Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O último ano do Catarinense na TV aberta

Presidente da FCF, Rubens Angelotti, reconhece que o Estadual sempre foi deficitário
Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/12/2018 - 13:28Atualizado em 24/12/2018 - 13:42

Se as contas nunca foram lá muito empolgantes para os clubes disputarem os campeonatos estaduais, o cenário deve piorar para 2020. É que a próxima temporada deve ser a última dos campeonatos estaduais em TV aberta. "Ao que tudo indica, é o que vai acontecer", confirmou o presidente Rubens Angelotti, da Federação Catarinense de Futebol (FCF), ao participar do Debate Aberto desta segunda-feira na Rádio Som Maior.

Ao reconhecer que o Estadual sempre foi deficitário, Angelotti rec onhece um cenário ainda mais grave então. Ocorre que há um contrato em vigor, no caso do Catarinense, com a NSC TV, firmado no ano passado e com validade de quatro anos. "Porém, existe uma cláusula pela qual eles podem romper já no ano que vem", revelou o presidente.

O Criciúma e os demais clubes do mesmo patamar - Chapecoense, Avaí, Figueirense e Joinville - recebem R$ 500 mil como cota de TV pelo Estadual. A expectativa agora está na consolidação da FC Play, sistema de pay-per-view via internet que vai para o segundo ano de transmissões. Fará, inclusive, uma cobertura muito mais maciça que a NSC, que ficará restrita a um jogo por rodada, e somente a partir da segunda rodada. Na primeira, não transmitirá jogos.

"Fora o Paulista, a Globo está optando por não adquirir mais Estaduais a partir de 2020. Com a Globo desistindo, os campeonatos vão ficar ainda mais inviáveis", apontou Angelotti, visivelmente preocupado.

Foto: Denis Luciano / 4oito

Esse é outro fator que colabora para a oposição do dirigente à ideia de um inchaço do Estadual para doze clubes, conforme se aventou nesse ano. "Não tem como. Sem TV fica ainda mais complicado, e a CBF deve reduzir o número de datas para 14 no ano que vem", acrescentou. "E no nosso caso colocar 12 na Série A enfraqueceria a Série B, que hoje está boa", opinou. Assim, as próximas temporadas vão continuar com dez clubes na elite, dez na B e a C vai crescer. "Devemos ter uns doze clubes no ano que vem, mesmo com um caderno de encargos mais rigoroso", projetou.

O Catarinense de 2019 começa no dia 16 de janeiro com os jogos Tubarão x Hercílio Luz e Brusque x Joinville. O Criciúma estreia no dia seguinte, em casa, contra o Figueirense.

Ouça, no podcast abaixo, o bate papo que tivemos com João Nassif, Rubens Angelotti e Róbson Izidro.

 

4oito

Deixe seu comentário