Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ah não, Leclerc!

ERS traiçoeiro
João Nassif
Por João Nassif 01/04/2019 - 10:52

Thiago Ávila *
Depois da surpreendente e magnífica vitória de Valtteri Bottas no GP da Austrália, a Formula 1 chega ao oriente médio para a disputa da segunda etapa da temporada, mais especificamente no circuito de Sakir, no Bahrein.

A Mercedes, que tinha dominado com sobras a primeira corrida, viu sua grande rival Ferrari se sobressair e muito nos treinos. Charles Leclerc e Sebastian Vettel chegaram a marcar tempo meio segundo mais rápido que Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. Tanto que em todas as sessões de sábado, o jovem monegasco voou e conseguiu uma pole, tirando onda até para cima do seu companheiro de equipe. 

Nos minutos finais, quando já estava praticamente definida as posições de largada – Ferraris na primeira fila e Mercedes na segunda – Leclerc faz mais uma volta e bate o recorde da pista, que era de Seb no ano passado.

O monegasco contemplou sua primeira pole na carreira, aos 21 anos, o segundo piloto mais jovem a conseguir o feito, três meses mais velho que a primeira de Vettel.

No domingo, outro domínio da Ferrari e um show à parte de Charles. Ele perde duas posições de largada e na raça, passa a frente de Bottas e Sebastian. Não dá muito tempo e Hamilton volta a terceira posição.

Na hora das paradas, Leclerc volta tranquilo na frente, era líder absoluto. Hamilton faz uma inteligente estratégia, colocando pneus macios e consegue voltar à frente de Vettel. Com o tempo, os pneus do britânico vão desgastando e o alemão passa a frente com tranquilidade.

Surpreendente, os pilotos partem para uma segunda parada, colocando, a maioria deles, o pneu médio. Lewis volta a atacar Vettel e dessa vez, na segunda zona de abertura de asa, o britânico leva a melhor. 

Só que Seb nem tem tempo de reagir, pois ele roda precipitadamente no contorno da curva 11. Ele ainda sofre um prejuízo maior, já que sua asa dianteira cai segundos depois, sendo forçado a fazer uma terceira parada.

Leclerc sobrava na frente, era a grande esperança ferrarista agora. Até que o monegasco fala desesperado ao rádio que seu carro está perdendo rendimento. O que aconteceu foi uma falha no sistema elétrico do carro, no chamado ERS (sistema de recuperação de energia), na qual o carro ganha potência com a energia criada pelos freios. 

Charles Leclerc

Assim, a distância que era de 25 segundos, caiu facilmente em três voltas. Hamilton e Bottas passaram tranquilo o monegasco e se não fosse por um Safety Car acionado nas últimas duas voltas por conta de um acidente envolvendo duas Renaults, Leclerc poderia ter ficado fora do pódio.

Ao final da corrida, ele, sempre um menino muito educado, pede desculpas para a equipe no rádio. Nem Hamilton estava com clima para festejar a vitória.

O resultado mantém Bottas na liderança com 46 pontos, um na frente de seu companheiro de equipe. Verstappen, que terminara a corrida em quarto, vem em seguida com 27, um ponto na frente de Leclerc.

A F1 volta dia 14 de abril na China, para a realização do milésimo Grande Prêmio.

* Thiago Ávila, Estudante de Jornalismo da PUCRS

4oito

Deixe seu comentário