Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

PM no Centro Cultural, denúncia contra Ada e outras da coluna

Ideia de trazer a PM para o Centro é louvável, mas não no Centro Cultural
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 14/11/2018 - 06:53Atualizado em 14/11/2018 - 08:58

O comandante da 6ª Região da Polícia Militar, coronel Cosme Manique Barreto, foi à Câmara de Vereadores, ontem à tarde, pedir apoio para uma proposta surpreendente (e difícil de entender).

Ele quer o prédio do Centro Cultural Jorge Zanatta seja utilizado para a instalação da sede da 6ª Região da PM.

Na proposta, ele “admite" que a parte dos fundos do prédio seja destinada à cultura.

Quando os vereadores destacaram que o prédio já é o Centro Cultural Jorge Zanatta, ele reagiu: “Cultura? Mas que cultura é essa que abandona?!”, dando a entender que o evolvidos com o setor cultural é que abandoaram o prédio.

Na verdade, o coronel sabe, como qualquer criciumense, que o prédio foi abandonado pelo poder público, que não fez manutenção durante anos.

Na proposta levada aos vereadores, funcionaria no local também uma base para a polícia comunitária da região central, central de monitoramento de câmeras, setor de trânsito e de termos circunstanciados.

Trazer tudo isso para um local só no centro da cidade, é pertinente, louvável. Mas, não ali!

Houve uma grande luta do setor cultural para que o Jorge Zanatta fosse restaurado, o que aconteceu no ano passado.

Agora, às vésperas da inauguração, já anunciada para 14 de dezembro, é inconcebível imaginar destinação do prédio para outra finalidade.

Agora, a Fundação Cultural já está designada para fazer a gestão do local e, inclusive, voltará a ter sua sede lá, como foi de 1993 a 2015.

Erguido na década 40, no auge do carvão, o prédio pertencia à União até o ano passado, quando o Governo do Município conseguiu a cessão e a possibilidade de restauração.

Os vereadores apresentaram alternativas ao coronel Barreto, como o prédio do antigo INSS, que também está sendo restaurado pela Prefeitura e fica na área central da cidade.

Mas, o coronel foi enfático. Quer o prédio do centro cultural. Disse que é um sonho.

E devolveu a proposta - que o centro cultural se mude para o prédio do INSS.

A conversa de Manique Barreto na Câmara pegou o prefeito Clésio Salvaro de surpresa, que nunca havia ouvido falar na proposta, e pediu prazo para se inteirar. Provavelmente, para conferir se era isso mesmo. E respirar fundo.

Pergunta inevitável: por que o coronel não pensou nisso quando o prédio estava abandonado, ou incendiado?


As sugestões

Os vereadores Toninho da Imbralit (MDB), Salésio Lima (PSD) e Tita Belolli (MDB) chegaram a sugerir outras possibilidades, como o prédio onde está atualmente a Fundação Cultural, que fica na Praça Nereu Ramos ou outro que poderia ser alugado pelo Estado. O vereador Ademir Honorato (MDB) fez proposta de levar a regional da PM para a Quarta Linha, numa das entradas da cidade. O coronel se manteve inflexível.


Reação

O setor de Cultura irá reagir ao pedido e já articula um abraço ao local, repetindo ato realizado antes da restauração do prédio, ainda em 2015.


Denúncia aceita

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aceitou por unanimidade, na sessão plenária da ontem, denúncia contra a deputada estadual Ada De Luca (MDB) por irregularidades na prestação de contas da campanha de 2010. Já se passaram mais de oito anos, dois mandatos na Alesc e mais uma reeleição agora em 2018. Só que a denúncia foi feita somente neste ano, é um desdobramento de uma operação da Polícia Federal no ano passado que envolveu a deputada e investigou caixa dois na campanha de 2014. Foram aceitas as denúncias contra a deputada e um cabo eleitoral, já contra Valmor De Luca, o TRE entendeu que houve a prescrição, que tem o tempo reduzido quando envolve pessoas acima dos 70 anos.


Mais um vereador

Este mandato é marcado pela instabilidade na Câmara de Vereadores de Sombrio. Ontem, o TRE cassou, por 6 x 1, o mandato do presidente do Legislativo, Fabiano Rogério Pinho (PSDB), eleito pela coligação PSDB-PR-PTB-PSC-PCdoB. O motivo foi o mesmo da cassação de outros cinco vereadores da coligação do MDB-PSB. Estes seguem no cargo por um efeito suspensivo. Caso as sentenças sejam confirmadas, a Câmara terá uma renovação de 70% antes do fim do mandato. Todas as coligações são acusadas de não cumprir a quota de candidatura feminina.


Adiado

O julgamento do recurso do Ministério Público que pede a cassação da candidatura de Jorginho Mello (PR) foi adiado. O processo estava na pauta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ficou para a próxima semana. O recurso é contra o suplente Beto Martins (PSDB) que não teria apresentado documento de filiação a tempo, mas cassa a chapa toda. A expectativa é grande por parte de Lucas Esmeraldino, do PSL, que ficaria com a vaga.


Não entrou

Outro processo que pode mexer na composição de eleitos por Santa Catarina neste ano é do recurso do deputado federal João Rodrigues (PSD). A matéria não entrou na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) de hoje, como era previsto. Caso João Rodrigues tenha o recurso aceito quem perde a vaga na Câmara Federal é Ricardo Guidi (PSD).


Só elogios

O discurso do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) durante o ato de assinaturas de convênios com a Casan, terça-feira, mostra que não há predisposição de qualquer rompimento por parte da Prefeitura de Criciúma com a estatal. Somente no ato de ontem foram mais de R$ 15 milhões e dá continuidade à implantação do esgotamento sanitário e pavimentações na região da Linha Batista, contrapartida pela construção da Estação de Tratamento de Esgoto. O prefeito citou que há muitos municípios querendo desfazer o Samae e voltar para a Casan em alfinetada ao vereador Julio Kaminski (PSDB) que faz discursos contundentes de rompimento com a estatal.


Não veio

O governador Eduardo Moreira (MDB) não conseguiu participar do ato de ontem em Criciúma. Compromisso em Florianópolis, à noite, não permitiu a vinda.


Fim do recesso

O deputado eleito pelo PSL, Felipe Estevão, já anunciou que irá apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), logo no início da nova legislatura em fevereiro, para mudar o Artigo 46 da Constituição Estadual e acabar com o recesso parlamentar de meio de ano. Será o primeiro teste para os 40 deputados eleitos, mais da metade, em primeira experiência no Legislativo estadual.


Homenagem

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, está entre os homenageados da Comenda do Legislativo Catarinense, em sessão solene da Alesc. A indicação é do deputado estadual Ricardo Guidi (PSD).

O diretor do Hospital São José, Altamir Bittencourt, e o prefeito de Lauro Muller, Valdir Fontanella, também estão na lista dos homenageados. Foram indicados pelos deputados José Milton Scheffer (PP) e Valmir Comin (PP).


Próxima legislatura

Deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) recebeu, na terça-feira, no gabinete, o deputado estadual eleito Onir Mocellin (PSL), que será o líder do governo na Assembleia Legislativa (foto). Antes, Minotto esteve com a também deputada Paulinha da Silva (PDT). Os dois pedetistas tem tratado em conjunto as questões referentes a Alesc e devem trabalhar alinhados.

4oito

Deixe seu comentário