Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Muito ruim, mas respirando

Sem evolução
João Nassif
Por João Nassif 25/03/2019 - 06:45Atualizado em 25/03/2019 - 06:45

Que o Gilson Kleina é um técnico competente ninguém duvida, mas ao mesmo tempo sabem que não é mágico. Não tem como fazer jogar este time do Criciúma montado para a temporada por quem acha que não existe a tradição e uma história vencedora de um clube que apaixona seus torcedores. O Criciúma só sobrevive no campeonato pela fragilidade daqueles que com ele brigam pela classificação. Os melhores do estado já garantiram as semifinais. 

COLOCA NO DIVÃ
É urgente que se trabalhe psicologicamente o volante Eduardo. Não tem a mínima noção e seu papel no time, ele que é elogiado e tipo queridinho de todos os técnicos que o tiveram sob comando. Quase sempre violento, gosta de uma discussão e ontem tomou um cartão amarelo depois de um bate-boca quando simulou ter sofrido um pênalti e quase em seguida depois de perder uma bola segurou pelas costas o adversário e foi expulso. Não é o único responsável pela derrota, mas impediu o time de jogar um pouco mais e quem sabe garantir pelo menos um empate que ajudaria bastante. O Criciúma não aproveitou a derrota do Marcílio Dias em casa para o Metropolitano que escapou da zona do rebaixamento. 

DESCULPAS MANJADAS
Sempre que a seleção brasileira termina um jogo com resultado ruim, os comandantes vêm para os microfones cheios de explicações para tentar explicar o resultado. Sábado não foi diferente após o empate contra a seleção panamenha, 76ª colocada no ranking da FIFA.

JUSTIFICATIVAS
O técnico Tite alegou que está promovendo uma mudança gradual no time com a entrada de vários jogadores que ainda não têm maior experiencia na seleção, está modificando o esquema com uma linha de quatro no setor defensivo, que o meio campo ainda não atingiu o entrosamento ideal, faltou apenas dizer que seu time ainda sofre com a Neymar dependência. Sem o indiscutível grande jogador, machucado, a seleção sofre em criatividade e força ofensiva.

DESTAQUES
O noviciado de alguns, creio não é motivo pelo empate contra o frágil Panamá que não vence há muito tempo. Todos os escalados são destaques em suas equipes no futebol europeu, portanto já com experiencia suficiente para impor um futebol de maior qualidade. Richarlyson e Lucas Paquetá jogaram como gente grande ao passo que outros titulares como Militão, Arthur, Firmino, Philippe Coutinho, ficaram devendo o que jogam em seus clubes. 

RENASCIMENTO
Impressiona a capacidade de renovação da seleção alemã que fez aquele fiasco monumental na Rússia durante a Copa do Mundo, quando defendia o título depois de ter sido campeã no Brasil. Num processo de mudança que acontece a cada ciclo de dois ou três mundiais os alemães que foram rebaixados na Liga das Nações, torneio da UEFA pós-Copa ressurge com força nas eliminatórias da Eurocopa. A vitória de ontem na Holanda mostra a força de seu futebol e a perspectiva de voltar em alguns anos a dominar o futebol mundial.

25/03 – “Revolta na França”
Em 25 de março de 1968, começa a revolta estudantil na Universidade de Nanterre. na França, contra a reforma educacional do Plano Fouchet. Foi uma faísca para a classe operária romper o isolamento das manifestações localizadas e retomar as greves e as ocupações de fábricas, resultando no Maio Francês.
 

4oito

Deixe seu comentário