Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Seis prosas: de Concórdia ao fim do mundo

João Nassif
Por João Nassif 03/03/2018 - 21:40

1) Saiu melhor que a encomenda. Poderíamos imaginar uma vitória do Criciúma pelo que o clube representa na história do futebol catarinense ao passo que o Concórdia na sua modéstia jogaria como franco atirador na busca de um resultado que o levaria à consagração e a quase certeza da fuga do rebaixamento. A modéstia do time do Oeste está diretamente ligada ao fato de seu teto salarial bater nos R$ 3.500,00. Com uma escalação diferente demonstrando a ousadia própria de quem tem confiança na vitória, o técnico Argel botou o time no ataque desde o início e com menos de 20 minutos decidiu o jogo fazendo 3x0. Em seguida fez o quarto gol e sossegou frente a um adversário completamente sob controle.

2) Não gosto de analisar pelo que somente ouço, mas vi muito entusiasmo nos companheiros da Som Maior. Confesso que não consegui comprar o jogo nesta nova plataforma de transmissão. O site, para mim é muito confuso. Portanto, só posso me basear do resultado que valeu acima de tudo para o time ter encontrado o caminho da vitória que o tirou da zona do rebaixamento. Ainda não é nada definitivo. O próximo desafio é infinitamente mais difícil, jogar e vencer na Arena Condá não é para qualquer um. Por isso tenho curiosidade em saber se será usado em Chapecó o esquema com três atacantes. Coma palavra o técnico Argel Fucks.

 

Foto: You Tube

3) Pedra cantada. Os arroubos de justiça mostrados pelo TJD da Federação Baiana duraram pouco. Depois de punir com rigor os baderneiros do Ba-Vi que não terminou e foi exemplo de pancadaria, um auditor deferiu o pedido de efeito suspensivo e todos os envolvidos estão livres para jogar até a reunião do Tribunal Pleno do mesmo TJD. No futebol o nome da impunidade é efeito suspensivo, na justiça comum são embargos infringentes, declaratórios e afins. Este é o Brasil que vivemos, existem as leis e suas nuances que no fundo são feitas para proteger os poderosos.

Foto: You Tube

4) Mais uma vez minha tese se confirma. O absurdo dos campeonatos estaduais que servem apenas para derrubar treinador e estrangular o calendário do futebol brasileiro. Este ano ficará ainda pior, pois o estrangulamento será maior com a paralização de competições em razão da Copa do Mundo. Somado à tudo, falta de qualidade aos times que não atraem o público e os estádios vivem às moscas por todo país. No estado mais rico e com o melhor campeonato, de acordo com a mídia, a média de público gira ao redor 7.500 espectadores, muito em função da Arena Palmeiras e do Itaquerão que quase sempre lotam em jogos do Palmeiras e Corinthians, respectivamente. Santa Catarina tem a quarta melhor média com cerca de 2.900 torcedores por jogo.

Rodrigo Lasmar - Médico da CBF

5) Já cansei de tanto ler, ver e ouvir a respeito da contusão e operação do Neymar. Só faltou a mídia acompanhar o jogador ao banheiro, pela necessidade de mostrar em detalhes tudo que envolve uma fratura ou fissura num metatarso. Tenho a impressão que não haverá vida no país se Neymar não puder jogar a Copa do Mundo. Mas, cansa. Agora os envolvidos se atacaram, de um lado o PSG que quer o jogador na reta final da temporada. De outro a CBF com seu médico prevendo quase três meses de recuperação, período que irá até às portas do Mundial. O médico foi chamado de mentiroso pela direção do time francês. E a CBF não ousou reagir, afinal seu presidente é denunciado lá fora por corrupção, não pode sair do pais e seus asseclas também não têm autoridade para rebater a ofensa. Enfim, resta esperar que depois de todo este sensacionalismo o Neymar se recupere bem, pois ficou na obrigação de ganhar o hexacampeonato. 
 

4oito

Deixe seu comentário