Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Unesc se apresenta à ACIC para fazer o Plano de Desenvolvimento Regional

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 04/09/2018 - 06:08Atualizado em 04/09/2018 - 08:48

A reitora da Unesc, professora Luciane Cereta, entregou ontem à noite por escrito à direção da Associação Empresarial de Criciúma o manifesto de interesse da instituição em conduzir a elaboração do Plano de Desenvolvimento Regional.

Simbolicamente, o documento foi entregue ao presidente da Acic, Moacir Dagostim. Mas, estavam praticamente todos os diretores na reunião.

Na sexta-feira, dia 31, o governador Eduardo Moreira anunciou o repasse der$ 1,8 milhão, atendendo pedido da Acic, para elaboração do Plano de Desenvolvimento Regional.

O Fórum "Criciúma do Amanhã", realizado pela Unesc, no dia 24 de julho, definiu a elaboração do Plano como “prioridade número um".

No documento, a Unesc declara a intenção fazer para contribuir ainda mais com a transformação sócio-econômica dos municípios da região, e garante:

“o estudo será elaborado de modo participativo com as instituições e agentes representativos estabelecendo indicadores, metas e estratégias”.

Assinam o documento a reitora Luciane Cereta e o seu vice, Daniel Preve.

Junto, foi entregue uma síntese da proposta para elaboração do Plano, incluindo instituições que já tem parceiras firmadas, como Sebrae, Universidade Federal de Santa Maria, Universidade Federal de Santa Catarina, Unisinos e PUC do Rio Grande do Sul.  

Há acrescentar ainda que a Unesc possui curso de mestrado em desenvolvimento econômico e curso de graduação  em ciências econômicas, que podem oferecer suporte para elaboração do Plano.

Além disso, é a única universidade comunitária da cidade e região, criada por lei municipal, que não visa lucro, reinveste em pesquisa e extensão, atende milhares de pessoas em diversas ações de apoio às parcelas mais carentes da população, e há 50 anos vem contribuindo para o desenvolvimento econômico, social e ambiental da região.


Museu e Centro Cultural

O incêndio no Museu Nacional do Rio, uma tragédia para a cultura do país, faz ligar o alerta sobre o Centro Cultural Jorge Zanatta, de Criciúma. Que já foi parcialmente destruído por um incêndio em setembro de 2017 (faz praticamente um ano).

O poder público não faz a manutenção dos prédios públicos, especialmente aqueles que abrigam espaços culturais.

A saída é firmar parcerias com a iniciativa privada, com projetos bem feitos, que permitam uso das leis de incentivos à cultura por compensações tributárias.

O grandes espaços culturais do país só funcionam assim.

O Centro Cultural Jorge Zanatta está sendo reformado, voltará a ser ocupado ainda em 2018, mas se não tiver uma parceria deste tipo, em uma década estará de novo abandonado. E ameaçado.


Não dá para acreditar!

O site O Antagonista informou ontem que o Museu Nacional doRio custou em 2017 aos cofres públicos r$ 643,5 mil.

De outro lado, a Ong Contas Abertas recebeu que a Câmara dos Deputados gastou cerca de R$ 560 mil em 2017 para lavar 83 carros oficiais, que atendem a 19 deputados com cargos de direção.


Preço no cemitério

Lucas Domingos de Souza, Criciuma, registra com indignação que foi encaminhar o velório de sua mãe no cemitério do bairro Brasilia e foi surpreendido com os preços cobrados.

"Na capela mortuária, a sala 1 estava ocupada. O aluguel era r$ 160,00. Ficamos com a sala 2, que igual a outra, mas o preço vai a r$ 364,00 porque tem ar condicionado, que ninguém usou com esse frio. Mas não tem escolha. Ou paga, ou não faz velório. 

Depois, para abrir e fechar o túmulo, cobraram mais r$ 650,00 porque tinha que fazer uma exumação, da minha avó estava sepultada ali faz 25 anos. Então, paguei r$ 650,00 para tirar dois ossos que estavam lá”.


Buscando unidade

Depois do estrago provocado pelas duras criticas feitas pelo ex-governador e ex-ministro Jorge Bornhausen, o candidato a governador do PSD, Gelson Merisio, convocou reunião com prefeitos e vices do partido para amanhã, em Palhoça.

O vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris, PSD, não deverá participar da reunião. Ele é ligado ao ex-deputado Julio Garcia, também rompido com Merisio.


Décio bem

O candidato do PT a governador, Decio Lima, teve bom desempenho na entrevista para radio Som Maior e A Tribuna. 

Mostrou-se seguro, de fala mansa, e com conhecimento sobre todas as questões colocadas.

Ele foi o segundo entrevistado da serie com os candidatos a governador. Amanhã, será Mauro Mariani, MDB.


Caras novas

Três novos vereadores assumem nesta semana na câmara de Criciúma.

O primeiro assumiu ontem. Joares de Jesus, PSD, na vaga da vereadora Camila do Nascimento, que pediu licença. No seu primeiro discurso na tribuna, levou a camisa do Próspera para comemorar .

Hoje devem assumir os outros dois. Daniel Cipriano, PSDB, e Diego Goulart, DEM. Vão ocupar as cadeiras dos vereadores Alisson Pires e Julio Kaminski, ambos do PSDB, que entram em licença.


Primeiro escalão

O governador Eduardo Moreira voltará à Criciúma no dia 7 de setembro, sexta-feira, para o lançamento da candidatura a reeleição do deputado federal Ronaldo Benedet.

Também são esperados o candidato a governador Mauro Mariani, MDB, e o candidato a vice, Napoleão Bernardes, PSD, e os candidatos ao senado, Paulo Bauer, PSDB, e Jorginho Mello, PR.

Além deles, 15 prefeitos e 130 vereadores do estado.


Barra Velha

Moradores da Barra Velha, na parte de Araranguá, estão cobrado do governo do prefeito Mariano Mazzuco, PP, a manutenção das ruas.

O ex-vereador e ex-prefeito de Criciúma, Sergio Pacheco, morada da Barra Velha, diz que só foi enviada uma maquina para patrolar as ruas desde o prefeito Mazzuco assumiu (em janeiro de 2017).

Os moradores já discutem até a possibilidade de fazer um movimento para que o prefeito de Araranguá faça uma “permuta” de área para essa parte da Barra Velha também passar para o Balneário Rincão.

4oito

Deixe seu comentário