Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Depois de 98 dias, Criciúma abandona o Z-4

Mas não foi fácil. Com um time inteiro de desfalques, o 1 a 0 veio graças a uma alteração e um lance de oportunismo de um volante que se revelou como zagueiro
Denis Luciano
Por Denis Luciano 28/07/2018 - 22:50Atualizado em 28/07/2018 - 22:58

No dia 21 de abril - um feriado que caiu num sábado - o Criciúma perdia em casa para a Ponte Preta por 1 a 0 e, logo na segunda rodada da Série B, despencava para a zona de rebaixamento. Chegou a lanterna na sétima, oscilou entre penúltimo e antepenúltimo na maior parte do tempo e neste sábado, exatos 98 dias depois, deixou o Z-4.

A agonia tricolor durou mais de três meses. Mas com o resultado de hoje, 1 a 0 sobre o Vila Nova no Heriberto Hülse, o Criciúma subiu apenas para décimo sexto. Logo, é o último dos que estão escapando. Mas é um fôlego, um fim de semana de alívio depois de tanta tensão acumulada.

Nicolas foi titular contra o Vila / Fotos: Caio Marcelo / Criciúma EC

Quis o destino que o Criciúma saísse do descenso no dia em que o rival Joinville foi rebaixado à Série D. E no dia em que Mazola Júnior não esteve na área técnica, logo ele, o técnico que assumiu o time em último sem um ponto sequer na sexta rodada. Ou seja, todos os 20 pontos conquistados pelo Tigre foram com Mazola, e em 14 rodadas.

Outra atuação segura de Eduardo / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

A montagem do time foi um verdadeiro jogo de xadrez. A começar pelo desfalque do técnico. Mazola, suspenso, deu lugar ao auxiliar Marcelo Dias. E a lista imensa de desfalques teve o goleiro Luiz, o lateral Sueliton, os zagueiros Nino, Fábio Ferreira e Sandro, o meia Luiz Fernando e os atacantes João Paulo e Zé Carlos.

Belliato estreou no gol. Seguro. Não foi exigido pelo Vila Nova, e quando precisou de alguma intervenção, demonstrou tranquilidade. Luiz não fez falta. O goleiro sentiu um desconforto muscular hoje cedo, e acabou vetado. Constatou-se um edema muscular. Não é lesão e, em no máximo cinco dias, estará liberado certamente.

Carlos Eduardo foi titular pela segunda vez, a primeira em casa / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

Sueliton era candidatíssimo a retornar. Mas antes do treino apronto de sexta ficou de fora. Voltou a sentir dores. Foi outro desfalque. Fábio Ferreira deixou o jogo com o CRB no primeiro tempo lesionado. A lesão de grau 2 o afastará por uns trinta dias, ou até mais. Luiz Fernando sentiu dores no tornozelo entre ontem e hoje. Acabou vetado. Zé Carlos está na transição e João Paulo, com edema ósseo na tíbia, se trata no São Paulo. Livrou-se de cirurgia mas não volta antes de um mês.

Foi um jogo fraco tecnicamente no Majestoso / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

Vamos aos substitutos. Carlos Eduardo, o lateral direito, foi novamente eficiente. Jacy Maranhão estreou com segurança. Liel brilhou, e revelou após o jogo que já foi zagueiro. Deu conta do recado e está pedindo passagem para ser titular na sua posição de origem no Tigre, volante. Alex Maranhão foi o que mais chutou a gol. Não gostou de ser trocado por Elvis, mas logo no segundo toque na bola o meia deu a assistência para o gol de Liel. Elvis é, aliás, o melhor em assistências na Série B, já foram cinco.

Nicolas deu lugar a Kalil no segundo tempo. Foi pouco efetivo, a exemplo de Vitor Feijão.

Marcelo Dias, o auxiliar, treinou o Criciúma neste sábado / Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

O domingo será de folga. Um descanso necessário. Por falar em descanso, no meio da euforia pela vitória, Elvis deixou escapar que "disseram que eu estava cansado", algo como uma justificativa de alguém para ter ficado no banco. Como tomou o terceiro amarelo, não vai a São Luís enfrentar o Sampaio no sábado que vem. Nino e Sandro voltam, Luiz Fernando talvez, Zé Carlos tem chances, Luiz é bem provável. Logo, o time estará menos desfalcado no Maranhão. Reapresentação na segunda-feira. 

4oito

Deixe seu comentário