Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Pára Brasil, que os caras de mais de 70 querem descer!

Archimedes Naspolini Filho
Por Archimedes Naspolini Filho 29/06/2020 - 11:39Atualizado em 29/06/2020 - 11:43

Ao cair da tarde, de ontem, o celular anunciava a chegada de mais uma mensagem e, ao abri-la, me deparei com um texto que – de autor desconhecido – depois de lido, elegi para o meu comentário de hoje, fazendo umas adaptações - evidentemente. 
Diz assim:
Tudo mudou... 

Nascemos nos anos 40, 50, 60... foi barra para mudar todos os conceitos de várias gerações. Faz pouco tempo que apareceu a televisão, o chuveiro elétrico, a declaração dos direitos humanos e a revista Playboy. 
Casar era pra sempre, sustentar filhos era somente até quando eles conseguissem emprego, as certezas duravam a vida toda e os homens eram os primeiros a serem servidos na mesa de jantar. 
As avós eram umas velhinhas, hoje, essas mulheres de 40 ou 50 anos viraram um "mulherão". Todos nos vestimos como nossos filhos. Não existem mais velhos como antigamente. Essa foi uma geração que mudou tudo.

Culpa da guerra, da pílula, da internet, da globalização, do muro de Berlim, da televisão e da tecnologia.

Até morrer ficou diferente. Na minha rua havia um velhinho que morria aos poucos. Ficou uns dez anos morrendo e isto aconteceu logo depois de completar 57 anos. Hoje se morre com 80, 90 ou aos 100 e é um vapt-vupt. 

Com a pílula, a mulher teve os filhos que quis e ela sempre quis poucos. Como não conseguimos mais sustentar uma família, elas foram à luta e saíram para poder pagar a comida congelada, a luz e o telefone. 

Se a coisa não vai bem: é fácil a separação, difícil é pagar a pensão. 

Na realidade, as mães são solteiras com doze anos. Depois serão chefes de família, com muitos filhos de muitos pais. 
Em 50 anos tiraram a filosofia da educação básica, e como o pensamento era reprimido pela revolução, tudo virou libertação. Pedagogia da libertação, Teologia da libertação, Psicologia da libertação. Deu no que deu. Burrice liberada. Burrice eleita. 
Para as pessoas de mais de 70 anos, palhaço era o Carequinha. Hoje o povo inteiro é meio palhaço, meio pateta. 

Ladrão era o Meneghetti e o Bandido da Luz Vermelha; hoje os ladrões tomaram conta dos palácios, da Câmara Federal e de uma cidade que não existia, chamada Brasília. 

Movimento social era reunião dançante. 
Dia da mentira não era data nacional. 
Piercing quem usava era índio botocudo. 
Tatuagem era em criminoso do baixo mundo.
Mansão do lago era algo de filme de terror e não lugar onde ministro divide dinheiro. 
Quadrilha era dança junina e não razão de existir de partido político.

As pessoas de mais de 70 estão assim meio tontas, mas vão levando. Fumaram e deixaram de fumar. Beberam whisky com muito gelo, hoje tomam água mineral. Foram marxistas até descobrir quem era Guevara, e que o marxismo é um grande engodo. 
Ninguém tem mais certeza de mais nada e a única música dos Beatles a tocar é "Help". 

Pára Brasil, que os caras de mais de 70 anos querem descer!
Ao ler esta mensagem dá um aperto no coração só de pensar que tudo isso é verdade!  Que a nossa realidade está de fazer vergonha!  E o pior, será que alguém sabe o que é "vergonha"? 

E que todos comecemos o dia como queremos termina-lo! Bom dia!

4oito

Deixe seu comentário