Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Regulamento amigo

Minha coluna de hoje em A TRIBUNA
João Nassif
Por João Nassif 29/12/2018 - 09:15

Com a confirmação de jogos semifinais no catarinense-2019, 40% dos times irão para a decisão do título. Isto quer dizer que depois de 18 jogos o quarto colocado mesmo que tenha obtido bem menos ponto que o líder poderá ser campeão. Lembro que em 2018 o Criciúma terminou em quarto lugar sem chances de atingir a final.

MERCADO EM EBULIÇÃO
Ainda não abriu a “janela” europeia de transferências e o futebol brasileiro já começou perder seus melhores jogadores. A China e os países árabes, com muito dinheiro levam o que bem entendem e provocam desfalques importantes nos clubes brasileiros. A bola da vez foi Marcelo Grohe, goleiro do Grêmio que não resistiu a oferta do Al-Ittihad da Arábia Saudita. Podem ter certeza que outros irão embora, pois por aqui com raras exceções o dinheiro anda curto e o que vem de fora tem importância fundamental para colocar o caixa em ordem.

RICO x POBRE
Nas transações dentro do futebol brasileiro o grande manda no pequeno e os jogadores se deslumbram com a possibilidade de jogar num time de ponta. Os grandes quando querem dificilmente deixam de contratar jogadores de clubes menores. No plano internacional o tamanho do clube não tem muito valor. A altura é medida pelo dinheiro, por isso qualquer Al-Ittihad da vida pode tirar sem discussões um ídolo do Grêmio. Não é o único exemplo.

PESQUISA
Continuando com a pesquisa do UOL que ouviu jogadores de times da série A do campeonato brasileiro Caio Ribeiro foi eleito o melhor comentarista do ano com 27,3% dos votos. Em segundo ficou PVC do Fox Sports com 14,1%. Na pesquisa o pior comentarista eleito pelos atletas foi Neto da TV Bandeirantes com 16%, seguido do Casagrande da Rede Globo com 12,2%. 

LEITOR
Recebi do amigo e historiador Gustavo Voltz o seguinte comentário sobre minha coluna de ontem: “Bom dia, em sua coluna de hoje na A Tribuna, você afirma que quando um clube de grande porte quer um atleta de um clube de porte menor é certo que o negócio aconteça, e cita o caso do Marlon. Mas se analisarmos por outra ótica, o caso Liel não se enquadra em sua lógica, a não ser que o Criciúma não seja maior que o Tubarão....”

MINHA VISÃO
A questão Gustavo é que quando um clube grande visa um jogador de um clube menor, este força para mudar de patamar. Mesmo o Criciúma sendo maior que o Tubarão o Liel deve ter seus motivos para não exercer esta preferência. E mais, o Criciúma não está disposto a pagar os 500 mil reais da clausula de empréstimo. Deve ter chegado à conclusão que o atleta não vale tudo isso. Um abraço. 

MEMÓRIA
29/12/2008 – “Frustração”

Conforme o prometido quase em cima das 18 horas de ontem o site oficial do Criciúma anunciava os primeiros reforços para 2009. Havia especulações que poderiam ser cinco, mas apenas três foram anunciados quando da reapresentação do plantel que curtiu praticamente 30 dias de férias. São jogadores desconhecidos que certamente não empolgarão os torcedores que esperavam um pouco mais de ousadia, principalmente se tratando de Waldeci Rampinelli no comando do futebol. Pelo jeito o dinheiro é curto e as contratações são de acordo com a disponibilidade financeira.


 

4oito

Deixe seu comentário