Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Contra os bons números, o rendimento duvidoso do Tigre

Marco Búrigo
Por Marco Búrigo 03/04/2018 - 13:16Atualizado em 03/04/2018 - 13:20

Contra os números, o rendimento duvidoso 

Os números de Argel Fucks até agora são bons. Mesmo com apenas duas vitórias em cinco jogos disputados em casa, o comandante foi buscar três vitórias em quatro partidas longe do torcedor. Mas o futebol tem as suas peculiaridades. Nem sempre a famosa frase “contra fatos ou números, não há argumentos” prevalece. Além de vencer, o Tigre precisa desempenhar um melhor futebol. Não poderá ficar mais um ano refém das jogadas de bola parada ou de um erro grotesco do adversário. A Série B será, sem dúvida, mais complicada em termos técnicos. Basta olhar a tabela no começo. Os três primeiros adversários estavam na Série A no ano passado. Então a coisa é “bem mais embaixo” do que o Tricolor imagina. Obviamente que Argel não tem culpa sobre essas limitações, mas é importante ressaltar as deficiências para não haver uma empolgação exagerada. Por isso essa intertemporada que começa hoje é fundamental no caminho tricolor. 
 

Argel Fucks tem aproveitamento de 63% (Foto: Thiago Hockmuller)

Dentro de campo 

Dal Farra “abriu a mão”, trouxe o técnico Argel Fucks, contratou Zé Carlos, Suéliton, Marlon e Fábio Ferreira. Teve que recorrer às contratações pois viu que a coisa ia degringolar. Sem reforços, o Tigre fatalmente correria sérios riscos de queda. Mas a Série B está aí e novos reforços terão que aparecer novamente. Ficou comprovado o erro do começo da temporada. Não levaram a sério o Catarinense. 

Dentro de campo 

Trabalhar com o futebol é assim. Não há marketing, boa administração das contas ou captação de recursos correta que resista aos maus resultados dentro de campo. Ninguém mais ilude o torcedor carvoeiro. Todo mundo sabe que o Criciúma poderá cair para a Série C, caso não reforce com qualidade o elenco. Tudo está nas mãos do presidente. Se fizer bom time, os sócios voltarão e novos recursos serão alcançados. Time bom significa possibilidade de venda dos jogadores “prata da casa”. Tudo isso precisa ser analisado. 

Atual prejuízo 

O prejuízo mensal no Criciúma Esporte Clube está em torno de R$ 200 mil por mês. Que o futebol está caro, todos sabem. Mas também é preciso avisar aos diretores que os erros do departamento de futebol custam muito caro. O barato sai caro sempre. É só analisar friamente e perceber que times ruins impediram de fazer Dal Farra vender jogadores. Sem venda, sem dinheiro em caixa. 

Lembra dele? 

Quem viu o último jogo do Tigre nas arquibancadas do Heriberto Hulse foi o ex-jogador Fernandinho. Canhoto bom de bola, campeão do Brasileiro da Série C, vestindo a camisa do Criciúma, Fernandinho surpreendeu ao anunciar a aposentadoria a repórter Amanda Farias, na transmissão do Futebol Som Maior. Como faz falta um lateral que chegue a linha de fundo como o Santa Clara fazia nos áureos tempos do Tigre. 

Destaque A Tribuna 

“O Vasco é o time da virada”. O Gigante da Colina ficou conhecido assim por tantas viradas e glórias do passado. Mas no atual momento o time carioca tem se especializado em vitórias nos acréscimos. Foram duas em sequência. Uma contra o Botafogo e outra diante do Fluminense, com gols depois dos 90 minutos regulamentares.  O Vasco evoluiu bastante desde o ano passado, pena que não ao ponto de acreditar em título de Libertadores. Vencendo o Carioca e indo bem na Série A, o Vasco já estará no lucro. 

Nota Zero 

Próspera lançou uma nota oficial dizendo que o empresário Gilson Pinheiro tinha saído do Próspera pois havia sido convidado a trabalhar no Criciúma. Isso não é verdade. Pinheiro saiu do Time da Raça por incompatibilidade com a diretoria prosperana. A versão oficial do Próspera não pode estar tão longe da verdade. Erro grotesco, que ainda deixou no ar um certo deboche com a direção do Criciúma. Esse não é o caminho.

4oito

Deixe seu comentário