Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

A volta de João Rodrigues, inquérito contra Paulo Bauer e outras da coluna

Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/06/2018 - 06:26Atualizado em 08/06/2018 - 08:52

Os números referentes a participação de Criciúma no rateio da receita do estado são preocupantes. De novo.

Mostram que a cidade continua sem fazer o “dever de casa” para iniciar o processo de recuperação.

Os números são oficiais, divulgados pela secretaria da fazenda do estado. Provisórios ainda. Mas, mesmo que tenha alguma alteração, não será nada expressivo. Não será suficiente para mudar posições.

Em síntese, Criciúma caiu 4,3% no índice de participação dos municípios.

No caixa, isso representa receita menor a ser repassada pelo estado para Criciúma em 2019.

É preciso reagir!

Para isso, Criciuma deve começar a fazer "receita nova”. O que será possível com a vinda de novas industrias. Porque elas geram emprego, renda e trazem receita de fora. Não fazem girar apenas o dinheiro que já está aqui, como outras atividades econômicas.

Historicamente, o melhor desempenho de Criciúma na economia, e o período que abocanhou maior fatia do bolo da receita do estado, foi quando a cidade era conhecida como importante polo industrial do estado. 

Com o tempo, foi perdendo sua marca industrial e começou a cair no ranking estadual.

O norte explodiu em receita e está consolidado como a parte mais rica do estado porque concentra o maior parque industrial.

Lages se recuperou e passou Criciúma quando pegou esse caminho.

Não dá para ficar resmungando no buraco. É preciso ter atitude para sair dele. Gerar fatos novos.

Os exemplos bem sucedidos de outras cidades sinalizam que é preciso buscar as industrias.  Não pode ficar sentado, esperando. A concorrência é grande.  

Agora, se a cidade não gerar receita nova, e não aumentar a arrecadação, a cada dia vai ficando mais difícil para garantir melhor qualidade de vida para o cidadão pagador de impostos.

Porque vai ter cada vez menos dinheiro no caixa para revitalizar estradas e calçadas, reformar ou ampliar escolas, garantir atendimento a todos e derrubar as filas na rede publica de saúde.


Séria ameaça

A situação da candidatura a governador do senador Paulo Bauer, PSDB, ficou mais delicada.

O ministro Edson Fachin aceitou pedido do Ministério Público Federal e determinou abertura de inquérito para denúncia contra Bauer por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele teria recebido r$ 11,5 milhões da Hypermarcas através de contratos fictícios.

Agora, Bauer passa formalmente a condição de investigado.


Não vai mais

Fernando de Favere, gerente regional de saúde, não vai mais para a presidência a fundação hospitalar do estado, em Florianópolis.

Ele chegou a ser anunciado para o cargo pelo secretário de saúde do estado, Acelio Casagrande.

Mas, secretários de saúde do estado assinaram um abaixo assinado, com apoio de políticos ligados ao governo, pedindo para ele ficar. E Acelio cedeu a pressão. Fernando ficou.


O festão de Merisio

A assessoria do deputado Gelson Merisio espera 100 prefeitos, 100 vices e pelo menos 20 deputados, de vários partidos, no lançamento de sua candidatura a governador, amanhã, em Chapecó.

Mais de140 ônibus vão pegar a estrada para levar políticos de todo o estado.

O deputado Esperidião Amin não vai (porque tem o batizado da neta), mas o comando do PP estará lá.

O ex-governador Raimundo Colombo, também.

Será o primeiro grande ato da campanha de 2018.


O lugar da UTI

Os secretários de saúde dos municípios da região deram mais um passo adiante na luta para trazer o serviço de oncologia pediátrica pelo sus para Criciúma. Isso é muito bom.

Mas, eles querem levar para o hospital São José. Não seria o caso de levar para o hospital infantil Santa Catarina, que é público? 

Hoje é da prefeitura, mas pelo que está encaminhado em poucos dias será do governo do estado.

No hospital São José vai funcionar bem também. Não tem nenhum problema no São José.

Mas, parece mais coerente. Oncologia pediátrica no hospital infantil. Concentrando tudo o que é da criança no mesmo lugar.


A volta de João

Decisão monocrática do ministro Luiz Barroso, do Supremo Tribunal Federal, liberou o deputado federal catarinense João Rodrigues, PSD, para voltar a cumprir as ações do seu mandato, no plenário da Câmara Federal.

O deputado cumpre pena de prisão faz 120 dias e pela decisão do ministro Barroso só terá que se recolher e voltar a dormir na prisão.

Mas, é possivel que ele passe a cumprir a prisão domiciliar.

Com a decisão do ministro Barroso, fica cancelada a posse do suplente Edinho Bez, MDB, que estava marcada para hoje, 9h. 

 Por enquanto, mesmo liberado para voltar a cumprir o mandato, João não está liberado para disputar reeleição. 


Novo apoio

O deputado Rodrigo Minotto, PDT, vai aumentar sua votação no vale do Araranguá.

Um ex-prefeito de prestígio, não filiado ao PDT, já está apoiando sua candidatura a reeleição.


Na marra

O deputado federal Ronaldo Benedet, MDB, deu entrevista ontem às 7h30 na rádio Som Maior como se estivesse na porta de um velório! Ânimo no pé!

Falando baixo, respostas curtas, e zero objetividade. Nada a ver com o Benedet falante de sempre.

Duas horas depois, a explicação.

É que naquele momento ainda não tinha nada de dinheiro garantido para continuidade das obras na BR 285, passagem pela Serra da Rocinha.

Só depois de reunião com os ministros Carlos Marun e Eliseu Padilha no Palácio do Planalto é que os r$ 23 milhões estavam realmente assegurados, e liberados.

Reunião teve momento de “alta tensão”.

Mas, com r$ 23 milhões, a obra terá redução do seu ritmo. Cronograma será revisto e a obra vai terminar mais tarde.


Na galeria

Podem gostar ou não de Sergio Pacheco e Itamar da Silva. Podem não concordar com as circunstâncias em que eles  foram empossados. Mas, os dois foram prefeitos da cidade.

Não foram eleitos para isso, mas presidiam a câmara de vereadores e assumiram oficialmente a prefeitura por 120 dias. Montaram secretariados, administraram a cidade, assinaram atos.

Então, suas fotografias teriam que estar na galeria dos ex-prefeitos de Criciúma, reinaugurada ontem à noite no Paço.

A galeria anterior, que tinha a foto de Sergio Pacheco, foi destruída pelo incêndio.

De outro lado, a foto do ex-prefeito Marcio Burigo, PP, está na nova galeria, mas ele não estava na cerimônia de ontem à noite.


Na galeria 2

A deputada Ada Faraco De Luca participou da reinauguração da galeria de ex-prefeitos e recebeu homenagem por ser neta de Addo Caldas Faraco, que durante 15 anos foi prefeito de Criciúma.

No dia anterior, Ada ajudou a aprovar na Assembléia projeto de lei que restitui simbolicamente o mandato de deputado estadual do seu pai, Vanio Faraco, cassado pelo regime militar.

4oito

Deixe seu comentário