Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Expulsões que impediram uma possível vitória do Criciúma

João Nassif
Por João Nassif 17/10/2021 - 11:37

Assistindo os melhores momentos pude comprovar o acerto das expulsões que mudaram completamente o destino do jogo de ontem no Heriberto Hülse.

Na primeira o volante Dudu Vieira entra de maneira perigosa no lateral do Botafogo que se estivesse com a perna no chão poderia ter sofrido uma fratura, tal a violência do choque. Dudu Vieira foi com a sola da chuteira no meião do adversário.

Na segunda, o outro volante Léo Costa depois de caído, inexplicavelmente deu um chute rosto do jogador do Botafogo que estava se levantando depois do choque entre ambos.

Por mais que os torcedores tenham pressionado árbitro e jogadores do Botafogo e o próprio técnico Cláudio Tencati tenha discordado da primeira expulsão, o VAR funcionou como diz o protocolo, chamou o árbitro e mostrou o lance em vários ângulos para confirmar a violência das jogadas e gerar as expulsões.

Sem um volante expulso aos seis minutos do primeiro tempo o técnico Cláudio Tencati mudou a estratégia e se obrigou a montar duas linhas de quatro em seu setor defensivo deixando apenas Henan à frente.

Com Fellipe Matheus e Silvinho pelos lados, a ideia era proteger os laterais e buscar explorar os corredores para encaixar uma contra ataque e chegar ao gol. O time foi eficiente na marcação com nenhuma solução ofensiva.

Com a segunda expulsão fechou ainda mais a defesa com marcação da intermediaria para trás e novamente buscando o contra ataque já com Higor como único atacante, jogador com mais presença física e velocidade que Henan. Teve alguns ataques promissores, mas com deficiência no último passe e nas conclusões.

O Botafogo inexistiu ofensivamente. Com muita posse bola por ter jogadores a mais em momento algum teve chances claras de gol, apenas arremates de fora da área que não levaram perigo ao goleiro Gustavo.

Gustavo, aliás que além de bom goleiro está sendo notado também pela cera ostensiva na reposição e quase sempre caído para matar tempo, mostrando satisfação pelos resultados dos jogos, seja ganhando ou como empatando como ontem. 

Resumindo, a tão esperada vitória que daria o passe decisivo para o acesso foi prejudicada pelas expulsões, responsáveis pela frustração do grande número de torcedores que finalmente puderam entrar no estádio.

A torcida foi exemplar, apoiou, pressionou e no final aplaudiu o esforço dos jogadores que sobraram em campo. Foi novamente a torcida que estávamos acostumados a ver no Heriberto Hülse.
 

4oito

Deixe seu comentário