Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Moto GP encerra a temporada mais improvável dos últimos anos

João Nassif
Por João Nassif 24/11/2020 - 10:04

Thiago Ávila *

Esse final de semana, a MotoGP encerrou sua temporada 2020, com o GP de Portugal. O anfitrião Miguel Oliveira venceu de ponta a ponta e conquistou sua segunda vitória no ano, seguido de Jack Miller e Franco Morbidelli.

A principal categoria de motos teve seu ano mais atípico dos últimos tempos. O hexacampeão Marc Márquez sofreu uma queda dura na estréia em Jerez, e não participou mais da competição.

Com isso, o espanhol Joan Mir, em seu segundo ano na categoria, se aproveitou para levar a Suzuki de volta ao título depois de 20 anos. Com Márquez de volta no ano que vem, o atual campeão ainda espera desafiar o espanhol: “Eu realmente quero encontrá-lo na pista e fazer alguns duelos. Marc ainda é, para mim, o homem a ser batido”, disse Mir ao podcast do Motorsport.com.

Outra grande surpresa foi o ítalo-brasileiro Franco Morbidelli, que terminou em segundo, como o melhor das Yamahas, mesmo em uma temporada extremamente irregular da montadora japonesa. Franco andou com uma moto de configuração desatualizada e mesmo assim superou os demais companheiros.

Álex Rins, que está há quatro anos na Suzuki, perdeu uma ótima oportunidade de se tornar campeão e lamentou por não ter brigado mais com o companheiro durante o ano. As ausências por lesão nas duas primeiras etapas da temporada permitiram que Mir desse um bom passe à frente.

Andrea Dovizioso, quarto colocado, é outro que sai desapontado. Depois de três vice-campeonatos consecutivos, um ano extremamente abaixo do ideal o deixou fora da briga pelo título. “No fim, com a sensação que tive neste ano, terminar em quarto é mais uma confirmação de que a minha abordagem e a minha mentalidade em relação ao campeonato funcionam, mas a sensação não era realmente boa para lutar pelo campeonato, então estou desapontado com isso”. Dovi tirará um ano sabático e não estará no grid em 2021.

Pol Espargaró, ao contrário, sai extremamente realizado e forte para competir na Honda ano que vem. Ele conquistou seu melhor resultado no mundial, com o quinto lugar empatado com Dovizioso e sendo o grande nome da KTM durante o ano.

Maverick Viñales e Fabio Quartararo que decepcionaram bastante. Os dois principais nomes da Yamaha em 2020 foram apenas sexto e oitavo, contando com uma primeira metade de altos e baixos e uma reta final desastrosa. O espanhol classificou como a "pior temporada da carreira", já o francês disse não se sentir confortável na moto desde o GP da França.

* Jornalista
 

Tags: Moto GP

4oito

Deixe seu comentário