Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Mudança de técnico impediu o acesso

Almanaque da Bola #513
João Nassif
Por João Nassif 18/12/2019 - 13:27

Nos últimos Almanaques contei a participação do Criciúma pela primeira vez de uma série C, a terceira divisão do campeonato brasileiro. Depois de rebaixado da série B em 2005 o Criciúma voltou como campeão no ano seguinte e mesmo sofrendo para ultrapassar as fases iniciais, numa campanha fantástica na reta final buscou o acesso como campeão.

De volta à série B o Criciúma trouxe como novidade o técnico Gelson da Silva, ex-jogador que fazia parte do time supercampeão no início da década 1990 e ídolo eterno dos torcedores. 

Gelson da Silva

Gelson fez um grande trabalho junto com o preparador físico Toninho Camarão e o time permaneceu líder durante grande parte do campeonato. Por razoes que muitas vezes o próprio futebol não explica, o técnico depois do time oscilar no início do returno foi sumariamente demitido pelo presidente Moacir Fernandes e o Criciúma não conseguiu manter o nível despencando na classificação.

Depois do Gelson o Criciúma contratou Renê Weber que durou apenas três jogos e três derrotas. Veio para o comando técnico Roberto Cavalo que trabalhou em nove jogos e entre eles o até então interino Luiz Gonzaga Milioli. 

 

O Criciúma terminou a série B de 2007 em sétimo lugar apenas seis pontos abaixo da zona de acesso.

Se em 2007 o Criciúma conseguiu permanecer na série B, o mesmo não aconteceu no ano seguinte. Novamente a troca de treinadores mostrou a falta de planejamento que culminou com nova queda para a série C.

Passaram pelo clube, Leandro Machado, Gelson da Silva que retornou, Edson Gaúcho, Paulo Campos e o Luiz Gonzaga Milioli interinamente em vários jogos.

Em 2009 o Criciúma disputou pela segunda vez a terceira divisão do futebol brasileiro e não repetiu 2006.

Amanhã vou detalhar a campanha do Criciúma na série C de 2009.
 

4oito

Deixe seu comentário