Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

O Criciúma EC de 2002 aprendeu a vencer fora de casa

Almanaque da Bola #756
João Nassif
Por João Nassif 17/08/2020 - 09:39Atualizado em 17/08/2020 - 10:14

Hoje vou retornar à sequencia de jogos do Criciúma no campeonato brasileiro da Série B de 2002. Todas as partidas estão registradas na revista “Mais uma estrela” que editei assim que terminou a competição. Na página 36 o comentário sobre o jogo de número 18, com o Criciúma já classificado para a segunda fase, é sobre o Vila Nova de Goiás:

“A luta agora era para ficar entre os quatro primeiros e levar vantagem no mata-mata. Seguindo a viagem, a próxima parada foi Goiânia, terra por onde passou Dejair que virou ídolo da torcida do Vila Nova. E Dejair não decepcionou seus fãs.

Estádio Serra Dourada

Deu um verdadeiro show de futebol, marcou três gols e no final foi aplaudido por todos os torcedores do time goiano. Novamente Edson Gaúcho surpreendeu, colocando Sandro, meia armador, como lateral esquerdo, pois Luciano Almeida havia recebido o terceiro cartão amarelo em Maceió.

Cléber Orleans entrou no segundo tempo na lateral direita, fez um gol e tornou-se mais uma opção para o técnico numa eventual necessidade. Delmer saiu no intervalo com uma pequena contratura, primeira lesão muscular no plantel depois de 18 jogos.

O Criciúma ia abrindo contagem na liderança. Depois de 18 rodadas tinha três pontos de vantagem sobre o segundo, o Avaí que pulou para 38 pontos”.

Na vitória por 4x2 sobre o Vila Nova no Serra Dourada o Criciúma jogou com Fabiano, Robson (Cléber Orleans), Cametá, Luciano, Sandro; Edinho, Paulo César, Juca, Dejair; Delmer (Douglas), Tico (Cléber Gaúcho). A arbitragem foi de Klever Gonçalves de Minas Gerais.

A informação da página: “O maior artilheiro do Criciúma EC em Copas do Brasil é o meia-esquerda Grizzo que marcou 5 gols nas disputas de 1990 1991”. 

4oito

Deixe seu comentário