Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Noite cômica, para não dizer trágica

Volante cirúrgico: "ataca como bando de índios"
João Nassif
Por João Nassif 31/01/2020 - 07:21

Ao final do hoje ontem a noite no Heriberto Hülse a pequena torcida do Tubarão saiu do estádio gritando: “Fica Dal Farra, fica Dal Farra” para em seguida declarar: “Te amo Dal Farra”.

Esta manifestação tem muito a ver com a verborragia do dirigente após o jogo de Jaraguá do Sul que ecoou pelo estado e pelo país. A humilhação feita pelos torcedores mostra que a forma como o Criciúma vem sendo tratado pelo seu presidente é percebida por muitos, inclusive pelos adversários.

Se tem este lado cômico, a tragédia que se vê é com o comportamento do time em campo. O volante Eduardo foi preciso ao declarar ao final do jogo que o Criciúma ataca como um bando de índios. 

Na entrevista coletiva o técnico Roberto Cavalo/Wilsão admitiu o fraco futebol do time que foi dominado pelo Tubarão em grande parte do jogo. Ao mesmo tempo transferiu a desorganização ao pouco tempo de trabalho e principalmente ao grande peso da camisa do clube que ainda não foi assimilada pelos contratados e pelos garotos que vieram da base. Ontem, inclusive foi frisado o mau rendimento de alguns jogadores que deverão perder a titularidade.

Em todas as entrevistas as explicações se repetem, mas o que se vê é realmente um time que deveria ao menos mostrar algo parecido com um padrão de jogo o que não é o caso. 

Desde o ano passado as desculpas pós jogo têm recaído sobre árbitros e jogadores quando na verdade os técnicos não conseguem fazer o time jogar. A insistência neste comando poderá ser fatal aos objetivos do clube na temporada.  

4oito

Deixe seu comentário