Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Mais um amigo que se foi

João Nassif
Por João Nassif 25/05/2020 - 17:20Atualizado em 25/05/2020 - 17:22

O futebol tem me trazido grandes amizades que fui cultivando ao longo de mais de 50 anos de carreira. Aprendi respeitar os profissionais em todos os níveis, dos que trabalharam em grandes clubes e dos que sofreram com os obstáculos  encontrados em times médios e principalmente pequenos.

Alguns já não estão mais por aí, outros distantes, mas sempre disponíveis quando necessário para um bom papo. Osvaldo Alvarez, o Vadão par tivemposo mundo do futebol nos deixou nesta segunda-feira. 

Conhecia o trabalho do Vadão pela energia e inovações que implantou no futebol paulista, trabalhos que o levaram à grandes clubes e que teve fim no comando da seleção brasileira feminina. Teve uma breve passagem por Criciúma e deixou sua marca com o título catarinense, o último do clube em 2013.

A primeira vez que falei com Vadão foi em uma noite no Estádio Renato Silveira em Palhoça quando o Criciúma derrotou o guarani por 2x1. Após o jogo desci ao gramado, me apresentei e batemos um longo papo. Foi quando pela primeira vez ouvi falar do livro "A Bola não entra por acaso". Vadão afirmou que a publicação deveria ser lida por todos quantos trabalham com o futebo, principalmente os dirigentes.

Depois tivemos novos encontros durante as viagens pelo estado e depois pelo país quando cobria o campeonato brasileiro da série A. Sempre com o Waguinho, seu auxliar até o final da carreira com o gerente Cícero Souza fizemos ótimas resenhas sobre o futebol, paixão de todos nós.

Tivemos várias conversas em todos estes anos, inclusive uma no programa que eu dividia com o Marco Burigo, o Som Maior Esporte. O programa foi irradiado entre o final de 2017 e o início de 2018 e no dia 27/01/2018 a atração do programa foi Osvaldo Alvarez, o Vadão, que descanse em paz. Ouçam agora a entrevista

Tags: Vadão

4oito

Deixe seu comentário