26/02/2018 - 10:48Atualizado em 26/02/2018 - 10:51

Para acompanhar o lançamento do primeiro DVD da cantora, “Memórias, Crônicas e Declarações de Amor”, chega ao mercado um CD single com as músicas “A Sua”, “Ontem Ao Luar” e uma faixa interativa com videoclipe, e este novo material já está na programação da Som Maior...

Max Everson
Por Max Everson 26/02/2018 - 10:42Atualizado em 26/02/2018 - 10:44

Assim como a música, o fonograma é inédito. O single faz parte da gravação ao vivo que será lançada neste primeiro semestre de 2018 pela gravadora Universal Music com o registro de show feito pelo cantor, compositor e músico carioca em 29 de junho de 2016, no Teatro da UFF, na cidade fluminense de Niterói (RJ). A apresentação foi calcada no repertório do show e disco Zerima, lançado por Melodia em 2014.

Felicidade agora não fazia parte do roteiro original do show Zerima e o single tampouco tem clima de gravação ao vivo. De todo modo, a composição é sedutora. Poucas vezes Melodia lançou uma música de arquitetura tão pop, evidenciada pelo arranjo simples e eficiente. O veludo da voz ainda está lá, embora já sem o viço de tempos idos. Mas o que contagia são a levada e o alto astral da música.

Luiz Melodia – Felicidade Agora é parte da programação da Som Maior

Max Everson
Por Max Everson 26/02/2018 - 10:21Atualizado em 26/02/2018 - 10:23

Integrante dos Titãs que tem o maior número de músicas gravadas em 28 anos de carreira, Sérgio Britto lançou o CD “Purabossanova”.  Seu quarto disco solo traz 12 canções inéditas e diversas participações especiais.  Na música “Como Iguais”, o titã canta com o músico Luiz Melodia.  Já na faixa-título do CD, “Purabossanova”, é a vez de Rita Lee dividir uma música com Britto.  Outra cantora que integra o CD é a sambista Roberta Sá em “Maria (L’autre chienne)”.  O repertório também tem duas regravações de canções internacionais, são elas “Cancion Para Mi Muerte”, do roqueiro argentino Carly Garcia e “Lento (Lento)”, sucesso da cantora norte-americana, de criação mexicana, Julieta Venegas.

Max Everson
Por Max Everson 23/02/2018 - 16:26Atualizado em 23/02/2018 - 16:28

Paula Toller, ex-vocalista do Kid Abelha, lançou nessa quinta-feira (22) a canção “Céu Azul”, regravação de um dos sucessos da banda Charlie Brown Jr.

A nova versão de “Céu Azul” faz parte do seu novo projeto “Como Eu Quero”, que traz releituras de canções de sua carreira solo e grandes sucessos da banda Kid Abelha. Para este ano, Paula Toller promete gravar o DVD de seu projeto, que conta com a produção de Liminha.

Ouça a nova versão de “Céu Azul”

 

Max Everson
Por Max Everson 22/02/2018 - 15:36Atualizado em 22/02/2018 - 15:42

Na última quarta-feira, dia 21, aconteceu a 38ª edição do BRIT Awards, a mais famosa premiação musical britânica. Com apresentação de Jack Whitehall, o palco da Arena O2 em Londres, a recebeu artistas como Justin Timberlake, Liam Gallagher, Dua Lipa e Ed Sheeran.

Entre os vencedores, Lorde foi premiada como Melhor Artista Feminina Internacional, no entanto, a cantora não conseguiu comparecer e mandou um recado agradecendo ao prêmio.

Além disso, Foo Fighters foi consagrado como Melhor Grupo Internacional e Kendrick Lamar como Melhor Artista Masculino Internacional. Dua Lipa foi uma das maiores vencedoras da noite, levando os troféus de  Melhor Artista Feminina Britânica e Revelação do Ano.

Enquanto isso, o single “Human”, de Rag’n’Bone Man recebeu a honraria de Melhor Single Britânico. 

Ed Sheeran recebeu o troféu de “Global Success Award” das mãos de Ronnie Wood, do Rolling Stones. O prêmio foi entregue ao músico por seu desempenho de sucesso ao redor do mundo, sendo definido pela premiação como um dos artistas britânicos mais grandiosos de todos os tempos.

Confira a lista dos vencedores a seguir:

Artista Feminina Britânica - Dua Lipa

Artista Masculino Britânico - Stormzy

Single Britânico - Rag’n’Bone Man – ‘Human’

Grupo Britânico - Gorillaz

Revelação Britânica - Dua Lipa

Vídeo de Artista Britânico - Harry Styles – ‘Sign Of The Times’ (Venceu)

Artista Feminina Internacional - Lorde (Venceu)

Artista Masculino Internacional - Kendrick Lamar

Grupo Internacional - Foo Fighters

Álbum Britânico do Ano - Stormzy – ‘Gang Signs And Prayer’

Max Everson
Por Max Everson 21/02/2018 - 16:01Atualizado em 21/02/2018 - 16:06

O Soft Cell, pioneiro do synth-pop e um dos ícones da década de 80, acaba de anunciar um show de celebração de seus 40 anos.

A apresentação da dupla Marc Almond e David Ball será a primeira em 15 anos e também representará a última, já que eles vendem o evento, programado para 30 de setembro na O2 Arena de Londres, como “show de despedida”.

“Eu sempre senti que o Soft Cell é algo inacabado. Então, este último show será a melhor forma de encerrar o grupo. Será uma declaração real de ‘muito obrigado’ para todos os fãs”, disse Almond num comunicado à imprensa.

O Soft Cell encerou suas atividades em 1984, mas entre 2001 e 2005 realizou uma série de apresentações comemorativas.

O grupo sofreu forte influência de David Bowie em seu início de carreira e entre seus sucessos destacam-se “Torch” e “Tainted Love” (gravado originalmente por Gloria Jones).:

 

Max Everson
Por Max Everson 20/02/2018 - 15:31Atualizado em 20/02/2018 - 15:34

Depois da morte de Dolores O'Riordan, em janeiro deste ano, um questionamento sobre o futuro dos The Cranberries se levantou entre os fãs e admiradores da banda. Depois de processar os acontecimentos e pensar sobre o passo que dariam, os integrantes da banda anunciaram na quinta-feira (15) que vão lançar um novo disco com faixas inéditas na voz da ex-integrante.

O anúncio aconteceu através de uma nota oficial publicada nas redes sociais do grupo. Leia:

O lançamento só será possível porque a banda irlandesa já estava no processo de produção e gravação de seu próximo álbum quando a vocalista da banda foi encontrada morta, aos 46 anos de idade. Ou seja, o processo já estava em andamento e os integrantes da banda apenas resolveram finalizar as faixas que estão com a produção já avançadas. "É isso que ela gostaria que fizéssemos", escreveram.

Embora já tenham anunciado o lançamento do disco, que servirá como uma maneira de homenagear Dolores, os integrantes enfatizaram que ainda não sabem muita coisa sobre o disco - incluindo o número de faixas presentes. "Nós não sabemos quantas faixas vão fazer parte da versão final do álbum agora, mas era o desejo de Dolores que nós terminássemos o álbum e lançasse, então é isto que faremos nos próximos meses", anunciaram.

Os integrantes Noel, Mike e Ferg ainda anunciaram que existem outros projetos dos Cranberries sendo pensados e fecharam o anúncio agradecendo o suporte e mensagens dos fãs durante essa temporada difícil da formação.

"Zombie", uma das faixas mais populares do grupo, foi lançada em 2009 e atualmente se aproxima das 700 milhões de reproduções no canal oficial do grupo no YouTube. Confira:

 

Max Everson
Por Max Everson 20/02/2018 - 15:09Atualizado em 20/02/2018 - 15:13

Eterno ídolo de toda uma geração, que o acompanhou à frente do Nirvana em um movimento que revolucionou o rock, o Grunge, se estivesse vivo, o cantor e guitarrista Kurt Cobain completaria 51 anos nesta terça-feira, 20.

 

Max Everson
Por Max Everson 16/02/2018 - 11:31Atualizado em 16/02/2018 - 11:47

The End of the F ** ing World:

É a mais recente coqueluche do Netflix, com tudo o que isso implica: ser amada por uns e odiada por outros.

Para muitos, The End of the F ** ing World estranha-se, depois entranha-se, para outros, entranha-se assim que se percebe que a história é contada naquele estilo indie absurdo a que as produções britânicas nos têm habituado. 

A série tem sido constantemente comparada a Submarine, de Oliver Tate, ou a Juno que, sendo um filme canadiano/norte-americano, aproxima-se em tudo do género pela abordagem peculiar e o enredo sarcástico.

Jonathan Entwistle é o jovem realizador por trás desta produção. Aluno do movimento cinematográfico de Chelsea, aos 33 anos, o seu repertório conta essencialmente com curtas-metragens e trabalhospublicitários. Entre eles está também TEOTFW – para The End of the F *** ing World –, mini-filme televisivo de 2014 que acabou por servir de episódio-piloto da série. Na altura, o filme foi protagonizado por Craig Roberts, ironicamente, o imberbe protagonista de Submarine, acima referido. Mas em 2017, o elenco da série também não desilude, antes pelo contrário, é grande parte do seu sucesso.

The End of the F ** ing World conta-nos a história de James, um jovem de 17 anos que acredita ser psicopata e que tem o sonho de matar alguém, e de Alyssa, uma colega de turma rebelde, mal humorada, que vê em James uma hipótese de escapar da sua actual vida pessoal. 

Alyssa parece ser a vítima perfeita para James, James parece ser a companhia ideal para Alyssa escapar à sua rotina aborrecida.

A série é uma adaptação do livro de banda desenhada de Charles Forsman com o mesmo nome, que já tinha tido uma versão televisiva, mas nem de perto com este sucesso. Talvez por ter Charlie Covell responsável pelo argumento. A actriz britânica é uma autêntica revelação a atacar e reinterpretar a obra de Forsman. 

Talvez seja pela fotografia ou pelo facto de a banda sonora ser maravilhosa e da autoria do co-fundador dos Blur, Graham Coxon. The End of the F *** ing World tem uma pontuação de 100% no Rotten Tomatoes e desde que chegou ao Netflix que a imprensa especializada não tem feito mais nada a não ser especular acerca de uma segunda temporada.

Você pode até não gostar da série, com capítulos rápidos de no máximo 20 minutos, mas lhe garanto que a trilha sonora é algo que faz voce se perguntar "wow, qual será a próxima?!?"

ficou curioso(a)...então ouça! lembrando que algumas delas também pode-se ouvir na programação aqui da Som Maior no Programa Som Maior NO AR.

 

Max Everson
Por Max Everson 15/02/2018 - 16:41Atualizado em 15/02/2018 - 16:43

A cantora italiana Laura Pausini anunciou que sua turnê mundial passará pelo Brasil em agosto. Ela fará cinco apresentações em quatro capitais do país:

São Paulo: 20 e 21 de agosto, no Citibank Hall
Brasília: 23 de agosto, no Teatro Guimarães
Recife: 25 de agosto, no Classic Hall
Curitiba: 27 de agosto, no Teatro Positivo


Vencedora de um Grammy em 2006 e uma das cantora mais populares de seu país, Pausini lançará em 16 de março "Fatti Sentire", seu 14º álbum de estúdio. Em janeiro, a cantora divulgou o single "Non È Detto" .

Os primeiros shows da turnê acontecerão em julho no Circus Maximus, tradicional arena da Roma Antiga, na Itália. Pausini será a primeira mulher a se apresentar no palco, que já recebeu Rolling Stones e Bruce Springsteen.

Para promover o disco, ela passará ainda por México, Guatemala, Costa Rica, Equador, Peru, Argentina, Chile, Estados Unidos e outros países da Europa.

Para os shows em São Paulo, ingressos começarão a ser vendidos em 23 de fevereiro, pelo site da Tickets for Fun, em pontos de venda e na bilheteria oficial. Preços vão de R$ 60 a R$ 700.

Max Everson
Por Max Everson 15/02/2018 - 16:22Atualizado em 15/02/2018 - 16:26

Na última quarta-feira (14), o Metallica foi anunciado como vencedor Polar Music Prize 2018, através do site da premiação.

O prêmio equivale ao Nobel da música, que reconhece os artistas como músicos excepcionais. Entre os músicos que já foram contemplados com o troféu temos o Pink Floyd, Sting, Paul Simon, Bob Dylan e Gilberto Gil. Leia o anúncio:

 “O Polar Music Prize de 2018 é condecorado à banda americana Metallica. Não desde as turbulênciais emocionais de Wagner e os canons de Tchaikovsky alguém criou música que fosse tão física e furiosa, e ainda assim acessível. Entre conjuntos virtuosos tocando e o uso de tempos extremamente acelerados, Metallica levou o rock para lugares que jamais tinha alcançado. No mundo do Metallica, tanto um adolescente em seu quarto quanto um hall de concerto podem ser transformados em Valhalla. A força dos discos intransigentes da banda ajudaram milhões de ouvintes a transformarem o seu senso de alienação em um super poder.”

“Isso nos coloca em uma posição bastante distinta“, contou o baterista do grupo, Lars Ulrich, à BBC. “É uma grande validação de tudo que fizemos nos últimos 35 anos. Ao mesmo tempo, nos sentimos em nosso auge com todos os bons anos que ainda temos pela frente.”

Além do reconhecimento, os vencedores ainda ganham um prêmio em dinheiro de 90 mil libras, que o Metallica irá designar ao seu projeto de caridade, All Within My Hands, que auxilia com suprimentos de comida, amparos para desastres e terapia musical.

Recentemente, foi divulgada a primeira imagem de James Hetfield atuando. Ele fará a sua estreia como ator no filme “Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile”, longa biográfico sobre o serial killer Ted Bundy.

Metallica também faz parte da programação da Som Maior (sim), assim como Guns N' Roses, Iron Maidem, Jethro Tull, Rolling Stones, Led Zeppelin, Credence Clearwater, entre outros e você pode ouví-los depois da reprise do Programa do Avesso as 22:00 Horas.

Max Everson
Por Max Everson 15/02/2018 - 16:09Atualizado em 15/02/2018 - 16:11

Seafret é um duo britânico que faz as músicas perfeitas para a trilha sonora da sua vida indiferente do momento.

Formado por Jack Sedman e Harry Draper, garotos se conheceram em um bar durante uma noite de “microfone aberto” e juntaram seus talentos sem pretensões, apenas para fazer música. O que vem dando certo. O primeiro lançamento aconteceu em 2014, com o EP “Give Me Something”.

Logo na sequência, em 2015, veio “Oceans” com mais cinco músicas inéditas e um estouro mundial da faixa título, que ganhou videoclipe com a participação da atriz Maisie Williams. Todo esse trabalho resultou no primeiro álbum de estúdio “Tell Me It’s Real”, divulgado em janeiro de 2016.

Entre shows esgotados e participações em festivais, os britânicos já voltaram ao estúdio para produzir o próximo disco e logo devem chegar com novidades. Apesar de navegarem dentro de um cenário tão extenso como o indie, o Seafret se destaca com sensibilidade e melodias cativantes, encaixando suas músicas em todos os momentos da vida de cada um.

Seafret é o seu cotonete nesta quinta feira, e já está na programação da Radio Som Maior no programa Som Maior No Ar.

quer ouvir o albúm dos caras?

 

Max Everson
Por Max Everson 14/02/2018 - 10:58Atualizado em 14/02/2018 - 11:01

Bom dia, boa tarde ou boa noite, bem vindo ao Cotonete do Max.

conhece Piedade Fernandes?

 

Max Everson
Por Max Everson 12/02/2018 - 16:24Atualizado em 12/02/2018 - 16:26

Foi divulgado, no youtube, o trailer sobre o álbum colaborativo “Johnny Cash: Forever Words”. Ele será feito com poesias e trechos de músicas que foram escritas anteriormente pelo astro do country.

Um dos artistas que estará no disco é Chris Cornell. A faixa “You Never Knew My Mind” foi uma das últimas gravações feitas pelo cantor antes de falecer.


Além dele, “Johnny Cash: Forever Words” terá a participação de Ruston Kelly & Kacey Musgraves, Rosanne Cash, Alison Krauss & Union Station, Brad Paisley, Kris Kristofferson & Willie Nelson, John Mellencamp, Elvis Costello, entre outros. O álbum será lançando no dia 6 de abril pela gravadora Legacy Record, uma divisão da Sony.

A produção do disco foi feita por John Carter Cash, filho do cantor.

 

Tags: NoAr Johnny Cash

Max Everson
Por Max Everson 12/02/2018 - 16:19Atualizado em 12/02/2018 - 16:21

“50 Tons de Liberdade” é o terceiro e final filme da franquia, escrito pelo autor E. L. James. Com direção de James Foley, Dakota Johnson e Jamie Dornan estão novamente no papel dos protagonistas. Como de costume, a trilha sonora do longa foi composta por canções originais feitas especialmente para ele. Sua estreia nos cinemas brasileiros será nesta quinta-feira (08), clique aqui para assistir o trailer.

 Após se casarem, Anastasia e Christian tem o relacionamento dos sonhos: muito amor, dinheiro e intimidade. No entanto, Jack Hyde (Eric Johnson) e Elena Lincoln (Kim Basinger) voltam a incomodar o casal.

Deer In Headlights – Sia

Sia é uma cantora e produtora musical australiana. Cantando desde 1997 mas sem obter muito sucesso, ela lançou três discos e resolveu se dedicar a escrever canções. “Titanium” , “Diamonds” e “Wild Ones” foram algumas de suas composições de maior sucesso. Em 2014, com o lançamento do disco “1000 Forms of Fear”, a cantora alcançou o topo das paradas musicais e conseguiu fazer com que seus singles se tornassem hits.


Capital Letters – Hailee Steinfeld feat. Bloodpop

Hailee Steinfeld é uma atriz e cantora americana. Estrelou em filmes como “Mesmo Se Nada Der Certo” e “Pitch Perfetc 2”, já tendo sido indicada a um Oscar e Globo de Ouro. Alguns de seus recentes singles (“Let Me Go” e “Starving”) alcançaram boas posições nas paradas musicais.

Michael Tucker mais conhecido como BloodPop, é um músico, produtor e compositor. Já trabalhou com Lady Gaga e Justin Bieber, tendo lançado recentemente sua colaboração com o cantor no single “Friends”.


For You – Liam Payne feat. Rita Ora

Liam Payne é um cantor britânico, mais conhecido por fazer parte da boyband One Direction. Depois de 6 anos bem sucedidos com o grupo, Liam investiu em sua carreira solo e lançou seu disco de estreia. O single carro-chefe do material, “Strip That Down”, foi bem recebido pelo público.

Rita Ora é uma cantora e atriz inglesa, que começou a ganhar reconhecimento do público em 2012, mesmo ano em que lançou seu álbum de estreia. O disco fez extremo sucesso no Reino Unido, fazendo dela a maior artista com single #1 nas paradas da época.


High – Dua Lipa feat. Whethan

Dua Lipa é uma cantora, compositora e modelo britânica. Iniciou sua carreira aos 14 anos, mas somente em 2015 assinou um contrato com a Warner Music Group. Dois anos depois, Dua lançou seu álbum de estreia e conseguiu alavancar 3 singles nas paradas musicais, sendo um deles a popular “New Rules”, que alcançou o primeiro lugar.

Heaven – Julia Michaels 

Julia Michaels é uma cantora e compositora americana, que iniciou sua carreira escrevendo canções para grandes artistas como Selena Gomez, Demi Lovato e Gwen Stefani. Em 2017 ela lançou disco de estreia, alavancando o hit “Issues”, chegando a lhe render um certificado de platina triplo. Julia também foi indicada ao Grammy e diversas outras premiações.

 

Tags: NoAr 50 tons

Max Everson
Por Max Everson 08/02/2018 - 14:41Atualizado em 08/02/2018 - 14:47

Além de ter uma carreira bem-sucedida que lhe rendeu 28 prêmios do Grammy, o empresário musical Quincy Jones, de 84 anos, também se destaca pelas polêmicas que o envolvem.

Recentemente, Jones deu uma entrevista ao site "Vulture" e à revista "GQ" e acusou Michael Jackson de ter roubado várias músicas.

"Odeio falar sobre isso publicamente, mas Michael Jackson roubou muita coisa. Ele roubou muitas canções. "State of independence" (de Donna Summer) e "Billie Jean". As notas musicais não mentem. Ele era maquiavélico (...) Ganancioso, ganancioso. "Don't stop till you get enough", Greg Phillinganes (tecladista) escreveu uma parte."

O possível furto de canção não foi o único assunto em que Michael Jackson estava envolvido. De acordo com Quicy, Michael já tentou atropelar outro astro do pop, o cantor Prince:

"(Sobre um show de James Brown com Prince e Michael Jackson como convidados). Foi um confronto de estrelas que foi visto como um triunfo para MIchael Jackson e uma rara humilhação para Prince. (O repórter pergunta se eles se falaram após o show). Ah sim, eles se falaram. Ele esperou na limousine e tentou atropelar Michael, La Toya e sua mãe."

Até mesmo a lendária banda inglesa, The Beatles, não ficou de fora dos comentários do veterano: [Minha primeira impressão dos Beatles] foi de que eles eram os piores músicos do mundo. Eles eram f** da p*** que não tocavam. Paul é o pior baixista que eu já ouvi. E Ringo? Nem me fale. Eu me lembro no estúdio com George Martin, Ringo levou três horas para uma música de quatro compassos. Ele não conseguia. (Quincy afirma que um músico de jazz foi chamado e gravou em 15 minutos e depois Ringo ouviu a música pronta). Ringo disse: 'Até que não ficou tão ruim'. E eu disse: 'Claro, filh** da p***, porque não é você'. Ele é um cara legal, mesmo assim".

 

Max Everson
Por Max Everson 07/02/2018 - 15:58Atualizado em 07/02/2018 - 16:03

Ana Clara Caetano e Vitória Falcão, as meninas que formam o duo Anavitória, não têm lá tanta experiência com o carnaval, mas prepararam um EP sobre o tema. As meninas são de Araguaína, norte do Tocantins.

Para o EP, Anavitória escolheu regravar três músicas dos anos 1990. “Vem Meu Amor”, “Me Abraça” e “Baianidade Nago”. As duas primeiras, por serem faixas que as cantoras ouviam quando mais jovens. Já a última “decidiu por si só” estar no álbum:

“Ela foi descartada de primeira. No estúdio a gente ia fazer outra, mas não deu certo. Então ficou uma música faltando. Colocamos ela e, no fim, ficou como nossa favorita”, conta Ana.
A quarta faixa do disco, “Clareiamô”, é parceria com Saulo Fernandes. “A ideia de gravar com ele existiu antes de a música existir. Estávamos em Portugal conversando e surgiu a ideia. No final do ano, estávamos buscando a música, queríamos uma inédita. E a Vi me mandou áudio com a letra. Aí dei um formato para a música. E Saulo terminou no estúdio”, relembra Ana.

As duas deram leveza para as faixas, trazendo até uma levada de bossa nova para “Baianidade nagô”. O álbum ficou mais com cara de quem quer relaxar no carnaval. Para quem curtiu os anos 1990 na folia, mas não tem mais pique para os blocos e desfiles, é uma boa.

 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13