Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Casan, Moisés e Salvaro e outras da coluna

Governador Moisés chama Salvaro para reunião. Anel e Casan na pauta
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 27/03/2019 - 06:55Atualizado em 29/03/2019 - 10:41

Na semana que o município de Criciúma fez primeira notificação à Casan, no processo que pode levar ao rompimento do contrato, o governador Carlos Moisés (PSL), chamou o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) para reunião.
Seria hoje, 15h30min, no Centro Administrativo em Florianópolis. Mas ontem à noite o secretário chefe da Casa Civil, Douglas Borba, pediu para remarcar para amanhã ou sexta-feira. Moisés teria sido chamado em Brasília. 
Os dois vão definir antes do meio dia se será amanhã ou sexta-feira.
De qualquer forma, a reunião vai sair. E foi “provocada" pelo governador.
Salvaro pediu para incluir na pauta a construção da última etapa do Anel de Contorno Viário de Criciúma que vai fazer a ligação com a chegada no centro de Rio Maina.
O governo passado anunciou que chegou a contratar o projeto, mas não executou por falta de recursos.
A última etapa é muito importante para o anel cumprir o seu papel de desafogar o trânsito pesado na área central da cidade.
Mas já está na hora de abrir discussão na cidade e região sobre a necessidade de duplicação do anel. Já passou da hora.
Quem não estiver ainda convencido disso, é só ficar parado por 10 ou 15 min na frente da Plasson e da Cristal Log, na Linha Batista, e acompanhar o movimento de caminhões. É um atrás do outro.
Mas enquanto não duplica, faz a etapa que falta (a menor de todas, e mais barata).
O prefeito também pediu para incluir na pauta a revitalização da Rodovia Jorge Lacerda, acesso sul de Criciúma. Que também já deve ter projeto pronto, feito pelo governo passado.
Os dois assuntos são importantes. Já justificaram a audiência.
Mas o governador Moisés também vai tratar da Casan. Porque ele não quer o rompimento do contrato. Não interessa ao Estado. 
As negociações trancaram na discussão sobre o percentual de repasse da receita da Casan para o município. A presidente da Casan, Roberta dos Anjos, foi até o limite da sua autonomia.
Salvaro pediu 10%, ela ofereceu 7%. 
Para não perder Criciuma (e mais cinco municípios da região), o que pode até comprometer a operação da Casan, Moisés deve “melhorar" a proposta e buscar o acordo.
Por isso, a reunião de hoje deve decidir o futuro do contrato de Criciúma com a Casan. Pelo sim, ou pelo não.

Leandro na Unimed

O médico Leandro Avany Nunes venceu uma eleição histórica e passa a ser o novo presidente da Unimed Criciúma.
O atual presidente, Walter Ney Junqueira, já eleito vice-presidente da Federação de Unimeds do estado fez o sucessor, depois de 20 anos no cargo.
A eleição foi muito disputada, e isso ficou evidente no placar apertado.
Na campanha, os “eleitores" se dividiram em dois grupos. Os médicos tradicionais e os mais novos. 
O primeiro grupo ficou com Leandro e o segundo com o candidato de oposição, Giancarlo Burigo.
Leandro foi diretor do Hospital da Unimed, diretor do Hospital São João Batista e tem sua própria clínica, a Mova.
É um gestor reconhecidamente competente. Tem desafios pela frente, como concluir a ampliação do Hospital da Unimed em Criciúma e construir um hospital em Araranguá.
Os votos da Unimed de Araranguá, quase todos para Leandro, foram decisivos no resultado da eleição. Na foto, o abraço de Leandro em Eloir Ribeiro, diretor da Unimed em Araranguá, e tendo ao lado Walter Ney Junqueira.

Sobre Meller

Paulo Meller, ex-diretor da Casan, disse na câmara de vereadores, segunda-feira, que Criciúma pode ficar sem agua em dois anos, se fizer o rompimento do contrato com a Casan.
Prefeito Salvaro respondeu ontem:
“O MDB do Paulo Meller ficou 16 anos no governo do estado, não fez a barragem, e ainda deixou vários problemas nas obras feitas de ampliação de rede.
Agora, ele vem dizer uma coisa desta. Não faz o menor sentido. Ele sabe isso. E esse tipo de ameaça me dá mais motivação para romper o contrato. Porque eu sei o que estou fazendo”.

Com pompa e circunstância

A posse de Julio Cesar Lopes na fundação de cultural foi ao estilo Julio Lopes. Com festa.
Gaiteiro mirim na porta, dança, trajes típicos das etnias, bailarinas, exposição.
Julio assumiu a presidência “de bem” com o movimento cultural da cidade.
Antes, tratou de se reunir com o conselho e com todas as entidades representativas.
Assumiu o cargo pela quarta vez.

Sem vinculo

O filho de Julio Lopes, deputado estadual Jesse Lopes, PSL, fez circular nota destacando que apoia o seu pai onde ele estiver, mas rechaçou qualquer relação ou vinculação com o PSL ou com o seu mandato.
"Mesmo que o meu pai esteja no governo do prefeito Salvaro, que será candidato a reeleição, o PSL terá candidato a prefeito em 2020”, arrematou.

4oito

Deixe seu comentário