Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Alívio ou alegria?

Pela quarta temporada na era Dal Farra, Tigre não conquistou acesso e ficou satisfeito em evitar a queda
Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 26/11/2018 - 08:45Atualizado em 26/11/2018 - 09:05

Alívio ou alegria?

Escapar do rebaixamento gerou um misto de alívio e alegria no Criciúma. São sentimentos distintos, mas que acompanharam o torcedor carvoeiro após o jogo contra o Sampaio Corrêa-MA. Não se pode esquecer também a agonia que foram os 10 minutos onde o time rondou a zona de rebaixamento, com a vitória parcial do Paysandu-PA contra o Atlético-GO. No final das contas, o Tigre venceu, o Papão perdeu, e o time de Mazola Júnior conseguiu evitar um desastre. Pouco a comemorar, é verdade, mas ter ficado fora do Z-4 diminui bastante a pressão em cima da atual diretoria.

“Fora, Dal Farra”, gritou o torcedor

Evitar a queda não diminuiu o ressentimento da torcida tricolor com o presidente Jaime Dal Farra. Mesmo depois da permanência encaminhada, o torcedor entoou cantos contra o mandatário. Dal Farra assumiu o clube em 2015 e desde então o time nunca conseguiu brigar efetivamente por um acesso. Teve até perigo de rebaixamento no Estadual deste ano.

Mazola não deve ficar

O sentimento que cerca o futuro de Mazola Júnior é de que o treinador não deve ficar no Criciúma. Mesmo com o discurso de defesa ao presidente Jaime Dal Farra, na coletiva pós-jogo, está evidente um desgaste na relação com o clube. A distância da família, o investimento pífio do clube, a queda de produção da reta final da Série B, são fatores que encaminham uma situação de saída do comandante. Como o próprio Mazola disse na Sala de Imprensa Clésio Búrigo, “o mais correto seria acertar primeiro com o diretor de futebol”.

Cadê o diretor de futebol?

Terminou a Série B e ninguém do Criciúma foi fazer um balanço ou prospectar a próxima temporada. É uma maneira quase que amadora de gerir o clube. Exceto o presidente Jaime Dal Farra, que concedeu algumas entrevistas ainda no gramado, e o superintendente Robson Izidro, que participou da transmissão do Futebol Som Maior, mais ninguém falou. E após a partida somente o técnico Mazola e o lateral-esquerdo Marlon atenderam à imprensa, fora também as entrevistas protocolares ainda no gramado. Inexplicavelmente, Nei Pandolfo não apareceu mais uma vez. Vontade própria ou ordem da direção? Tem muita coisa que precisa ser explicada pela diretoria.

Base do Tigre

E a base do Criciúma pode ter um bom desfecho de 2018. Briga hoje pelo título da Copa Sul Sub-19, competição criada pela FCF, e pode ainda faturar o título dos Estaduais Sub-17 e Sub-15. Quem ficou devendo esse ano foi o Sub-20.

Final dos sonhos

O Campeonato Regional da LARM terá a “final dos sonhos”. Sem desmerecer as outras equipes, uma decisão entre Metropolitano e Caravággio coloca frente a frente as duas agremiações que mais investem no futebol amador da região. Recentemente, o Metrô goleou o adversário por 7 a 1, nas quartas-de-final da Copa Sul dos Campeões. Sentimento de revanche para o Caravággio.

Destaque A Tribuna

A Taça Francisco Milioli Neto conheceu o grande campeão neste domingo. E foi o Brusque, que derrotou o Hercilio Luz de Tubarão, nos pênaltis. A equipe do Vale do Itajaí irá representar o Estado na Copa do Brasil. Amanhã acontece a grande festa da premiação da Copinha, na FCF, em Balneário Camboriú.

Nota Zero

A torcida do River Plate-ARG, a segurança pública da Argentina e a Conmebol protagonizaram a grande vergonha do ano no futebol mundial. Houve falhas na segurança, uma atitude sem precedentes da torcida do River e uma falha no contorno dos problemas por parte da entidade máxima do futebol sul-americano. Amanhã tem um julgamento no Paraguai, que pode dar o título ao Boca Juniors, via “tapetão”. Vergonha!!

 

4oito

Deixe seu comentário