Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ajuste gradual

Minha coluna de hoje em A TRIBUNA
João Nassif
Por João Nassif 23/01/2019 - 07:35Atualizado em 25/01/2019 - 12:12

Na primeira partida jogando em casa o Criciúma foi senhor absoluto das ações e perdeu pelo imponderável do futebol. Foi apenas uma chance criada pelo Figueirense que resultou no gol da vitória. Em Itajaí contra o Marcílio Dias num jogo mais equilibrado soube superar a pressão e buscar no final o gol da vitória. Dois jogos e duas situações diferentes. São experiencias que dão ao técnico Doriva elementos importantes para ir ajustando aos poucos o time em seus conceitos e com mais alguns jogos buscar a formatação e o entrosamento definitivos.

SEM PRESSÃO
Claro que do ponto de vista da história o Criciúma em qualquer circunstância sempre teve a obrigação de vencer pelo campeonato catarinense, independentemente de onde irá jogar. Nos dias atuais esta obrigação perdeu força, os adversários cresceram a ponto de igualar ou mesmo superar a força do Tigre e além de tornar os jogos mais equilibrados ainda vêm obtendo vantagem em qualquer local de disputa. Por isso o Criciúma não tem a obrigação de vencer o jogo de hoje em Chapecó. Aliviado de uma pressão mais forte pela vitória em Itajaí enfrentará um adversário, este sim, com a necessidade da vitória por ser o maior candidato a conquista do título.

RECEITAS
A Chapecoense tem sido a maior favorita para vencer os últimos campeonatos estaduais. Um dos motivos, além da gestão firme e profissional que tem norteado seu planejamento é o clube catarinense a mais tempo na série A do futebol brasileiro e por isso tem a maior receita entre todos seus adversários. Agora em 2019 irá disputar pela sexta vez o Campeonato Brasileiro e a cada ano sua receita aumenta pela sequencia de participações. Chegou a três finais nos últimos três campeonatos catarinenses, foi bicampeã em 2016, 2017 e vice em 2018 derrotada pelo Figueirense.

CALENDÁRIO
Com um roteiro apertado em virtude de um calendário que não permite aos clubes uma pré-temporada mais consistente e com o campeonato catarinense tendo antecipado seu início pela alteração do regulamento, a primeira folga na tabela será no dia 06 de fevereiro, quarta-feira, que marca os primeiros jogos pela Copa do Brasil-2019. Até lá os times terão jogados cinco partidas em 18 dias. Pode parecer tranquilo, mas se olharmos pelo pouco tempo de preparação, pelas viagens que causam desgastes, os atletas podem sofrer riscos de lesões e o próprio time não ter a intensidade exigida no futebol de alto rendimento que é praticado nos dias de hoje.

ROTEIRO DO TIGRE
Até a estreia na Copa do Brasil dia 13 de fevereiro o Criciúma irá disputar sete jogos pelo campeonato estadual. Já jogou na quinta-feira passada, dia 17 contra o Figueirense, foi à Itajaí dia 20, jogará hoje, dia 23 em Chapecó. Na volta para casa enfrentará o Tubarão domingo, dia 27 e o Brusque dia 30. Depois no dia 03 irá até a Ressacada e no dia 10 receberá o Metropolitano. 

MEMÓRIA
23/01/2003 – “DESTAQUES”

Num jogo complicado onde o Criciúma quase não criou situações de ataque, o gol veio num rebote de uma cobrança de falta. O Avaí, fechado, nos contra-ataques do primeiro tempo só não marcou pois Fabiano mais uma vez esteve impecável. Cleber Gaúcho, o melhor de todos, de novo foi o santo protetor do setor defensivo. A criação ficou comprometida pela forte marcação do Avai, que começou num 3-5-2 bem definido e o ataque não foi servido. Mais um destaque, o zagueiro Luciano.
 

4oito

Deixe seu comentário