Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Começaram os testes da Fórmula 1

Surpresas e decepções
João Nassif
Por João Nassif 23/02/2019 - 10:07

Thiago Ávila *

Falta pouco menos de um mês para o início de mais uma temporada da principal categoria automobilística do mundo, mas essa semana os carros já foram para a pista em Barcelona, para a primeira semana de testes. E o que dizer dos novos carros? Quem larga na frente?

A Ferrari, sem dúvida, foi o que teve o melhor desempenho durante os testes, com Sebastian Vettel e Charles Leclerc liderando os dois primeiros dias de treino, de pneus médios. A equipe de Maranello também não chegou a testar outros tipos de pneus, o que pode ser uma estratégia para esconder mais o jogo.

Mas quem parece estar usando e abusando dessa estratégia é a Mercedes, que fez tempos discretos em todos os dias, apesar de ser a equipe que mais rodou (610 voltas), com Bottas sendo o pior dos que usaram o supermacio e Hamilton fazendo um tempo um pouco abaixo, de macio. Toto Wolff - chefe de equipe - e Hamilton afirmaram em entrevistas que o carro não está dos melhores e a Ferrari é mais rápida. Veremos se isso se confirma ou é só conversa para boi dormir.

A terceira equipe provável na disputa do título, a Red Bull, estreou com seu novo motor Honda – o famoso “motor de GP2”, segundo Fernando Alonso – e apesar de ter andado a maioria das vezes de pneu macio, sempre se mantinha próximo dos primeiros. Não foi tão consistente quanto a Ferrari, na classificação final foram até piores que a Alfa Romeo e a Haas, que utilizaram os mesmos pneus. Mais um que só na Austrália saberemos quem de fato é durante o ano. Mas minha expectativa é que andem bem acima, tem uma ótima equipe de engenheiros, liderados pelo excelentíssimo projetista Adrian Newey – multicampeão da F1, que inclusive fez os carros dos títulos de Vettel.

Mas voltando a Alfa Romeo e Haas, as duas equipes satélites da Ferrari andaram extremamente bem nos treinos, com destaque ao quarto melhor tempo de Kimi Raikkonen, mais uma mostra que o motor italiano não falha. E tivemos brasileiro na pista! Pietro Fittipaldi substituiu Magnussen na terça e quarta-feira, completando 61 voltas ao todo, e claramente com tempos abaixo de seus companheiros de Haas.

A Renault e sua equipe cliente McLaren foram as equipes que mais diversificaram nos seus pneus, fazendo tempos bons com quatro dos cinco compostos disponíveis. A equipe francesa impressionou colocando Hulkenberg como líder da sessão de quinta-feira e é o nome mais forte para ocupar o posto de quarto melhor carro da temporada. Já os britânicos estiveram bem, um pouco abaixo dos franceses, mas com uma máquina bem mais confiável que o ano passado.

A Toro Rosso é outra equipe Honda que fez bonito, colocando seus dois pilotos na segunda e terceira colocações, e é outra equipe de meio grid a se prestar atenção.

Mas as grandes decepções da semana foram Racing Point e Williams. A primeira rodou voltas apenas com pneus médios e duros e só não fizeram tempos piores que a Williams, que correu apenas um dia e meio, rodou 88 voltas e colocou seus dois carros com mais de um segundo em relação a Pérez, o 19º.

* Thiago Ávila, Estudante de Jornalismo da PUCRS


 

4oito

Deixe seu comentário