Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

A fuga ponto a ponto, às vezes três

Com o nariz fora d'água
João Nassif
Por João Nassif 10/09/2018 - 12:30

Cada vez mais longe da zona do rebaixamento o Criciúma vai mantendo bom rendimento neste momento da série B que tem lhe dado esperanças de chegar ao final com tranquilidade, afinal esta foi a proposta da direção e do técnico Mazola Júnior quando assumiu o time na sexta rodada e na 19ª colocação no campeonato.

No princípio o time oscilou em demasia e mesmo dando sinais de melhora somente na penúltima rodada do turno é que conseguiu se safar do Z-4. Muito contribuiu para esta situação a fragilidade de muitos times que teimam em não pontuar e vão dando chances de fuga ao time que agora respira com mais tranquilidade já que está quatro pontos longe do Brasil de Pelotas o primeiro da zona fatal.

Feita a resenha da trajetória do Criciúma tem que ser elogiado o trabalho do técnico e o entendimento dos atletas na proposta de jogo simples de um plantel com limitações onde prevalece a vontade e a entrega de todos.

A força defensiva cresceu muito com a fixação de jogadores mais robustos em se tratando de série B, competição em que prevalece muito mais o esforço do que propriamente a técnica com Nino, único criado na base, que faz um campeonato seguro e eficiente crescendo a cada jogo.

O meio de campo com pouca criatividade tem na recomposição seu ponto forte e sustenta com muito empenho o setor defensivo. Perceberam que tenho destacado o trabalho defensivo do Criciúma, pois é com ele que o time ganhou esta gordura em relação ao rebaixamento.

O ataque tem pouco destaque, mas nos últimos jogos tem compreendido a filosofia de jogo, sempre à espera de uma bola em velocidade ou a tão esperada bola parada.

Enfim, é um Criciúma que ganhou corpo e vai de degrau em degrau atingido seu objetivo e deixando boa expectativa para 2019, desde que seja produto de uma gestão mais ambiciosa e profissional. 
 

4oito

Deixe seu comentário