Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

A nova realidade do Tigre

Almanaque da Bola #498
João Nassif
Por João Nassif 03/12/2019 - 09:30

O formato da série C de 2020 é o mesmo deste ano, com dois grupos de 10 clubes cada um e a classificação dos quatro primeiros após a disputa em turno e returno em pontos corridos. Os clubes se enfrentam em seus próprios grupos.

Quer dizer, cada clube jogará 18 partidas na primeira fase e além dos quatro primeiros passarem às quartas de final, os dois últimos de cada grupo serão rebaixados para a série D em 2021.

Tombense adversário do Criciúma em 2020

A CBF procura regionalizar o máximo a montagem dos grupos para evitar maiores despesas com viagens, haja vista que na série C não tem cota de televisão e a entidade subsidia apenas translado, hospedagem e alimentação para um número limite de membros de cada delegação.

Agora em 2019 havia mais clubes do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país, por isso o grupo com as equipes do Sul e Sudeste teve a participação de clubes de outros centros para complementação dos 10 no grupo. 

Ypiranga de Erechim, Juventude de Caxias do Sul, São José de Porto Alegre, Volta Redonda do Rio de Janeiro, Boa e Tombense de Minas Gerais foram os clubes do Sul e Sudeste que jogaram o Grupo B este ano. Completaram o grupo três clubes do Norte, Atlético Acreano, Remo e Paysandu, ambos do Pará e a Luverdense do Mato Grosso, estado da região Centro-Oeste. 

Como o Juventude conseguiu o acesso o Grupo B de 2020 terá os remanescentes Ypiranga, São Jose, Volta Redonda, Boa e Tombense, além do Londrina, São Bento e Criciúma que foram rebaixados e mais o Ituano e Brusque que vieram da série D.
 

4oito

Deixe seu comentário