Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

O caso da passageira multada em R$ 1,2 mil

Incidente foi em Florianópolis. Em Criciúma, ônibus seguem com baixo movimento
Denis Luciano
Por Denis Luciano 24/06/2020 - 17:33Atualizado em 24/06/2020 - 17:35

Criciúma está, hoje, no décimo quarto dia de transporte coletivo operando nas ruas, depois da retomada mediante as regras de combate ao novo coronavírus. Mas os usuários ainda não voltaram. São cerca de 6,2 mil passageiros por dia, um salto muito sutil em relação à semana passada. "Está muito fraco mesmo o movimento, aquém da nossa expectativa", confirma o presidente da Associação Criciumense de Transporte Urbano (ACTU), Everton Trento.

Desses 6,2 mil, cerca de 5,7 mil passageiros são pagantes. "Essa arrecadação segue não pagando o óleo diesel da frota", observa, contabilizando os prejuízos que as empresas estão arcando para manter os ônibus operando, mesmo com horários reduzidos. A frota continua nas ruas de segunda a sexta-feira, das 6h30min às 8h30min, das 11h às 13h30min e das 17h às 19h30min, e aos sábados das 7h às 8h30min e das 11h30min às 13h30min.

Completando as duas semanas de retomada do serviço, a expectativa da ACTU agora reside na próxima semana. "Com a virada do mês, temos nova expectativa de reação", comenta Trento. Não há reunião programada, pelo menos por enquanto, com a prefeitura, embora o prefeito Clésio Salvaro tenha chamado diversos segmentos para conversar sobre providências relacionadas à pandemia nesta quarta-feira, 24. Passaram pela prefeitura, em várias rodadas de reuniões, representantes de bares e restaurantes, academias e igrejas, entre outros. O transporte coletivo vai seguindo como está.

Passageiros estão usando máscaras

É entendimento que os passageiros, em linhas gerais, estão respeitando as regras. "Não tivemos problemas maiores. Um que outro caso de alguém que esquece de colocar a máscara mas logo que é advertido, põe", comenta o presidente da ACTU.

Um problema neste sentido aconteceu em Florianópolis nesta quarta à tarde. O jornalista Raphael Faraco, da NSC, contou via Twitter o caso de uma passageira que embarcou em um ônibus, negou-se a usar a máscara e forçou a parada do ônibus. Depois, em nova viagem, a mesma insistiu na mesma infração e acabou multada em R$ 1.250. "Aqui em Criciúma não tivemos ocorrências assim", confirma Trento. Abaixo, o relato do caso de Floripa:

Aí a passageira pega o ônibus no centro p/ o sul da ilha. E se recusa a usar máscara e a sentar na janela. Mesmo com o pedido dos fiscais e dos outros passageiros. Guarda Municipal e PM acionadas. Depois de 10 min de “negociações”, ela “aceita”. Mas não foi só isso... acredite:

 

No terminal do Rio Tavares, quando embarcou em outro ônibus, se recusou de novo e outra confusão. Mais 20 min de conversa com guardas e policias. E os passageiros “disciplinados” tiveram que seguir viagem em outro ônibus. É INACREDITÁVEL!! Acabou multada em R$ 1.250,00.

A fatalidade

Na conversa com a redação do 4oito nesta tarde, o presidente da ACTU comentou, também, o acidente do fim da tarde desta terça-feira, 23, no qual um jovem de 13 anos morreu atropelado por um ônibus amarelinho no corredor da Avenida Centenário. "Foi uma tragédia, uma fatalidade. Nos solidarizamos com a família, com os amigos. Foi muito triste", lamenta. Ele assegurou, também, cuidados especiais psicológicos para com o motorista envolvido na ocorrência. "Já tivemos outros casos assim também, de motoristas envolvidos nessas fatalidades que sofrem muito, precisam de atenção psicológica diferenciada", conta.

4oito

Deixe seu comentário