Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Almanaque da Bola #037

Nos primórdios somente atletas amadores
João Nassif
Por João Nassif 28/08/2018 - 18:27Atualizado em 29/08/2018 - 18:34

O futebol, esporte mais popular do planeta é como se fosse um intruso nas Olimpíadas que dão maior visibilidade a outras modalidades o que fica claro quando se vê a história do futebol nos Jogos Olímpicos.

Esta relação conflituosa torna praticamente impossível que as grandes potências mundiais consigam a tão cobiçada medalha de ouro. São poucas seleções de alto nível que alcançaram em Olímpiadas o lugar mais alto do pódio. 

Na Era Moderna apenas a França em Los Angeles em 1984, a Espanha quando foi anfitriã em Barcelona em 1992, a Argentina em 2004 em Atenas e o bi em 2008 em Pequim e o Brasil em casa em 2014 conquistaram a medalha de ouro.

Os conflitos ainda persistem e têm origem nos primórdios dos ciclos olímpicos O Barão de Coubertin, criador dos Jogos Olímpicos era defensor ardoroso do amadorismo, por isso o futebol foi admitido na segunda edição dos Jogos em 1900. Até 1928 o torneio olímpico de futebol era a principal competição internacional de seleções.

Com a implantação da Copa do Mundo em 1930 começou o profissionalismo no futebol e a FIFA a partir de 1936 admitiu às seleções olímpicas relacionar seus melhores atletas desde que fossem amadores. 

Esta restrição permitiu que os países socialistas do Leste Europeu mandassem para os Jogos seus principais jogadores, pois eram oficialmente militares, portanto amadores. Os países ocidentais eram obrigados a mandar jogadores amadores ou das categorias de base.

Hungria potência do futebol olímpico nos anos 1950

Em função deste impedimento a supremacia dos países socialistas ficou evidente com Hungria sendo campeã olímpica três vezes, a União Soviética vencendo duas vezes e Iugoslávia, Polônia, Alemanha Oriental e Tchecoslováquia conquistando uma medalha de ouro.

Com a dissolução da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) em 1991 chegou ao fim a supremacia no futebol olímpico dos países socialistas.

Mesmo que ainda haja restrições na montagem dos times olímpicos de futebol, Nigéria, Camarões, Espanha, Argentina duas vezes, México e Brasil já conseguiram a cobiçada medalha de ouro.  
 

4oito

Deixe seu comentário