Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

No fundo do poço

Almanaque da Bola #505
João Nassif
Por João Nassif 10/12/2019 - 09:25

A partir de hoje vou trazer para os próximos Almanaques da Bola a trajetória do Criciúma na série C do campeonato brasileiro. Pela primeira vez em 2006 depois da reformulação do calendário pela CBF o Criciúma disputou a terceira divisão. 

O rebaixamento em 2005 foi traumático, pois a CBF havia proposto um regulamento onde 22 clubes jogariam entre si na primeira fase, somente com partidas de ida e a classificação seria em pontos corridos com o rebaixamento dos seis últimos.

Criciúma x Marília em 2005

O Criciúma terminou na penúltima colocação com 19 pontos conquistados por seis vitórias e um empate, sendo derrotado 14 vezes. O ataque marcou 24 gols e a defesa sofreu 45.

Junto com o Criciúma foram rebaixados o Vitória da Bahia, o Bahia, o Anapolina de Goiás, a União Barbarense de Santa Bárbara D’Oeste-São Paulo e o Caxias, último colocado.

A série C de 2006 foi disputada por 63 clubes, divididos em 16 Grupos sendo que um deles teve apenas três. O Criciúma foi colocado no Grupo 16 com o Brasil de Pelotas, o Novo Hamburgo e o Marcílio Dias.

O outro catarinense na terceira divisão em 2006 foi o Joinville.

Pelo regulamento os dois primeiros de cada grupo avançariam para a segunda fase. O Criciúma ficou na segunda posição atrás do Brasil.

No Almanaque de amanhã contarei de que forma o Criciúma enfrentou a temporada de 2006 se preparando para disputar a série C e conseguir retornar à segunda divisão do futebol brasileiro.
 

4oito

Deixe seu comentário