Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Moisés não explica o que é grave e deputados vão criar CPI

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 29/04/2020 - 13:37Atualizado em 29/04/2020 - 14:03

Faz 10 dias, o governador Carlos Moisés conseguiu administrar bem o caso do hospital de campanha de Itajaí.

Depois que o assunto veio à público, e o Tribunal de Justica despachou duas liminares, ele mandou cancelar tudo. Anulou a liicitação e matou o assunto.

Mas, alí não teve prejuízo. O Governo não havia liberado nenhum pagamento.

Agora, no caso dos respiradores é bem diferente.

O Governo pagou "antecipado" r$ 33 milhões.

E aí está o primeiro problema grave - pagamento antecipado.

Isso não acontece na gestão pública.

Depois, pagou antecipado por equipamentos que não foram entregues, o prazo já passou, não há previsão de entrega, e os valores considerados para operação estão acima do que é praticado no mercado.

Na sua manifestação das 12h30, o Governador não explicou a antecipação e não sinaizou para uma solução do caso, sem prejuízo ao erário público.

Se limitou a anunciar providências tomadas para "investigar". Um dia depois de o assunto vir a público pelo site investigativo internacional The Intercpet.

O secretário da saúde, Helton Zeferino, sentado ao seu lado, disse que "ainda avalia" a possibilidade de suspender a empresa por seis meses de qualquer tipo de operação com o Estado. Só?

E o dinheiro ? Vai voltar?

Até agora, caiu a superintendente de gestão. Foi exonerada ontem à noite, com ato imediatamente publicado no diário oficial.

Mas, uma operação do tipo, com "antecipação" de r$ 33 milhões (antes de receber o produto da compra) pode ser feita no governo do estado sem passar pelo secretário da pasta?

Numa estrutura de poder bem estruturada, e que funcione com um mínimo de controle, jamais aconteceria.

Se o pronunciamento do Governador tinha a intenção de aplacar reações na Assembléia Legislativa e evitar a instalação de uma CPI, não deu certo.

Os deputados estaduais vão insatalar a CPI agora à tarde e o Governador vai passar por momentos delicados daqui para frente.

A melhor definição de CPI é que todo mundo sabe como começa, ninguém imagina como vai terminar.

Comandante Moisés, depois do coronavírus, e da crise econômica decorrente dele, passa a ter uma crise própria para administrar daqui para frente.

Crise política de altissimo risco.

 

 

 

4oito

Deixe seu comentário