Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Time cascudo

Mudanças para encarar de frente o restante da série B
João Nassif
Por João Nassif 03/09/2018 - 18:35

Na coletiva após o jogo contra o Guarani, último disputado até agora o técnico Mazola Júnior sinalizou que com mais duas rodadas escalaria o time que ele entende como ideal para escapar em definitivo do rebaixamento na reta final da série B. 

O Criciúma não venceu nos últimos cinco jogos, somou apenas três pontos e caiu duas posições depois que saiu do Z-4. Esta queda e a não entrada na zona fatal deve-se muito mais a fragilidade do Brasil de Pelotas e Paysandu que não conseguem vencer jogando em suas casas.

Vamos voltar ao começo do texto. Pelo que está sinalizado o time amanhã em Caxias sofrerá mudanças e se confirmado aquilo que foi trabalho nesta semana sem jogos certamente será o ideal pelas palavras do próprio treinador. Frisa com insistência a importância de colocar em campo jogadores que encarnam o espirito da série B, experientes e cascudos para alcançar os resultados.

A volta do goleiro Luís, a confirmação de Sandro na zaga, Liel retornando à posição de origem e o recém contratado Ronaldo compondo o meio de campo. Somente dois atletas formados no clube são titulares indiscutíveis, Nino e Eduardo pelo bom campeonato que realizam. Completando o time os dois laterais Suéliton e Marlon, Elvis com mais uma chance e no ataque Zé Carlos e Vitor Feijão.

Sandro e Elvis titulares em Caxias do Sul (Foto: Engeplus)

A escalação de Zé Carlos, suspenso outro dia por quatro jogos, só é possível pelo efeito suspensivo, uma das aberrações do futebol brasileiro. 

O time no papel tem casca grossa, deve ser o melhor idealizado pelo técnico com as opções à sua disposição e a empreitada é difícil, mas com boas possiblidades, pois repito os outros na ponta de baixo da tabela são piores ou na melhor das hipóteses iguais ao Criciúma.

Vamos conferir o comportamento nesta terça-feira em Caxias contra um Juventude de técnico novo, Luiz Carlos Winck, que apesar de dois pontos a mais também vê com preocupação a proximidade da zona do rebaixamento. 
 

4oito

Deixe seu comentário