Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

O ex-Tigre que decidiu o turno do Gaúcho

A façanha do veterano Diogo Oliveira, o destaque do time que sonha com a Série C
Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/02/2020 - 10:58Atualizado em 24/02/2020 - 11:04

O campeonato nacional que o Criciúma lamenta disputar em 2020 é o sonho de consumo do time que, no último sábado, sagrou-se campeão do primeiro turno do Gauchão. O Caxias surpreendeu, venceu o Grêmio por 1 a 0 e com excelente campanha - cinco vitórias, um empate e apenas uma derrota - está garantido na decisão. Espera por Grêmio, Inter ou outro que venha a vencer o segundo turno, que começa no próximo sábado.

O Caxias vai disputar a Série D. No ano passado quase alcançou o acesso à Série C. Esbarrou no mata-mata com o Manaus, que acabou despachando os gaúchos e garantindo a promoção. Depois de bater na trave em 2019, o grená entra com moral na quarta divisão deste ano. Caso o Criciúma não consiga voltar à Série B nesta temporada, não será surpresa se os dois times se encontrarem no Campeonato Brasileiro de 2021.

Diogo Oliveira fez o gol do título do turno do Gauchão pelo Caxias contra o Grêmio

Um detalhe interessante da conquista do Caxias no sábado: o gol da vitória no estádio Centenário foi do meia Diogo Oliveira, 38 anos, três anos mais velho que o técnico Rafael Lacerda. O veterano meia, uma das lideranças do elenco do Caxias, já jogou no Criciúma. Ele encarou uma Série C pelo Tigre. Em 2010, veio do Brusque para ser um dos bons nomes do time comandado pelo técnico Argel Fucks - então em sua primeira passagem pelo tricolor - e fez parte daquela campanha do acesso. Diogo Oliveira disputou 11 jogos daquela campanha e marcou um gol, no empate em 1 a 1 que rebaixou o Juventude - grande rival do Caxias - para a Série D na última rodada da primeira fase. A Série D estava estreando naquela temporada.

Diogo Oliveira ainda ficou no Criciúma em 2011, jogando Série B e Catarinense, e começou a temporada de 2012, na arrancada da Copa do Brasil, deixando o clube na sequência. Ele não ficou para fazer parte do elenco que, ainda em 2012, recolocou o Criciúma na Série A do Brasileiro. Depois do Tigre ele rodou por Veranópolis (RS), Rio Branco (AC), Joinville, Brasil de Pelotas, Paysandu e São Bento.

Diogo Oliveira nos tempos do Criciúma, em 2010

Enquanto o Caxias e Diogo Oliveira comemoram o título do turno do Gauchão e uma vaga na final do Estadual, o Criciúma faz campanha mediana no Catarinense, lamenta uma eliminação logo na estreia da Copa do Brasil - tomou 4 a 1 do Santo André enquanto o Caxias quase despachou o Botafogo, empatando em 1 a 1 em casa - e, na contagem regressiva para o Brasileiro, as pespectivas do clube gaúcho são melhores que as do Tigre, embora o Criciúma esteja um degrau acima na hierarquia das divisões.

4oito

Deixe seu comentário