Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A transição no governo, os alunos de Içara e outras da coluna

Comandante Moisés anunciará primeiros secretários na próxima semana
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 01/11/2018 - 06:55Atualizado em 01/11/2018 - 09:11

O governador eleito Comandante Moisés (PSL) tem vários secretários definidos, mas só vai fazer anúncios na próxima semana, depois de concluir a busca de informações setoriais junto ao Governo do Estado.

É provável que dois secretários sejam do Sul.

Moisés começou a tratar de nomes para o colegiado depois do debate do segundo turno realizado na Som Maior FM, o último da campanha, no dia 23 de outubro.

De acordo com assessores próximos, a condição de Gelson Merisio (PSD) naquele debate deu a entender que ele havia “registrado o golpe” e que a vitória era perspectiva real.

Naquele debate, Merisio estava abatido, irritado, tenso.

A partir daquele debate, técnicos de carreira do Governo do Estado e da iniciativa privada, professores de universidades, profissionais liberais e gestores públicos passaram a ser envolvidos nas discussões com o Comandante Moisés para montagem do plano de governo.

Na segunda-feira, Moisés informou aos integrantes da coordenação de campanha que faria as reuniões setoriais com o atual governo apenas com o professor Dr Luiz Felipe Ferreira, do departamento de Ciências Contábeis da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), que é da sua relação pessoal.

A primeira reunião foi na terça-feira com o secretário da Fazenda, Paulo Eli, e sua equipe. Ontem, foi com o secretário de Administração, Milton Martini, e seus assessores mais próximos.

Moisés e o professor Luiz Felipe têm feito verdadeiras entrevistas, indo aos mínimos detalhes, para dissecar tudo sobre procedimentos, limites legais, sistemas, estruturas, restrições, processos de licitações.

Hoje, será com Planejamento e Defesa Civil.

Como tem o feriado, amanhã, as reuniões devem se estender até quarta-feira.


Os nomes

Mais um nome do Sul do estado passou a integrar a lista de especulações para o secretariado do Comandante Moisés. Professor Silvestre Herdt, ex-reitor da Unisul. Estaria mapeado para a Educação.

Além dele, estão citados Julio Lopes (para Cultura, Esporte e Turismo) e Julio Kaminski.

O presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, de Tubarão, será secretário de estado se o TSE não cassar o senador eleito Jorginho Mello (PR), o que viabilizaria a sua posse no Senado.


Nada oficial

O deputado estadual eleito Jessé Lopes (PSL) esteve, ontem, com o Comandante Moisés e ouviu que ninguém ainda foi oficialmente convidado para compor o futuro secretariado.

Moisés teria confirmado que convites só serão feitos a partir da próxima semana.


Para prefeito

O PSL pode não investir apenas no vereador Julio Kaminski (hoje ainda no PSDB) para ser o candidato a prefeito de Criciúma em 2020.

O empresário Cesar Smielevski, ex-presidente da Acic, já teria sido convidado a filiar com o mesmo objetivo - eleição municipal de 2020.


Mais uma semana

A confirmação da posse do deputado federal eleito Ricardo Guidi (PSD) ficou para a próxima semana.

O ministro Gilmar Mendes, relator do processo que trata no STF do caso do deputado federal João Rodrigues, pediu adiamento durante a sessão de ontem.

O processo estava na pauta de julgamento da sessão do STF, mas o ministro Gilmar justificou o adiamento pelas ausências de dois ministros. Provavelmente, preocupado com o “placar final”.

O parecer de Gilmar é favorável a João Rodrigues. O ministro Luiz Barroso é radicalmente contra. Foi ele quem mandou prender o deputado João.

No recurso, João Rodrigues pede que seja reconhecida a prescrição da pena. Se vencer no STF, será liberado, recupera a elegibilidade e os votos que recebeu no dia 7 de outubro serão validados. E assim, ganhará a segunda vaga do PSD e Guidi vai para a suplência.

Se João Rodrigues perder o recurso, o mandato de Guidi estará assegurado.


Acordo garante rematrícula

Acabou sendo bem resolvida a polêmica das rematrículas na rede pública de Criciúma para alunos de outras cidades.

Em síntese, os municípios onde as crianças vão repassar uma compensação financeira.

O entendimento foi aprovado durante reunião do prefeito Clésio Salvaro com os prefeitos de Içara, Murialdo Gastaldon, e de Forquilhinha, Dimas Kammer.

Mas, só o de Içara bateu o martelo e fechou o acordo.

O prefeito de Forquilhinha pediu tempo para avaliar com sua equipe.


Não é SUS

Nesse caso, quem não pode sair perdendo, ou prejudicada, é a criança. Tem que garantir escola, e no lugar que for melhor.

Mas, Criciúma não pode pagar a conta que é de outros municípios. Não tem SUS na educação.

O Fundeb (fundo de educação básica), repassado pelo Governo Federal, paga só uma parte do custo por criança.

O que o prefeito Salvaro fez foi colocar “o bode na sala”. Anunciou que iria proibir rematrícula de aluno de outras cidades, provocou reações, e fez com que os "prefeitos vizinhos” viessem negociar.


Já está proibido

Acontece que a intenção anunciada por Salvaro de proibir quem é de fora, já é prática em Forquilhinha.

Aluno de fora não matricula na rede municipal. O criciumense Luiz Paulo Zanette Mendes é um caso.

Ele diz que sua mulher trabalha em Forquilhinha, mas mesmo assim não aceitaram os seus filhos rede pública do município.

Ele teve que sair do emprego para cuidar dos filhos (três gêmeos).


Sem demagogia

Depois de encaminhar acordo com os prefeitos, Salvaro se reuniu com vereadores, porque tem que ser aprovado pela Câmara Municipal.

Mas, ele abriu a reunião disparando - “temos que acabar com a demagogia e a hipocrisia, o assunto é sério e tem que ser tratado com responsabilidade”.

Era um recado principalmente ao vereador Pastor Jair Alexandre, que havia se posicionado contra o corte da rematrícula e feito críticas a intenção anunciada.


Parabéns a Você

Depois da reunião sobre a rematrícula, o prefeito Salvaro mandou trazer um bolo para homenagear o vereador Ademir Honorato (MDB), que estava de aniversário. Seguido do parabéns a você.


Regulamentação

A regulamentação de transportes por aplicativos em Criciúma passa a ser discutida na Câmara de Vereadores. O projeto de lei foi encaminhado, nesta quarta-feira, logo após apresentação aos vereadores, que participaram de reunião no Paço Municipal com o prefeito Clésio Salvaro (PSDB). A intenção de mudar a forma de administração dos terminais de transporte coletivo, por meio de condomínio, também entrou na pauta do encontro.

4oito

Deixe seu comentário