Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Criciúma nega contrato da GA para conselheiros

Grupo de 54 integrantes do Conselho pediu cópia do documento. Ouviram um não como resposta. Bastidores agitados no Tigre
Denis Luciano
Por Denis Luciano 19/06/2018 - 20:20Atualizado em 19/06/2018 - 20:31

Na ausência do presidente Jaime Dal Farra, do diretor jurídico Albert Zilli dos Santos e do superintendente Róbson Izidro, todos acompanhando a Copa do Mundo (Izidro está chegando agora à noite em Florianópolis), um grupo de 54 conselheiros, intitulado "Apenas Criciúma" encaminhou ao Conselho Deliberativo, à direção executiva e à Gestão de Ativos (GA) um pedido de cópia do contrato firmado entre a parceira e o clube.

O pedido foi encaminhado no dia 12 e respondido hoje à tarde. "Informamos que o referido contrato se trata de documento estratégico e interno do clube". Assim, em ofício assinado pelo presidente em exercício do Conselho, Valcir Zanette (o presidente Carlos Alamini também está ausente) o clube nega aos conselheiros acesso ao contrato de gestão do Criciúma firmado entre o clube e a GA.

"Queremos nos embasar para a reunião do próximo dia 25", contou ao blog o conselheiro Augusto Teixeira da Silva, um dos integrantes do movimento. "A partir do momento em que o clube nega acesso ao contrato, ficamos com algumas suspeitas", ponderou. Ele destacou que o grupo planeja encaminhar sugestões e tirar dúvidas sobre o formato atual de gestão. "O Criciúma é solidário desta dívida?", indagou, referindo os mais de R$ 21 milhões de débito que os conselheiros aprovaram em balanço recente.

Promessa de reunião agitada no dia 25 / Foto: Fernando Ribeiro / Criciúma EC

Isso coloca um tempero a mais na reunião extraordinária marcada para o dia 25, também a pedido do mesmo grupo de conselheiros. O presidente do Conselho estará de volta, o superintendente do clube também, mas o presidente Dal Farra e o diretor jurídico, mais diretamente relacionados ao contrato, não estarão presentes. "Quando fizemos um primeiro pedido verbal chegaram a nos oferecer um resumo do contrato. Não aceitamos. Queremos o contrato", reiterou Augusto.

Contamos mais detalhes na edição desta quarta-feira do jornal A Tribuna. Abaixo, o ofício com a negativa de acesso ao contrato.

 

4oito

Deixe seu comentário