Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Independência do enclave

Comemoração provocativa
João Nassif
Por João Nassif 03/04/2019 - 12:31

Dois jogadores defendendo a seleção da Suíça na última Copa do Mundo simbolizaram para todo o planeta a relação do futebol com a política. 

A Suíça venceu a Sérvia de virada por 2x1 com gols marcados por Granit Xhaka e Xherdan Shaqiri e na comemoração dos gols os dois fizeram uma manifestação política em favor de suas origens. 

Com as mãos Xhaka e Shaqiri imitaram uma águia negra de duas cabeças, símbolo da bandeira da Albânia.

A ação pode ser considerada pela Sérvia uma grave ofensa, pois a Sérvia luta contra as tentativas de independência de Kosovo, um enclave sérvio onde a maioria da população é de origem albanesa.

Xhaka nasceu na Suíça, mas seus pais são kosovares. Seu pai foi preso político na Iugoslávia durante mais de três anos por participar de manifestações contra o governo comunista da Sérvia.

Shaqiri nasceu em Kosovo quando a região fazia parte da antiga Iugoslávia e emigrou com a família para a Suíça em 1992. O meia apresentou duas bandeiras em suas chuteiras durante a Copa, a da Suíça e a do Kosovo.

Além dos dois goleadores na partida contra a Sérvia no Mundial da Rússia, a seleção suíça contou também com Valon Behrami, outro atleta kosovar.
 

4oito

Deixe seu comentário