Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Criciúma lamenta empate, mas precisa comemorar quatro jogos de invencibilidade

Tigre ficou duas vezes na frente do placar, mas soube segurar o resultado. Mazola Júnior não perde há quatro rodadas. Tricolor está em penúltimo lugar na Série B
Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 17/06/2018 - 10:55Atualizado em 17/06/2018 - 11:00

Poderia ser mais

Uma vitória deixaria o Criciúma em 15º lugar. O empate ou derrota daria ao Tigre a penúltima posição. E foi justamente o empate que aconteceu diante do Oeste-SP. Sem dúvida, ficou um gostinho de quero mais. O time de Mazola Júnior esteve duas vezes a frente do placar e não soube segurar o resultado. Faltou concentração na defesa, embora tenha sobrado inspiração para os jogadores de marcação na frente. Liel e Nino fizeram belos gols e supriram a noite nada inspirada de Zé Carlos e João Paulo. Teve ainda a lesão de Elvis e a expulsão de Alex Maranhão. O ataque do Tigre realmente não teve uma noite feliz. É natural essa oscilação. Agora, é esperada uma melhor apresentação do conjunto tricolor diante do Brasil-Pe, na quinta-feira, dia 21, no Bento Freitas.

 Empate em Barueri aumentou para quatro jogos a invencibilidade da equipe carvoeira (Foto: Jefferson Vieira)

Boa campanha

As cinco derrotas com o técnico Argel Fucks não podem jogar pressão em cima do trabalho de Mazola Júnior. O novo treinador faz uma boa campanha. Tem números satisfatórios: duas vitórias, três empates e apenas uma derrota. É uma campanha que colocaria o time na briga pelo acesso. Mas como a equipe só perdeu nas cinco primeiras rodadas, esses quatro jogos sem perder ainda não colocam o Tricolor fora do Z-4. O jogo contra o Brasil-Pe é um confronto direto da turma de baixo. Lá a história é outra. O Estádio Bento Freitas deverá estar lotado e com apoio maciço da torcida xavante.

Nino recuperado

Um gol marcado e a uma boa atuação na parte defensiva. Nino prova que está recuperado daquela noite infeliz em que anotou um gol contra, diante do CSA-AL. De lá pra cá surgiram algumas dúvidas sobre o defensor, mas que com as últimas atuações provam que Nino logo recuperou a boa fase.

Começo nada bom

É normal um jogador não se adaptar logo de cara. E Ralph também foi colocado numa fogueira, jogando improvisado do na lateral-direita, na vaga de Sueliton. São justificativas que amenizam as críticas sobre o jogador, mas é importante salientar que a expectativa em torno do rendimento dele não está sendo alcançada.

E o Sandro?

Se Mazola Júnior não enxerga em Carlos Eduardo o potencial de marcação necessário para jogar na lateral, o treinador poderia muito bem ter optado pelo zagueiro Sandro, logo que Sueliton se lesionou. É fácil tecer comentários depois do jogo encerrado, mas fica o aprendizado. Enquanto a tal da grade não é preenchida, especialmente na lateral, um zagueiro pode ser deslocado para a posição, ainda mais quando o adversário tem um meia-atacante atacante tão perigoso como Mazinho.

Destaque A Tribuna

A utilização do árbitro de vídeo está mais que aprovada. Bastaram alguns jogos na Copa do Mundo para todos concordarem sobre a importância do VAR. Especialmente nos jogos entre França e Austrália, e Peru contra a Dinamarca, o recurso ajudou a colocar justiça no placar. Torcemos para que a CBF não use o VAR apenas na Copa do Brasil, mas em todas as competições nacionais importantes. E que isso siga no calendário do ano que vem. A CBF tem dinheiro para arcar com as despesas. É um investimento importante. Quem sabe assim, o tal do Coronel Nunes, presidente da entidade, se redime das últimas lambanças.

Nota Zero

Excesso de vontade. É a única explicação para a expulsão do meia Alex Maranhão. O jogador só não comprometeu ainda mais a equipe porque o cartão vermelho foi recebido já no final da partida. É um lance que merece uma conversa especial com o atleta. E o Criciúma, hein? Já são seis expulsões na Série B. Que fase!!

4oito

Deixe seu comentário