Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Balanço Geral da Fórmula 1-2018

Charles Leclerc, o cara
João Nassif
Por João Nassif 04/12/2018 - 21:00

Thiago Ávila *

Chegamos a mais um fim de temporada da F1 e como feito no final do ano passado, vamos analisar cada piloto e seu desempenho. Quem se destacou? Quais foram as grandes decepções? As surpresas? Desta vez classificaremos o nível dos pilotos em notas de um a cinco.

Lewis Hamilton — nota 4
Hamilton fez um ano quase espetacular, não foi perfeito por detalhes. Se analisarmos três quartos do campeonato poderíamos dizer que Lewis foi sensacional, impecável, mas seu início foi bem ruim, com muitas vitórias “na sorte” e chegando a ser superado por Bottas na maioria dessas vezes.

Sebastian Vettel — nota 3
Vettel cometeu erros, sim, mas brigou de igual para igual com o britânico durante praticamente toda a temporada. Até as férias era perfeito, depois das férias deixou o título escapar por bobeira. Na pista, Seb sempre levava melhor que Lewis nas disputas, mas esses “erros de principiante” custaram muito caro.

Kimi Raikkonen — nota 3
Calou minha boca depois dessa temporada. Fez o melhor ano depois do retorno dele na equipe de Maranello, chegando até a ganhar uma corrida e se tornar o finlandês com mais vitórias na F1. Não foi perfeito, longe disso, foi destruído por Vettel mais um ano, mas uma nota 3 tá de bom tamanho.

Max Verstappen — nota 4
Queria ter colocado a nota máxima, mas o seu início de ano foi bem desastrado, principalmente na China, que por bobeira deixou a vitória escapar. Fora isso, foi fantástico e já é um piloto de ponta com apenas 21 anos. Fez cinco pódios em sequência nas últimas corridas e terminou a temporada como se já fosse muito experiente na categoria.

Valtteri Bottas — nota 2
Só não coloco nota 1 pelo início de temporada que foi melhor até que Lewis. Poderia ter ganho três corridas, mas não ganhou nada e depois que Hamilton começou a levar a temporada a sério, o finlandês foi totalmente apagado.

Daniel Ricciardo — nota 3
Não dá para culpar muito o australiano pelos problemas de motor que a Renault proporcionou, mas mesmo assim foi abaixo de Verstappen. Perdeu tanto no tempo quanto nas disputas de pista. Ganhou duas corridas, ponto positivo.
 
Nico Hulkenberg — nota 4
Depois de falarmos do Big 6, vamos ao resto. Hulkenberg não fez lá uma surpreendente temporada, na verdade fez o que sempre fez com um carro que sempre lhe dava o sétimo lugar. Ou seja, fez o que tinha que ser feito, cumpriu sua missão. 

Sergio Pérez — nota 3
O mexicano fez uma de suas temporadas mais apagadas na Force India. Reagiu bem com a chegada de Lawrence Stroll e terminou em oitavo. Nada demais.

Kevin Magnussen — nota 4
Fez uma temporada surpreendente por uma Haas que não se esperava nada. Começou muito bem, foi perdendo rendimento no final da temporada, mas acabou em uma posição muito acima da expectativa.

Carlos Sainz — nota 2
O décimo lugar para o espanhol não era o mais esperado para ele. Claro que fez corridas interessantes, principalmente a última em Abu Dhabi, mas pela expectativa que saiu da Toro Rosso ano passado era para fazer briga ferrenha com Hulk na Renault. Não foi o que vimos…

Fernando Alonso — nota 4
Alonso andou sempre acima do que se esperava da sua McLaren. Poderia ter dado nota 5, mas como a expectativa da equipe era para que o espanhol fizesse a melhor temporada dos últimos anos, ficou a desejar. Deu adeus à F1 em Abu Dhabi, vai deixar muitas saudades…

Esteban Ocon — nota 3
O pessoal pede muito para que o francês tome o lugar de Bottas na Mercedes, mas como um piloto que está a dois anos na Force India e não consegue nem vencer seu companheiro pode conquistar esse assento tão almejado? Teve seus bons momentos na temporada e teve a confusão irresponsável com Max Verstappen no Brasil.

Charles Leclerc — nota 5
Esse sim merece respeito, esse fez uma temporada excelente e muito mais que a obrigação. Se adaptou rapidamente em sua Sauber/Alfa Romeo e entrou oito vezes no Q3, com destaque para sua persistência no qualy do Brasil, onde, na chuva e contra a vontade da equipe, conquistou uma vaga na sessão final.

Charles Leclerc

Romain Grosjean — nota 3
Foi horrível no primeiro terço do campeonato. Se mostrava melhor que Magnussen nos treinos, mas cometeu muitos erros inexperientes para quem está há sete anos na categoria. Quando não errou foi bem, inclusive um quarto lugar na Áustria.

Pierre Gasly — nota 4
Fez uma ótima estreia na categoria, mas não fez milagre como foi Leclerc. Fez o que se esperava dele como um ex-campeão da GP2 e superou seu companheiro de equipe.

Stoffel Vandoorne — nota 2
O belga simplesmente foi sucumbido por Fernando Alonso: 21 a 0 em qualys. Tudo bem, é o Alonso, um dos melhores pilotos da história. Seu carro também era fraco, não pode fazer nada, e a pressão sobre ele o fez perder rendimento. A cobrança sobre Stoffel o fez pedir para sair da equipe, fez bem, mas é triste ver um piloto tão talentoso ter sua vida na F1 praticamente encerrada.

Marcus Ericsson — nota 2
Eu só não dou nota 1, porque conseguiu marcar alguns pontos esse ano e entrar em alguns Q3. Mas não agrega nada para a categoria e foi simplesmente destruído por Leclerc. Tchau, amigo, já vai tarde…

Lance Stroll — nota 2
É difícil avaliar o ano de um piloto sendo este na pior equipe disparada da temporada. Não dou nota 1 por pena e por ter ficado na frente do companheiro.

Brendon Harley — nota 2
Se não fosse pelo final de temporada ganharia a nota mínima com gosto, mas terminou bem o ano, bateu de frente com Gasly e brigou na zona de pontos constantemente.

Sergey Sirotkin — nota 1
Para não dizer que estou sendo bonzinho demais, vou dar nota mínima para o russo. Ele conseguiu ser o pior no pior carro. Em contrapartida, gostaria de ver mais dele, não é fraco, foi bem na GP2. Vamos relevar, é sua temporada de estreia. 

* Thiago Ávila, Estudante de Jornalismo da PUCRS
 

4oito

Deixe seu comentário