Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

O jogo da virada para o título da Série B 2002

Almanaque da Bola #757
João Nassif
Por João Nassif 18/08/2020 - 09:10Atualizado em 18/08/2020 - 11:32

Depois de duas vitórias seguidas fora de seus domínios o Criciúma voltou ao Heriberto Hülse para conquistar sua quinta vitória consecutiva no campeonato brasileiro da série B de 2002.

Com a classificação para a segunda fase garantida a sequencia de vitórias indicou que o time conseguiria terminar a fase de classificação na primeira posição e decidir as partidas dos mata-mata dentro de casa.

A vítima da vez em seu 19º jogo foi o América de Natal, numa partida épica que a revista ‘Mais uma estrela” registrou desta forma:

“De volta para casa oi Criciúma encontrou uma enorme resistência de um adversário que ainda lutava para ficar entre os oito. Foi outro jogo complicado decidido somente nos últimos dez minutos quando ocorreu a virada, que teve muito a ver com a manifestação da torcida, que sentiu o perigo da perda da invencibilidade em casa e literalmente empurrou Cametá para o gol de empate e não parou até o pênalti sofrido pelo Tico.

O caldeirão voltava a ferver mostrando a todos o que viria pela frente. O garoto Sandro, que substituiu Dejair, tornava-se a grande opção do treinador pela sua versatilidade e também por um grande futebol.

Todos os concorrentes direto perderam na décima-nona rodada e o Criciúma pode abrir seis pontos de vantagem sobre os segundos, Avaí, Sport e Jundiaí, que entrava na briga.

Teria dois jogos duríssimos na sequencia e esta vantagem dava fôlego para qualquer tropeço”.

Na vitória sobre o time potiguar por 3x2, com gols de Luciano Almeida, Cametá e Paulo César Baier, o Criciúma jogou com Fabiano, Paulo César Baier, Cametá, Luciano, Luciano Almeida; Cléber Gaúcho (Cléber Orleans), Paulo César (Anderson Lobão), Juca, Sandro (Carlos Henrique); Tico e Delmer.

A arbitragem foi do gaúcho Fabiano Gonçalves. 

No rodapé da página 37 da revista foi escrito: “Betinho em 1994, Mabília em 1996 e Nando em 1998 foram os jogadores com maior número de gols numa única competição nacional pelo Criciúma EC. Cada um marcou 11 gols”. 

4oito

Deixe seu comentário