Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

O microfone da Som Maior virou mesa de boteco

Comportamento de time pequeno
João Nassif
Por João Nassif 27/01/2020 - 08:47

No calor da derrota o presidente Jaime Dal Farra teve arroubos de quem não está preparado para ocupar um dos três cargos mais importantes da cidade, além do prefeito e o do Bispo. 

Numa linguagem de botequim expôs todo seu despreparo, palavrões e ameaças, se comportando como dono do Criciúma, que na verdade é, pois o órgão que seria superior pelo organograma, o Conselho Deliberativo é totalmente omisso e conivente se agarrando à um contrato que trata do futebol e seu entorno. 

A imagem do clube, cada vez mais desgastada com a atual gestão é simplesmente ignorada pelo Conselho que fecha olhos e ouvidos e deixa o Criciúma se apequenar cada vez mais.

Quando todos envolvidos transferem para a arbitragem seus fracassos se percebe um processo digno de clubes menores que reclamam quando entendem ser prejudicados em favor dos grandes. O Juventus mostrou esta face contra o Criciúma, quando reclamou ao final do primeiro tempo uma penalidade não marcada a seu favor.

Citei o Juventus como exemplo, mas o Criciúma pela sua história e tradição teria que saber superar eventuais erros de arbitragem com um futebol de time grande. Não é o caso há alguns anos desde que a atual gestão se infiltrou no clube. 

Times ruins, falta de um projeto consistente, trocas incessantes de técnicos, poucos investimentos, enfim uma gestão desastrosa que não reconhece seus fracassos e transfere os insucessos.
    
 

4oito

Deixe seu comentário