Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mais uma vez ausente

João Nassif
Por João Nassif 27/02/2018 - 08:40

O atacante Neymar vem sendo preparado desde a infância para se tornar o melhor jogador do mundo. Mais novo que Lionel Messi e Cristiano Ronaldo que há muito tempo dividem a hegemonia em todas premiações do planeta, Neymar tem todas as condições de em breve ocupar este trono.

Mas, o destino tem sido cruel com Neymar. Nos momentos em que pode alavancar em definitivo sua trajetória para o topo os infortúnios pertinentes à profissão pregam-lhe peças que os dois atuais maiores não sofreram.

Primeiro foi a contusão nas costas que o tirou da reta final da Copa do Mundo de 2014 sofrida contra a Colômbia nas quartas de final. Neymar escapou da catástrofe dos 7x1.

Neymar atingido contra a Colômbia em 2014 (Foto: verdadeestampaada.com)

No ano seguinte uma expulsão provocada por reclamação num jogo disputado no Chile pela Copa América contra a mesma Colômbia. Mais que a expulsão em si a tentativa de agredir o árbitro lhe rendeu quatro jogos de suspensão. Neymar ficou fora do resto do torneio e a seleção brasileira foi desclassificada pelo Paraguai nas quartas de final.

Em 2016 o Barcelona, seu time, não permitiu que Neymar jogasse a Copa América do Centenário, um caça níquel festivo que não estava no calendário da FIFA. Em seguida Neymar foi campeão olímpico aqui no Brasil vencendo a Alemanha na final numa disputa por pênaltis.

Agora em 2018 uma fissura num dos dedos do pé, após uma torção, Neymar ficará de fora do jogo do ano, contra o Real Madrid quando o PSG terá que reverter a derrota por 3x1 na partida da Espanha. Não teremos nesta decisão o esperado confronto de Neymar contra Cristiano Ronaldo que poderia elevar o status do brasileiro na corrida pelo título de melhor do mundo.

Neymar chorando pela fratura (Foto: Uol)

Todo esforço feito pelo próprio jogador, pelos seus conselheiros, por toda mídia brasileira e pela quase totalidade dos torcedores brasileiros está indo por água abaixo pelos percalços sofridos por Neymar que tem ficado ausente em momentos decisivos para sua própria carreira.

Só lembrando que um título olímpico diz quase nada, poucos se lembram da conquista inédita do futebol brasileiro.   
 

4oito

Deixe seu comentário