Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Em casa mando eu!

Campeão gigante
João Nassif
Por João Nassif 19/09/2019 - 07:05

Foi com este espirito que o Internacional saiu da Arena da Baixada derrotado no primeiro jogo da final da Copa do Brasil. Jogou o tempo todo na retranca para alcançar um 0x0, mas levou um gol e deixou o campo como se tivesse vencido. O Colorado gaúcho apostou todas suas fichas no caldeirão do Beira Rio para conquistar o título.

Esqueceu que do outro lado havia um time mais novo, certamente menos experiente, mas com uma velocidade que poderia ser o diferencial. Além do mais o Inter não é um time tecnicamente confiável, depende muito da raça e coração para buscar os resultados. Muitas vezes estes componentes não são decisivos e podem gerar reações que impedem as grandes conquistas.

Foto: Globo Esporte.com

Desde o primeiro movimento do jogo esta imposição caseira se fez presente quando o atacante Guerrero, sem bola deu uma chegada no volante do Athletico e se fez de desentendido, mas mostrando que aqui em casa eu é que mando. E mais, durante quase todo jogo as reclamações foram fortes em cima da arbitragem que teve um comportamento digno sem ser suscetível a qualquer pressão.

O time paranaense foi cirúrgico, depois de ser pressionado de início fez o que sabe de melhor e na velocidade de um contra-ataque fulminante abriu o placar. Sofreu o empate ainda no primeiro tempo num apagão de sua zaga, mas soube com tranquilidade usar o desespero do adversário e cozinhar a decisão com o placar agregado a seu favor.

Fechou a conta com uma jogada espetacular do Marcelo Cirino que driblou vários jogadores para colocar o Rony na cara do gol para o chute fatal. Nem precisava, pois o Internacional já estava entregue e com parte da torcida no caminho de casa.

Justiça à um grande campeão que não se curvou às mensagens de antes e durante o jogo afirmando que o dono é quem manda em sua própria casa.   
 

4oito

Deixe seu comentário