Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Outra vitória do Criciúma fora de casa na Série B 2002

Almanaque da Bola #763
João Nassif
Por João Nassif 24/08/2020 - 09:29Atualizado em 25/08/2020 - 07:34

Com a fase de classificação chegando ao final o Criciúma ia caminhando de maneira consistente para terminar na primeira colocação e decidir tudo dentro de casa. Depois da goleada em cima do Sport, nova viagem para cumprir seu 23º jogo na série B de 2002. A parada foi em Ribeirão Preto.

A revista “Mais uma estrela” que editei em seguida ao final do campeonato registrou desta forma a vitória contra o Botafogo:

“Outra partida de luxo do Criciúma. Contra um time que ainda tinha chances de classificação, o Criciúma entrou decidido a resolver rapidamente a vitória e com menos de 20 minutos já vencia por dois a zero.

Pela primeira vez Anderson Lobão começou uma partida e foi fundamental, jogando no estilo do titular Tico e marcando dois gols num jogo de muitos gols. O Criciúma sofreu dois gols de pênaltis, um que não existiu, e a diferença mínima no resultado não traduziu o que foi a partida, pois foi grande o número de gols perdidos por um time que tinha obsessão pelo ataque.

A vitória deixou o Criciúma a um ponto do primeiro lugar na fase de classificação faltando ainda duas rodadas, sendo que tinha mais um jogo no Heriberto Hülse. Começava a tarefa de zerar os cartões amarelos que seria o assunto mais discutido na semana seguinte”. 

A vitória sobre o Botafogo foi por 4x3 a além de Anderson Lobão marcaram Dejair e Juca com arbitragem do carioca Samir Yarak.

O Criciúma jogou com Fabiano, Paulo César Baier, Cametá, Luciano. Luciano Almeida; Cléber Gaúcho, Paulo César (Sandro), Juca, Dejair (Carlos Henrique); Delmer (Cléber Orleans), Anderson Lobão.

Na página 41 da revista a informação: “O recordista do Criciúma em levar cartões amarelos foi Paulo César Baier com 12, seguido de Paulo César com 9, Edinho com 8 e Cléber Orleans com 7. O time no total levou 97 cartões amarelos no campeonato brasileiro”. 

4oito

Deixe seu comentário