Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Douglas evitou o constrangimento da cassação "em casa"

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 19/05/2020 - 16:27Atualizado em 19/05/2020 - 16:41

A renúncia do mandato de vereador em Biguaçú vai evitar que Douglas Borba passe pelo constrangimento, e violento desgaste, de ser cassado na Câmara da sua cidade natal.

Uma semana antes de ele deixar o Governo, mas quando já estava no "olho do furação" no caso dos respiradores, foi protocolado na Câmara de Biguaçú um pedido de cassacão do seu mandato. Por dois motivos.

1 - Falta de decoro, pelo seu envolvimento nas denúncias.

2- Porque se licenciou em janeiro de 2019 para assumir a secretaria de estado. O entendimento da vereadora que protocolou o pedido é que, pelo regimento interno, ele teria que ter renunciado o mandato.

De qualquer forma, Douglas estava licenciado da Câmara de Biguaçu. Ele foi eleito vereador em 2016, como segundo mais votado do município (1.130 votos).
Douglas Borba está sendo investigado no processo que trata da compra dos respiradores por r$ 33 milhões pelo Governo do Estado, com dispensa de licitação e pagamento antecipado.

Ministério Público, Policia Civil e Tribunal de Contas apontaram uma série de irregularidades no processo, que envolvem denúncias de corrupção, falsidade ideológica, empresas de fachada e lavagem de dinheiro.

 

4oito

Deixe seu comentário