Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Em tempos de confinamento

Registrado na história
João Nassif
Por João Nassif 23/03/2020 - 16:51

Nestes tempos de absoluta reclusão tenho trabalhado muito em pesquisas, principalmente sobre Copas do Mundo e preparando nova edição do Almanaque das Copas para publica-lo no final de dezembro de 2021.

Como a fixação em escalações, artilharias e outros itens necessários para uma completa informação causa um desgaste muito grande, me permito intervalos para assistir um filme, conferir o noticiário, conversar com a patroa e procurar no Youtube algo de maior relevância.

E não é que vasculhando encontrei disponibilizado pela FIFA um vídeo com a reprise completa do jogo Brasil e Alemanha pela semifinal do Mundial de 2014.

Já havia revisto várias vezes os gols que marcaram a pior derrota da seleção brasileira em todos os tempos. À época discutimos bastante o ambiente festivo que tomava conta do país com a possibilidade do hexa, a falta de equilíbrio emocional dos jogadores estampada dias antes no choro do capitão Thiago Silva a falta que fez o Neymar e a própria escalação proposta pelo técnico Luiz Felipe Scolari.

O vídeo começa com a entrada em campo das duas seleções, a brasileira em fila indiana com os jogadores esticando o braço nos ombros do que estava à sua frente num ritual que pretendia mostrar a unidade do grupo.

Na hora do Hino Nacional que todos cantavam a capela, os jogadores gritavam mostrando seu amor à Pátria e David Luiz, o capitão de plantão estendeu a camisa nº 10, homenagem ao craque ausente.

Gol de Mueller começando a goleada

E veio o jogo, aos 10 minutos na cobrança de um escanteio com um erro mortal de marcação foi permitido a Tomas Müeller marcar o primeiro gol.
Com uma linha defensiva com Maicon, David Luiz, Dante e Marcelo, com dois volantes Fernandinho e Luiz Gustavo, uma linha de três mais a frente com Bernard (o da alegria nas pernas) pela direita, Oscar centralizado e Hulk pelo lado esquerdo e apenas Fred mais avançado, o Brasil não teve capacidade de criação e muito menos força ofensiva para buscar o empate.

Até que o Brasil inteiro parou para acompanhar a catástrofe que se fez presente. Tive o cuidado e a paciência de detalhar o que foram os 06min41seg da maior tragédia do futebol brasileiro. O relógio que marcava o tempo de jogo foi implacável.

Eram passados 22min08seg quando a Alemanha fez o segundo gol. Num bote errado do Fernandinho na faixa central da intermediaria permitiu que os alemães fizessem uma linha de passe e fossem área adentro para Toni Kross chutar tirando de Júlio César. 

O relógio marcava 23min57seg quando nova linha de passe por dentro da zaga brasileira Miroslav Klose marcava o terceiro gol e seu 16º em Copas do Mundo superando Ronaldo Fenômeno para maior desespero dos torcedores brasileiros.

E tinha mais, aos 25min06seg outra linha de passe permitiu que novamente Toni Kroos aparecesse sem marcação para estampar a goleada no placar do Mineirão.

E não parou por aí, outra jogada combinada pela direita da defesa brasileira e aos 28min49seg Sami Khedira completou a goleada no primeiro tempo. Os alemães visivelmente constrangidos não quiseram manter o ritmo demonstrando respeito por seleção mais vezes campeã mundial.

O jogo se arrastou no segundo tempo e parece que não avisaram Andre Schueller no lugar de Klose e foi logo enfiando mais dois gols na perdida zaga brasileira. O gol de Oscar no finalzinho do jogo não minimizou a hecatombe.

Em 06min41seg a Alemanha marcou quatro gols, que descontado o tempo de comemoração, afirmar seguramente que com a bola rolando os gols foram marcados em pouco mais de 03 minutos. 
 
 

4oito

Deixe seu comentário