Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Do fundo do poço para a série B

Almanaque da Bola # 515
João Nassif
Por João Nassif 20/12/2019 - 14:14

Para a série C de 2010 a CBF manteve o formato do ano anterior dividindo os 20 clubes em quatro chaves de cinco em cada uma com os dois primeiros se classificando para as quartas de final.

Definidos os confrontos, as equipes se enfrentaram no sistema mata-mata e os vencedores automaticamente estavam confirmados para a série B em 2011.

A CBF procurou dividir os grupos o mais regionalmente possível e o Criciúma fez pare do Grupo 4 junto com a Chapecoense, o Caxias, o Juventude e o Brasil de Pelotas, coincidentemente três gaúchos e dois catarinenses lutaram pelas duas vagas às quartas de final.

Festa no Heriberto Hülse em 2010

O Criciúma começou sua caminhada de retorno à série B empatando em 1x1 com o Juventude em Caxias do Sul, gol do zagueiro Evaldo. Fez o segundo jogo em casa contra o Brasil e venceu por 2x0 com gols do Márcio Guerreiro e Lincom.

O terceiro jogo também foi no Heriberto Hülse e nova vitória por 2x0, desta feita sobre a Chapecoense e de novo com gols do Márcio Guerreiro e Lincom. O Criciúma fechou o turno derrotado pelo Caxias em Caxias do Sul por 1x0.

Perdeu a primeira do returno por 1x0 em Chapecó, depois venceu em casa o Caxias por 1x0 com gol de Lins. Depois desta vitória o Criciúma empatou os dois últimos jogos da chave, 0x0 com o Brasil em Pelotas e 1x1 contra o Juventude em casa com o gol marcado por Diogo Oliveira.

O Criciúma terminou em primeiro lugar no grupo com 12 pontos com a Chapecoense em segundo com 11. Os dois catarinenses passaram às quartas de final e os três adversários gaúchos foraa eliminados sendo que o Juventude ficou na última colocação rebaixado para a série D.

Nas quartas de final o Criciúma decidiu o acesso em dois jogos contra o Macaé do Estado do Rio de Janeiro que será nosso assunto de amanhã.
 

4oito

Deixe seu comentário