Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

O acordo de Daniel com o PP, a posse do sistema de água e outras da coluna

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/04/2018 - 06:19Atualizado em 13/04/2018 - 06:20

O presidente do PP de Criciúma, Itamar da Silva, ex-vereador, vai fazer reunião ampliada da executiva com filiados na segunda-feira para definir se vai a justiça para enquadrar o vereador Daniel Freitas na lei da fidelidade partidária e cassar o seu mandato.

Daniel foi reeleito pelo PP em 2016, mas trocou de partido na semana passada. Assinou filiação no PSL, partido de Bolsonaro, por onde deve ser candidato a deputado federal.

O PP hoje está dividido em relação ao assunto. Difícil fazer prognóstico.

Uma possiblidade tratada nos bastidores, que evitaria uma demanda jurídica com desgaste para todos, é um acordo entre PP e Daniel.

O vereador ficaria como vereador até a eleição de outubro, e depois renunciaria,

O próprio vereador ja teria sinalizado com a possibilidade, de acordo com um dirigente do partido que falou com ele.

Se ele renunciar ou for cassado, há duvidas sobre quem assumirá.

A primeira suplente do PP na eleição é Angela Mello, que agora não está mais no P. Migrou para o PMDB. Ela disse que vai a justiça para buscar vaga de Daniel, mesmo com a troca de partido, mas sustentando que a vaga é da coligação. PP e PMDB estavam juntos na mesma coligação em 2016.

Mas, se o entendimento for que Ângela perdeu o direito de buscar a vaga de Daniel porque trocou de partido, será chamado o segundo suplente do PP na eleição, Edson Luiz do Nascimento, o Paiol, presidente da União de Associações de Bairros de Criciúma.

 

Cultura

O conselho municipal de culturais protocolou duas cartas públicas deliberadas no Fórum Integrado de Cultura de Criciúma, realizado em março de 2018, na UNESC.

Com a carta pública, foi formado um grupo de trabalho para levar ao prefeito Clesio Salvaro um estudo detalhado para implementação do Mecenato Municipal.

 

Candidata

Fabiana Rodrigues, mulher do deputado João Rodrigues, PSD, está com candidatura encaminhada a deputada federal pelo DEM.

Ela se filiou no partido faz 20 dias. O deputado continuou no PSD.

Fabi disse ontem: “o politico da casa é o João, mas se ele não for liberado para disputar a eleição, eu vou representá-lo”.

Ontem, a justiça federal negou pedido de João para, mesmo estando preso, passar a participar das sessões na câmara federal. Pedido foi negado.

 

A posse

O acordão com a decisão do Tribunal de Justiça determinando a saída da Casan da gestão do sistema de água de Morro da Fumaça só foi publicado na quarta-feira.

Ontem, foi feita a comunicação oficial ao juízo da comarca.

Hoje, o oficial de justiça vai comunicar a decisão e encaminhar a providências previstas. 

Na pratica, dará posse à Atlantis Saneamento, já contratada pela prefeitura para gerir o sistema.

4oito

Deixe seu comentário