Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Português brilha, mas é Mitch Evans quem leva

Fórmula E de volta
João Nassif
Por João Nassif 16/02/2020 - 18:30

Thiago Ávila *

A Formula E voltou este sábado na Cidade do México, lugar onde a Audi tem amplo domínio com três vitórias em quatro corridas disputadas, sem contar a vitória em 2016 por Lucas Di Grassi, desclassificado por ter um carro abaixo do peso ideal. Porém dessa vez os alemães não chegaram nem perto de conquistar o pódio.

Largando do final do grid, Di Grassi teve que fazer uma corrida de recuperação, algo que vem se tornando comum para ele nessa temporada. Vandoorne, líder do campeonato, largou em décimo; a pole ficou com André Lotterer, da Porsche, seguido de Mitch Evans, da Jaguar, e Nick de Vries, da Mercedes.

Mitch Evans

Logo na primeira curva, Evans e Lotterer se estranham e o alemão leva a pior, que passa por fora na pista. A roda da Porsche fica danificada depois de uma volta e André é obrigado a abandonar. Nesse tempo, Buemi e Bird assumem o controle da prova, passam De Vries e colam em Evans. Mas o neozelandês é rápido o bastante para abrir distância.

Na metade da prova, as Techeetah, partindo de oitavo e nono, começam subir um a um na tabela. Há vinte minutos do fim da prova, António Félix da Costa já chegara em Buemi. 
Pegando o modo ataque, o português deixa Vergne passar, mas logo retoma a posição por estar mais rápido. Não demora muito e volta a encostar no terceiro colocado, o piloto da Techeetah não dá trégua para o suíço e chega em posição de pódio.

À caça de Sam Bird, o português ameaça passar, mas o britânico fecha ainda na reta. Pressionado, na curva seguinte acerta o muro, e uma liderança de campeonato garantida para Bird vai por água abaixo.

Com três minutos restantes, faltava ao português chegar em Evans. O Safety Car ameaçava chegar, mas apenas a bandeira amarela hasteava. O neozelandês terminou cinco segundos a frente de Félix da Costa, Buemi foi o terceiro, com Vergne – enfim conseguindo terminar uma corrida – chegando em quarto.

O desempenho do português e do francês atual campeão só mostra como a Techeetah continua sendo o melhor carro da temporada em ritmo de corrida – ao lado da BMW -, e da Costa, contratado esse ano, seu piloto de destaque.

Evans assume a ponta na temporada com 47 pontos, seguido por Sims, da BMW, com 46, e Félix da Costa com 39. Nos construtores, a BMW segue líder com 71, seguido de Jaguar, Mercedes e Techeetah, separados por um ponto cada. A Formula E volta dia 29 de fevereiro em Marrakesh. 

*Jornalista

4oito

Deixe seu comentário