Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

"Fora Cavalo", protesto no Heriberto Hülse

Técnico do Criciúma é alvo de manifestação pichada em um dos portões do Majestoso
Denis Luciano
Por Denis Luciano 07/08/2020 - 08:54Atualizado em 07/08/2020 - 08:55

Algum torcedor, certamente inconformado com a fase do Criciúma, mirou no técnico Roberto Cavalo. Foi o que ficou claro com a pichação "Fora Cavalo" vista no estádio Heriberto Hülse a partir da noite desta quinta-feira, 6, na altura do portão 9, o que dá acesso ao time visitante ao Majestoso, pela Rua Almirante Barroso.

A pichação foi feita horas depois da desclassificação do Criciúma na semifinal do Campeonato Catarinense, com a derrota para a Chapecoense nos pênaltis, após a vitória por 1 a 0 no tempo normal da partida de quarta-feira, 5.

Foto: Roberto Lima / Carvoeiro Doente / 4oito

O Criciúma terminou o Campeonato Catarinense em terceiro lugar. Longe de ser um consolo, mas acabou à frente de rivais que estão na Série B, como Avaí e Figueirense, enquanto ele, Tigre, encara a Série C a partir da próxima segunda-feira, 10.

O momento não é dos melhores. Com investimento tímido, sem jogadores conhecidos, o Criciúma entra na Série C como uma verdadeira incógnita. É candidatíssimo a uma vaga no acesso para retornar à Série B por conta do peso da camisa, mas o time não transmite essa confiança. Os altos e baixos no Estadual e as dificuldades vistas no retorno pós pandemia, nos jogos contra Marcílio Dias e Chapecoense, provam isso. Nesse momento, o Tigre não é candidato ao acesso. Terá que provar o contrário dentro de campo.

E Roberto Cavalo? Está em sua terceira passagem pelo Criciúma. É homem de confiança do presidente Jaime Dal Farra. Logo, se não ocorrer algo muito trágico, ele será o técnico até o fim da temporada, quando encerra a parceria do Tigre com a GA. Terá na Série C sua última chance de dar uma volta por cima em uma trajetória que é, no mínimo, acidentada.

Roberto Cavalo no Criciúma
Total - 106 jogos, 40 vitórias, 28 empates e 38 derrotas
Aproveitamento - 46,5%
Dados - Meu Time na Rede

Assumiu a atual passagem no fim de setembro passado. No dia 28 daquele mês, venceu o Botafogo (SP) por 2 a 0. Ele chegou para apagar incêndios e tentar salvar o Criciúma do rebaixamento à Série C, o que não conseguiu. Conseguiu, isto sim, algo raro: caiu e ficou, começando 2020 com um instável Catarinense e sendo eliminado tomando uma goleada logo na estreia da Copa do Brasil contra o Santo André.

Roberto Cavalo em 2019 e 2020

28 jogos, 8 vitórias, 12 empates e 8 derrotas
Aproveitamento - 42,8%

Na segunda passagem, entre 2015 e 2016, foi ele o primeiro técnico da era Dal Farra. Salvou o Criciúma do rebaixamento na B e saiu na temporada seguinte, abatido por denúncias graves feitas por um blog, denúncias que conforme o próprio Cavalo "deram em nada, já que nada foi provado efetivamente contra ele". Na época, Cavalo foi denunciado pelo Blog do Paulinho de embolsar recursos por escalar jogadores no Criciúma. Saiu sob forte pressão, passou um tempo no Oeste e no Botafogo (SP) retornando menos de três anos depois.

Roberto Cavalo em 2015 e 2016

69 jogos, 30 vitórias, 13 empates e 26 derrotas
Aproveitamento - 49,7%

A primeira passagem de Cavalo no Criciúma foi em 2007, com o presidente Moacir Fernandes, durante a Série B daquele ano.

Roberto Cavalo em 2007

9 jogos, 2 vitórias, 3 empates, 4 derrotas
Aproveitamento - 33,3%

4oito

Deixe seu comentário